Versão Pop de “O Pequeno Príncipe” na versão da Rosa estreia dia 16 de julho no Imperator 

Foto: Studio Vargas
Foto: Studio Vargas

Com uma proposta inusitada para a Obra Clássica de Antoine de Saint-Exupéry, o espetáculo é uma adaptação inédita do autor Daniel Porto sob a visão da Rosa, interpretada pela atriz Mariana Martins, com direção de Edson Bueno. 

O espetáculo teve sua pré-estreia com casa cheia na Mostra Guritiba do 25º Festival de Teatro de Curitiba, fez curta temporada de reestreia no Teatro José Maria Santos, pelo edital de ocupação do Teatro Guaíra e agora estreia no Rio de Janeiro com curta temporada de 16 a 31 de Julho no Centro Cultural João Nogueira, o Imperator no Méier.

“Num mundo que se faz deserto, temos sede de encontrar um amigo.” – Antoine de Saint-Exupéry

Booking.com

A história é contada a partir do olhar da Rosa e a dramaturgia explora diversas linguagens, como projeções e criações audiovisuais que compõem personagens e cenários em uma estética futurista que atrai não somente as crianças. O espetáculo apresenta uma proposta contemporânea para a história de Antoine de Saint-Exupéry que leva o publico adulto e infantil a uma viagem cheia de experiências sensitivas e lúdicas. A peça é um monólogo com a atriz Curitibana Mariana Martins, tem direção de Edson Bueno, diretor premiado por vários anos consecutivos no Troféu Gralha Azul e no Troféu Poty Lazzarotto como Melhor Diretor de Teatro do Paraná. A adaptação inédita é de Daniel Porto. O jovem autor já é responsável por sucessos no Teatro Adulto como O Pastor, Acabou o Pó e Volúpia da Cegueira em cartaz no Rio de Janeiro, além de outras adaptações de clássicos infantis para o teatro como As Aventuras de Pinocchio de Carlos Collodi, O Duende Rumpelstiltskin dos Irmãos Grimm e o mais recente João e Maria. O Musical com boas críticas especializadas e de público. 

A “versão Rosa” de O Pequeno Príncipe chega no Rio de Janeiro dia 16 de Julho em uma parceria da Pequena Mari Produções de Curitiba e a Cineteatro Produções do Rio de Janeiro. É um monólogo inédito cheio de tecnologia e arte visual, sem abrir mão da mais clássica técnica de animação, o stop-motion, que transmite de maneira lúdica e moderna, os ensinamentos de uma história extremamente consumida no País. Utiliza-se de uma linguagem pop para evidenciar o clássico que nunca deixou de ser contemporâneo e proporciona ao público de todas as idades, uma experiência única.

Adaptar este texto para o teatro é, acima de tudo, transportar do livro para os palcos os valores primordiais éticos e morais de boa conduta em uma sociedade. É reafirmar que textos inteligentes, com ensinamentos tão sensíveis, não são feitos apenas para crianças, perduram por toda uma vida e por várias gerações, pregando respeito e amabilidade ao próximo.

SOBRE A OBRA: Pelos olhos de um menino o mundo adulto é sempre um novo planeta. Uma das fábulas mais conhecidas em todo o mundo, texto já traduzido para mais de 80 idiomas, O Pequeno Príncipe é uma obra que completa 72 anos desde sua primeira publicação em 1943 nos EUA pelo autor e aviador francês Antoine de Saint-Exupéry. Livro de criança? Com certeza. Mas livro de adulto também. Todo homem traz dentro de si o menino que foi um dia. A obra, mais que pelo vasto conteúdo e riqueza de lições para o mundo infantil como o perdão, a esperança, o respeito e principalmente o amor, acabou sendo aderida como leitura pelos adultos por aproximar um mundo esquecido.  

Como explicar a adoção deste livro por povos tão variados, em tantos países de todos os continentes? Como explicar que ele seja lido sempre por tantos milhões de pessoas? Repleta de ensinamentos, valores morais e poesias a obra resgata àqueles que não conseguem enxergar o importante como verdadeiro, mas somente aquilo que é bom materialmente. O Pequeno Príncipe devolve o mistério da infância a quem o lê. O Homem-menino adormecido pelo dia a dia da vida adulta acorda para a inocência que a vida adormeceu.

SINOPSE:
A história clássica de Antoine de Saint-Exupéry é contada a partir do olhar da Rosa. Ninguém nunca soube de fato o que aconteceu com ela, o que ela sentiu e viveu após o Pequeno Príncipe partir para conhecer outros mundos. A dramaturgia explora diversas linguagens para apresentar planetas, personagens e cenários vividos e narrados pela Rosa que acompanha, de longe, a trajetória de seu Príncipe.

Serviço:

O Pequeno Príncipe –  a versão da Rosa
Local: Imperator – Centro Cultural João Nogueira, Rua Dias da Cruz, 170 – Méier
Informações: (21) 2596-1090 ou 2597-3897
Estreia: 16 de Julho (sábado), às 16h
Temporada: de 16 a 31 de Julho de 2016
Dias e horários: sábado e domingo, às 16h.
Ingressos: R$ 30 (inteira) R$ 15 (meia)
Duração: 50 minutos
Classificação etária: Livre (indicado para crianças a partir de 5 anos)
Gênero: Infanto-juvenil
Capacidade: 607 lugares
Horário da bilheteria: terças e quartas, das 13h às 20h. Quintas e sextas, das 13h às 21h30. Sábados e domingos a partir das 10h.

Ficha técnica: 
Autor: Antoine de Saint-Exupéry / Adaptação: Daniel Porto / Direção: Edson Bueno / Direção Musical e Músicas Originais: Zé Luiz Rinaldi / Elenco: Mariana Martins / Cenário e Adereços: Karlla de Luca / Figurinos: Ticiana Passos / Produção Executiva: Alexandre Lino / Direção de Produção: Mariana Martins / Co-produção: Cineteatro Produções (Rio de Janeiro) / Idealização: Mariana Martins e Daniel Porto / Realização: Pequena Mari Produções

Booking.com