In Visible, em Paris, amplia o diálogo sobre liberdade de interpretação

foto: Kimie Tanaka
foto: Kimie Tanaka
O mundo como se apresenta aos seus olhos. Em uma realidade dissonante de pluralidade e intolerância, acessibilidade e fanatismos, o projeto “In Visible” instiga o observador a um dos exercícios máximos da arte: liberdade de interpretação, respeito à diversidade de opinião. Para isso, 20 artistas plásticos de diferentes nacionalidades se reúnem em Paris e exibem suas expressões para a livre contemplação do público.
 
Único discurso brasileiro nesse eclético diálogo, Eduardo Sampaio endossa o discurso do múltiplo: “Minha proposta se soma a dos meus pares nessa iniciativa que pretende motivar o observador a releituras, a se permitir repensar conceitos e, principalmente, a se reinventar. Precisamos hoje de mais reflexão, aceitação e afeto”.
 
O evento é gratuito e o vernissage acontece nesta quinta-feira, dia 20, às 19h, no nº 48 da Rue de Lille, 75.007, Paris. A exposição coletiva se estende até o próximo sábado.
 
Na abertura, recital de poesias de Hope Curran. E no sábado, performance artística de Melissa Livermore.
Booking.com