Tragicomédia Palhaços leva choque de realidades ao Teatro Dulcina

Diálogo entre palhaço e vendedor de sapatos apresenta questionamentos sobre a vida, os sonhos e perspectivas de realidades distintas dos personagens

Foto: Divulgação / Fábio Guilherme Dias
Foto: Divulgação / Fábio Guilherme Dias

Sucesso absoluto na zona Sul, a Tragicomédia Palhaços está de volta com curta temporada no Teatro Dulcina, no Centro. O espetáculo dirigido por Marcus Alvisi tem como fio condutor o encontro entre o palhaço Careta (Cadi Oliveira) e o vendedor de sapatos Benvindo da Silva (Bernardo Peixoto) no camarim do teatro. O sonho frustrado de Benvindo de se tornar um palhaço profissional causa um conflito com a realidade vivida por Careta. Amor pela profissão, sonhos, realizações, e desilusões são discutidas em perpesctivas completamente distintas vistas pelo olhar do artista e do vendedor. Questionamentos da vida e os paralelos encarados por um palhaço profissional e um “palhaço da vida” levantam a ideologia de cada um dos personagens sobre as questões humanas e suas definições do sucesso.

Com diálogos divertidos e reflexivos, Palhaços traça paralelos e questionamentos sobre a perseguição de um sonho. Os obstáculos que impedem de realizar, as dúvidas e incertezas do caminho percorrido. O que será mais importante: Amor a arte e a profissão? Realização? Ou Fama? Em Palhaços é bem provável que o público saia com a resposta.

A Peça

A figura cheia de nuances do palhaço – personagem cômico e trágico, patético e lírico – encantou o dramaturgo Timochenco Wehbi (1943 -1986) ainda criança, quando um circo mambembe visitou a cidade onde morava. Anos depois, em 1974, essa fascinação motivou a criação de uma peça: a tragicomédia Palhaçosque agora chega ao palco do Teatro Dulcina, após passagem recente pela Casa de Cultura Laura Alvim/Teatro Rogério Cardoso. A direção é de Marcus Alvisi, que, por sua vez, se inspirou em elementos do clássico Os palhaços, de Federico Fellini (um de seus filmes preferidos), para a montagem. A trilha sonora, escolhida pelo encenador, reúne músicas emblemáticas de Nino Rota, um dos parceiros mais frequentes do cineasta italiano.

A trama se desenrola no camarim de um circo popular onde o palhaço Careta recebe a visita de um espectador, vendedor de sapatos. O encontro faz com que ambos os personagens questionem a condição humana, de maneira espirituosa, quando colocam em oposição o “palhaço profissional” e “o palhaço da vida‟. “O espetáculo pode ser visto como uma comédia romântica, no sentido em que fala de sonhos, de ideais, da essência da arte e do amor por ela”, define o diretor Marcus Alvisi. “Em certo sentido, fala sobre um mundo que não existe mais, de mais sonhos, pureza e dedicação ao ofício do artista. Quando a paixão pela profissão era mais importante do que o status e a fama”.

“Estávamos procurando uma peça que trabalhasse a figura do palhaço e tínhamos algumas opções sugeridas pelo Alvisi. Quando li esta do Timochenco Wehbi, me entusiasmei na hora”, lembra Cadi Oliveira. “É muito interessante perceber como o visitante tem uma ideia fantasiosa da vida artística, e como o palhaço vai desconstruindo essa imagem durante o espetáculo”, descreve o ator. Bernardo Peixoto acrescenta que a peça encoraja os espectadores a seguirem seus desejos.“As adversidades não devem impedir que a gente siga um sonho, caso do meu personagem que sonhava em ser palhaço e acabou frustrado como vendedor de sapatos”, concluiu.

Serviço

Temporada: 09/08 até 31/08

Elenco: Cadi Oliveira e Bernardo Peixoto

Local: Teatro Dulcina

Endereço:  R. Alcindo Guanabara, 17 – Centro, Rio de Janeiro – RJ, 20031-130 –

Tel: 2240-4879

Dias: Quartas e Quintas-Feiras

Horários: 19H

Valores do Ingresso: R$ 40,00 (Inteira)

Venda on line: www.ingressorapido.com.br

Duração: 70 min

Classificação: 14 anos