“Terça Aberta no Kasulo” traz quatro trabalhos com pausa para “Prosa e Petisco no Corredor”

Boi da cara preta - Djalma Moura (foto: Jonia Guimarães)
Boi da cara preta - Djalma Moura (foto: Jonia Guimarães)

Com o desejo de instaurar um espaço de intersecção, debate e difusão de trabalhos de dança, teatro e performance, a última “Terça Aberta no Kasulo”, que acontece no próximo dia 6 de dezembro, às 20h, conta com o compartilhamento de quatro processos criativos: “Boi da Cara Preta”, Djalma Moura; “Sem Saída”, de Mariana Bucci; “Nuvens, Barcos, Búfalos e Ornitorrincos”, de Mariana Viana; e ““P.S. (Post Scriptum Cênico)”, de Tatiana Caltabiano / Petit Comité.

Entre os dois primeiros trabalhos e os dois últimos, uma pequena pausa para petiscos no corredor, servindo comidinhas e bebidas, e ao final das apresentações, uma conversa entre artistas e público, com mediação das bailarinas e coreógrafas Vanessa Macedo e Angela Nolf e da atriz Janaina Leite (Grupo IXI de Teatro).

Booking.com

A ideia, fruto do projeto “Atravessamentos”, da Cia Fragmento de Dança, contemplado pela 20ª edição do Programa de Fomento à Dança, propõe investir numa ação permanente que acontecerá sempre em uma terça-feira por mês, no Kasulo – Espaço de Cultura e Arte, na Barra Funda.

Processos criativos
Em “Boi da Cara Preta”, Djalma Moura cria uma presença de resistência partindo da memória ancestral para, então, incorporar em sua matéria o devir-animal. Em processo, o trabalho vem sendo desenvolvido na Plataforma dos Exercícios Compartilhados, sob orientação de Adriana Grecchi. Djalma é bailarino e assistente de direção da Cia Sansacroma, dirige o Coletivo Desvelo e atua como artista orientador no Programa Vocacional.|

“Sem Saída”, de Mariana Bucci, é uma oscilação, ora de calmaria ora de conflito. Quando calmaria, nada acontece, tudo tem o mesmo valor: o sorriso e a lágrima se anulam. Depois da calmaria, vem o conflito. Os acontecimentos explodem no mesmo momento, cada um numa intensidade que sobrepõe o outro, tudo requer atenção e solução. A pesquisa conta com Flavia Scheye como artista provocadora. Mariana é pesquisadora e intérprete independente formada em Dança pela Universidade Anhembi Morumbi.

Depois do intervalo preenchido com “Prosa e Petisco no corredor”, Mariana Viana apresenta “Nuvens, Barcos, Búfalos e Ornitorrincos”, um estudo de corpo-documentação que vem criando caminhos entre as cidades de Lisboa e São Paulo. É o presente do presente, o presente do futuro e o presente do passado. São histórias de um corpo que demora – em um lugar, uma pergunta, um gesto, uma palavra. Graduada em Comunicação Social e estudante de Comunicação das Artes do Corpo, na PUC-SP, Mariana Viana dedica-se aos estudos da dança na relação corpo, cidade e documentação. Vive e trabalha entre São Paulo e Lisboa, onde integrou a F.I.A. 2013 (Formação Intensiva Acompanhada), enraizada nos estudos do corpo e movimento no c.e.m. – centro em movimento.

Primeiro experimento do coletivo Petit Comité, “P.S. (Post Scriptum Cênico)”, concebido por Tatiana Caltabiano, encerra a noite com um segredo compartilhado: o relato de um abuso sexual sofrido aos 11 anos. Esse é o disparador da ação. 11 mulheres. 11 minutos. Sem nenhum ensaio prévio, cada mulher tem 1 minuto para apresentar o seu P.S. Com Barbara Garcia, Beatriz Yoshinaga, Cibele Bissoli, Cintia Rosini, Denise Dietrich, Drika Ferreira, Gisela Millás, Ligia Yamaguti, Natalia Nolli Sasso, Yara Nis e Tatiana Caltabiano. Atriz formada pela CAL – Casa das Artes de Laranjeiras, no Rio de Janeiro, Tatiana Caltabiano vive em São Paulo desde 2006; é diretora artística da (Im)Pertinente Trupe e idealizadora do Petit Comité – um coletivo de mulheres que têm interesse na pesquisa de temas referentes ao universo feminino e que buscam, na integração das artes, o seu lugar de expressão.

Serviço: “Terça Aberta no Kasulo”, proposta da Cia Fragmento de Dança.

Quando: Dia 06/12, terça-feira, às 20h.

Apresentações: “Boi da Cara Preta”, Djalma Moura; “Sem Saída”, de Mariana Bucci; “Nuvens, Barcos, Búfalos e Ornitorrincos”, de Mariana Viana; e “P.S. (Post Scriptum Cênico)”, de Tatiana Caltabiano / Petit Comité.

Onde: Kasulo – Espaço de Cultura e Arte (Rua Souza Lima, 300, Barra Funda, Metrô Marechal Deodoro – Linha Vermelha – Tel 11 3666 7238).

Intervalo: bebidas e comidinhas (o local não aceita cartão de débito ou crédito)

Capacidade: 50 lugares

Ingressos: Grátis (retirada a partir das 19h; reservas pelo e-mail 

ingressociafragmento@gmail.com , com retirada até 19h40)

Booking.com