Theatro Municipal apresenta a célebre “Norma”, de Bellini, em estreia com preços populares no Dia do Trabalhador

No papel-título, pela primeira vez no Brasil, estará a soprano norte-americana Elizabeth Blancke-Biggs

O Theatro Municipal do Rio de Janeiro (TMRJ) apresenta nos próximos dias 1º, 4 e 6 de maio a ópera “Norma”, de Bellini. Sob a regência do maestro Roberto Tibiriçá, “Norma” traz pela primeira vez ao Brasil a soprano dramática norte-americana Elizabeth Blancke-Biggs, no papel-título. Apresentada em forma de concerto-cênico que conta com a participação do Coro e da Orquestra Sinfônica do TMRJ, a mais popular ópera no Rio de Janeiro à época do Império volta ao palco do Municipal após duas décadas de ausência. Por decisão da Secretaria de Estado de Cultura, que administra o Theatro Municipal, a estreia da temporada será a preços populares, em valor único de R$ 10, em homenagem ao Dia Internacional do Trabalho, 1º de maio.

O elenco de “Norma” reunirá ainda destacados solistas nacionais, como a mezzo-soprano Denise de Freitas, o baixo Pepes do Vale e o tenor Eric Herrero, que encantou o público carioca em “Jenufa”, ópera recentemente apresentada no Municipal. 

Para o diretor artístico do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, André Heller-Lopes, “Norma”, que estreou no Scalla de Milão em dezembro de 1831, “é a mais carioca de todas as óperas”:

– Foi a ópera pela qual o Rio de Janeiro apaixonou-se no século XIX. Machado de Assis e vários de seus contemporâneos caíram de amores por ela e não pararam de cantar em prosa e verso suas belezas – afirma o diretor artístico.

A passagem de “Norma” pelo Theatro Municipal do Rio de Janeiro foi consagrada em 1951, com a participação da diva Maria Callas, soprano grega considerada pela crítica e pelos milhões de fãs um dos expoentes da história do canto lírico.

Sob uma ótica contemporânea, a ópera do italiano Vincenzo Bellini (1801-1835) narra a história de uma mulher que, dividida entre a família e o trabalho, descobre que o marido apaixonou-se por uma jovem. Hino à lua, a ária “Casta Diva” é a mais conhecida de “Norma”, entoada em filmes e comerciais – na maioria das vezes na voz de Maria Callas.

O TMRJ apresentará em “Norma” duas estreias: a soprano Elizabeth Blancke-Biggs, cantora que vem sendo elogiada por interpretar os mais difíceis papéis dramáticos em palcos da Europa e América do Sul – além do célebre MET de Nova York. Em seu repertório estão as heroínas (e vilãs) de “Turandot”, “Elektra”, “Tosca”, “Macbeth” e “La Traviata”.

Dentro os solistas do Municipal do Rio, outra estreia: a mezzo carioca Beatriz Simões, de 24 anos, pela primeira vez em um papel protagonista, no espetáculo de 1º de maio. Carioca, Bia integrou a Academia Bidu Sayão, dedicada à formação de jovens artistas líricos para o TMRJ. Em breve, ela parte para um período de aperfeiçoamento na Alemanha.

No feriado de 1º de maio, dia da estreia, a Secretaria de Estado de Cultura e a Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro oferecem um presente ao público fluminense: uma récita a preços populares. O ingresso para qualquer setor do Municipal custará somente R$ 10.

SERVIÇO
Norma”, de Vincenzo Bellini
Ópera em forma de concerto-cênico
Regência: Roberto Tibiriçá 

Elenco:
Norma – Elizabeth Blancke-Biggs
Adalgisa – Beatriz Simões (dia 1º) e Denise de Freitas (dias 4 e 6)
Pollione – Eric Herrero 
Oroveso – Pepes do Vale 
Clothilde – Noeli Mello 
Flávio – Ivan Jorgensen
Coro e Orquestra do TMRJ  

Local: Praça Floriano, s/nº, Cinelândia, Centro do Rio 

Ingressos:

Dia 1º:
R$ 10 (qualquer setor) 

Dias 4 e 6:
Frisa/camarote: R$ 100
Plateia/balcão nobre – R$ 100
Balcão superior e balcão lateral – R$ 72
Galeria e galeria lateral – R$ 36 

Classificação etária: livre