“A Viagem do Capitão Tornado” em cartaz no Teatro Sesc Tijuca, 20h, até dia 30 de julho

Livre adaptação do romance de Théophile Gautier, “Le Capitaine Fracasse”, expõe de forma curiosa e divertida, um pouco da vida dos artistas de um teatro ambulante

foto: Fábio Verini
foto: Fábio Verini

O palco do Teatro Sesc Tijuca apresenta até dia 30 de julho o espetáculo “A viagem do Capitão Tornado”. A montagem, com adaptação e direção artística de Clovis Levi, é livremente inspirada no romance Le Capitaine Fracasse (O Capitão Fracasso), do escritor francês Théophile Gautier, ambientada na França do século 17, que retrata a realidade em que grupos e companhias teatrais vivem atualmente no Brasil.

Com sessões de sexta a domingo, 20h, os atores Adriano Pellegrini, Alexandre Menezes, Hayla Barcellos, Isabela Moss, João Rachid, José Araújo, Letícia Medella, Ricardo Teodoro e Ruy Carvalho contam a história de um grupo teatral miserável que, em busca de reconhecimento profissional e de novos palcos para suas apresentações, percorre Paris à procura de uma oportunidade. Juntos, os atores pedem abrigo em um castelo que acreditavam estar abandonado. Surpreendendo a todos, a propriedade pertence ao Barão de Signognac, um dos nobres que serviram a Carlos Magno, e cuja dinastia se viu à míngua devido à má administração dos bens de seus descendentes.

Os integrantes da companhia descobrem que, apesar de solitário e decadente, o Barão Signognac pode fazer com que eles sejam bem recebidos pela corte de Paris e ajudá-los a alcançar o tão almejado sucesso. Apaixonado por Isabelle, uma das atrizes, e entusiasmado com a possibilidade de uma nova aventura, ele aceita se juntar à trupe. O enredo torna-se ainda mais denso com a entrada do Duque de Vallombreuse, que também se apaixona por Isabelle e tem atitudes questionáveis, travando disputas e despertando dores e amores. Nesse percurso até Paris, é retratado o cotidiano de quem fazia teatro séculos atrás: sucessos e fracassos (com apresentações dos espetáculos da Commedia dell’arte que promoviam por onde passavam), romances em crise, mortes, fome, inveja, assaltos, a resistência, a cumplicidade, os duelos por amor e honra, as vulnerabilidades humanas, a solidão, as renúncias e o valor do trabalho solidário.

Para o diretor Clovis Levi, a peça, que cumpre temporada até o dia 30 de julho, é um retrato da realidade em que os grupos e companhias teatrais vivem hoje. Estamos no Século XXI, mas as dificuldades do nosso Teatro Brasileiro são as mesmas mostradas por Gautier, no século XIX. Tratar dessa questão, dessa dificuldade de se fazer teatro sem apoio, é uma forma de encorajar toda a classe artística para o ofício de ser ator no nosso país.

Sinopse
Comédia dramática narra aventuras/desventuras de um grupo de teatro que mambembeia em busca de manter viva a arte teatral e, ao mesmo tempo, a companhia da qual faz parte.

SERVIÇO

A Viagem do Capitão Tornado

Estreou: 07 de julho
Local: Teatro Sesc Tijuca
Endereço: Rua Barão de Mesquita- 539- Tijuca- Rio de Janeiro – Tel: 3238-2167
Temporada: Até 30 de julho de 2017
Horário: Sexta, sábado e domingo – 20h.
Classificação: 14 anos
Duração: 90 minutos
Gênero: Comédia dramática
Ingresso: R$ 25,00 (Inteira) R$ 12,00 (Meia) e R$ 6,00 (Associado Sesc)
Capacidade do Teatro: 228 Lugares
Horário de funcionamento da bilheteria: Terça à Sexta das7h às 20h / Sábado e Domingo das 9h ás 20h

Ficha Técnica

Texto: Clovis Levi – a partir do romance de Théophile Gautier

Adaptação e Direção Artística: Clovis Levi

Elenco: Adriano Pellegrini, Alexandre Menezes, Hayla Barcellos, Isabela Moss, João Rachid, José Araújo, Letícia Medella, Ricardo Teodoro e Ruy Carvalho

Cenografia: José Dias
Iluminação: Aurélio de Simoni
Figurinos: Augusto Pessoa
Preparação Corporal: Marina Salomon
Preparação de Voz: Rose Gonçalves
Direção Musical: Raoni Costa
Assistente de Direção: Pâmela Jean e Carol Nemetala
Produção Executiva: Genese Produções, Panô Produções Artísticas.
Coordenação de Produção: Alexandre Menezes, Mitat Marques, Ricardo Teodoro e Thaís do Ó