Visibilidade e empoderamento lésbico são as bandeiras de BEL em novo clipe

Vídeo foi gravado no Rio e conta com coreografia inusitada

Considerada um dos destaques da música independente no último ano, BEL lança o clipe para o single “Esse Calor”, presente no disco de estreia, Quando Brinca. Gravado em três diferentes locações na cidade do Rio de Janeiro, o vídeo mostra que é possível usar o calor ao favor de uma causa, seja a ocupação de um espaço urbano ou a visibilidade lésbica. Dirigido pela própria cantora, a performance traz uma coreografia construída coletivamente pelo elenco, formado por cerca de vinte mulheres lésbicas, e mediada por Luna Leal e, claro, o calor irremediável do Rio.

 

Ouça “Esse Calor”: http://spoti.fi/2FfislM

 

Uma das principais frases da música, “Vou usar esse calor ao meu favor”, serve como metáfora para uma reconquista dos nossos corpos e também da cidade. Não por acaso, o vídeo vai da Praça Luís de Camões (na Zona Sul), até uma pedreira no Engenho da Rainha (na Zona Norte), com cenas também na festa Velcro, em edição realizada na boate LaPaz (no Centro). Muito mais do que um manifesto a favor do espaço público, o vídeo é um posicionamento político a favor do empoderamento lésbico.

 

“Em 2017, mais do que nunca, afirmei para dentro e para fora a minha identidade sapatão, que sempre foi muito presente em todas as minhas produções mas acho que de uma forma mais implícita e suave. Nesse vídeo, quis escancarar! Pensei no que a letra me dizia na época que compus (2012, faz tempo!) e no que ela me diz agora. Sentir o calor do meu corpo e de fora dele, sentir os desejos, os arrepios, sentir a cidade, pegar tudo isso e fazer um caldo biotônico poderoso suculento que me empodera, tipo o espinafre do Popeye”, conta BEL.

 

 

Foi a partir das reflexões da cantora a respeito de como falar sobre visibilidade lésbica que ela observou a clássica narrativa dos traumas e do sofrimento em filmes com personagens LGBTQIs, e quis comemorar a sua sexualidade. “Celebrar o fato de que sei o que me faz feliz, celebrar a luta – por que não? Gritar: ‘sou sapatão e sou feliz!’, é gostoso demais! É uma parte muito boa disso tudo e é do que eu quero falar agora”, explica a artista.

 

Celebrar a “existência sapatão” é uma das razões da Velcro, festa que foi locação de uma das cenas do clipe. Produzida por lésbicas e para lésbicas, ela proporciona um ambiente de liberdade que permitiu, por exemplo, que BEL recriasse a capa do disco “Quando Brinca”, usando uma máscara de vaca feita em LED, manufaturada pelo artista Rafael Turatti.

 

Outro momento do vídeo é na Praça Luís de Camões, em que há um chafariz seco, com uma escultura no meio que soa sexual para a cantora: “É um espaço redondo e protegido, achei que fosse bom para a filmagem da coreografia”. Já a pedreira, em Inhaúma, trouxe a alegoria heróica que a artista buscava: “Foi a parte mais complicada, porque eu tava com essa ideia fixa de fazer uma cena meio surreal, num cenário pós-apocalíptico, seco, sem muito verde. E claro, tinha que ter muito sol no dia. Eram muitas condições, mas deu certo no final”.

 

A cena que mais marcou BEL no clipe foi a coreografia, e foi a partir dela que outras ideias surgiram. A artista fez uma campanha informal para convidar mulheres que se identificassem como sapatão para participar do vídeo, que reuniu mais de 20 pessoas. “A gente fez um processo lindo de trabalho de corpo, de criação. Foi emocionante demais! Sempre quis fazer um clipe com dança, mas nunca imaginei que fosse fazer um com coreografia feita e executada por 22 sapatonas. Além dessas manas, ainda tem toda uma equipe maravilhosa que se juntou a essa ideia maluca e fez acontecer esse clipe. Sou muito grata a todo esse grupo”, agradece BEL.

 

Formaram a equipe do clipe: Bel Baroni (direção, roteiro e argumento), Luna Leal (preparação corporal e mediação coreográfica), Gabriela Ribeiro (assistência de direção) e Vê Carvalho (produção de arte). Na pós-produção, Acácia Lima, Peg e Pedro Cabral (montagem) e Alexandre Marcondes (finalização). As câmeras foram operadas por: Giovana Cianella, Lucas Canavarro, Marina Novelli, Paula Garcia, Pedro Cabral e Bel Baroni. E a produção de set foi realizada por Lia Sarno, Renata Furtado e Samia Oliveira. O clipe contou com apoio do Aramista, Build Up Media, Festa Velcro, I Hate Flash, MOTIM e Paintball Rio. O elenco é composto por: Aline Miranda, Anna Jones, Ana Claudino, Fernanda Farias, Helena Assanti, Isabel Scorza, Julia Oliveira, Juliana Sales, Letycia Mattos, Luísa Tapajós, Luiza Gullino, Luiza Saturnino, Natali Barbosa, Nathalia Atayde, Pâmela Souza, Paula Damaso, Rebeca Mafra, Samia Oliveira, Sanny Purwin, Sofia Laureano, Thaís Catão.

 

Esse Calor (Bel Baroni / Bruna Baffa)

 

direção, roteiro e argumento – Bel Baroni

produção – Bel Baroni e Pedro Cabral

preparação corporal e mediação coreográfica – Luna Leal

assistência de direção – Gabriela Ribeiro e Pedro Cabral

câmeras – Giovana Cianella, Lucas Canavarro, Marina Novelli, Paula Garcia, Pedro Cabral e Bel Baroni

produção de arte – Vê Carvalho

produção de set – Lia Sarno, Renata Furtado e Samia Oliveira

montagem – Acácia Lima, Peg e Pedro Cabral

finalização – Alexandre Marcondes

 

performers – Aline Miranda, Anna Jones, Ana Claudino, Fernanda Farias, Helena Assanti, Isabel Scorza, Julia Oliveira, Juliana Sales, Letycia Mattos, Luísa Tapajós, Luiza Gullino, Luiza Saturnino, Natali Barbosa, Nathalia Atayde, Pâmela Souza, Paula Damaso, Rebeca Mafra, Samia Oliveira, Sanny Purwin, Sofia Laureano, Thaís Catão

 

apoio – Aramista, Build Up Media, Festa Velcro, I Hate Flash, MOTIM e Paintball Rio

 

agradecimentos – Ana Pujol, Avenida Bar, Clarissa Ribeiro, Contêmpiranha, Daniel Pandeló, Elilson Duarte, Fernanda Ribeiro, Francisco Costa, Gabi Vianna, Heitor Mota, Julia Vommaro, Letícia Lopes, Lina Kaplan, Lívio Leite, Marcela Barroso, Maria Gabriela Gomes, Maria Isabel Iorio, Mayara Yamada, Miguel Jorge, Nathália Pandeló, Nilo Ribeiro, Paula Loffer, Rafael Turatti, Serge Erege, Susana Costa Amaral, Yasmin Zyngier e Yohanan Barros

 

Rodado nos bairros da Glória, Inhaúma e Centro da cidade do Rio de Janeiro (RJ)

 

2018

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.