Teatro para crianças e jovens é celebrado na Mostra de Repertório CBTIJ 21 Anos

10 espetáculos do RJ e MG serão apresentados de 14 a 29 de março no Teatro de Arena da Caixa Cultural Rio. Grátis

“Mostra de Repertório CBTIJ 21 Anos” celebra os anos de atuação ininterrupta do Centro Brasileiro de Teatro para Infância e a Juventude. Para isso, foram selecionados 10 espetáculos entre os mais representativos de diferentes companhias de teatro do RJ e MG que integraram as Mostras e Circulações promovidas pelo CBTIJ/ASSITEJ Brasil. A mostra tem patrocínio do Programa Caixa de Apoio a Festivais de Teatro e Dança 2017 e acontece, gratuitamente, de 14 a 29 de março no Teatro de Arena da Caixa Cultural Rio (Av. Alm. Barroso, 25, Centro). Classificação: Livre.

Entre os espetáculos que serão apresentados estão “O velho da horta” (23/03), da Cia. PeQuod; “O médico camponês e a princesa engasgada” (28/03), da Cia. Medieval; e “A aranha arranha a jarra, a jarra arranha o trava-língua” (29/03), da Cia. Pop de Teatro Clássico. Os critérios principais para a seleção destas companhias e espetáculos são o fato de serem espetáculos de qualidade, mantidos em repertório por companhias e grupos de trabalho continuado, com grande credibilidade artística, comprovada através de inúmeras premiações.

Booking.com

Serão realizadas duas apresentações de cada espetáculo, sempre às 10h30 e às 15h, em um total de 20 apresentações, reunindo um público de aproximadamente 3.800 espectadores. Destes, 70% (cerca de 2.650 espectadores) serão provenientes de escolas da rede pública. Os outros 30% (cerca de 1.150 espectadores) serão público geral.

Como uma Associação Cultural que congrega artistas e produtores, o CBTIJ sempre buscou pautar suas atividades no sentido de promover a qualidade no teatro para crianças e jovens, bem como fomentar o trabalho continuado de grupos e companhias. “Nada melhor para marcar os 21 anos da Associação do que fazer uma grande retrospectiva de alguns dos mais representativos espetáculos que passaram por nossas mostras, seminários e eventos ao longo de todos esses anos. Desta forma, valorizamos o trabalho realizado por inúmeros artistas e produtores que, na maior parte dos casos, sem nenhum patrocínio, vêm mantendo seus espetáculos em circulação, promovendo a formação de novas plateias, desenvolvimento de um senso crítico e estético e, sobretudo, oferecendo acesso ao patrimônio cultural que estes espetáculos e seus criadores representam”, diz Cleiton Echeveste, coordenador da Mostra.

O teatro aliado à educação utilizado como ferramenta de ampliação do olhar, de desenvolvimento de habilidades sociais, de questionamento permanente do mundo à nossa volta e de compartilhamento de saberes. “O projeto acontece num momento em que a sociedade brasileira passa por um profundo processo de reflexão sobre questões éticas, sociais e políticas, quando se faz ainda mais necessário proporcionar às crianças e jovens espaços de encontro e de compartilhamento, em que eles possam sentir-se à vontade para questionar, indagar, expressar-se”, argumenta Bruno Bacelar, que também coordena da Mostra.

E nada melhor que a “arena” teatral para a realização desse encontro, através de espetáculos que apresentam, artisticamente, temas centrais para a camada mais jovem da população, como ética, memória, liberdade, diversidade e solidariedade, entre outros. A Mostra ser realizada no Teatro de Arena da Caixa Cultural do Rio de Janeiro tem um significado especial, não apenas pelo seu formato, como também pela sua localização no centro da cidade do Rio. Além da facilidade de acesso através de transporte público (metrô, VLT, ônibus), há um sentido simbólico em levar crianças e jovens de escolas públicas a um importante centro cultural, que talvez a maioria deles desconheça, e que é parte do Centro Histórico da cidade. Memória, pertencimento e acesso são tópicos que reforçam a pertinência da realização deste projeto no espaço e no formato proposto. Diferentemente de outras mostras e festivais de teatro para crianças e jovens, a Mostra de Repertório CBTIJ 21 Anos tem o propósito de ressaltar, além da qualidade das produções, o sentido da força da realização coletiva e continuada que o teatro de grupo representa.

Serviço:

Mostra de Repertório CBTIJ 21 Anos – Apresentações de espetáculos e oficinas.
Data: de 14 a 29 de março
Local: Teatro de Arena da Caixa Cultural Rio (Av. Alm. Barroso, 25, Centro).
Classificação: Livre.
Valor do ingresso: grátis.

14/03, às 10h30 e 15h: O Menino que Brincava de Ser. Sinopse: O espetáculo conta a história de três crianças durante o ensaio de um espetáculo de teatro que apresentarão em breve, no auditório da escola. Dramaturgia e direção: Cleiton Echeveste. Elenco: Giuseppe Marin, Tatiana Henrique e Thiago Monte. Realização: Pandorga Cia. de Teatro.

15/03, às 10h30 e 15h: A História de Topetudo. Sinopse: O espetáculo apresenta às crianças uma história que, apesar de situada em reinos distantes e tempos longínquos, discute um tema sempre atual: o que é belo, o que é feio? Por que belo, por que feio? Texto: Ana Barroso, Monica Biel e Thereza Falcão. Elenco: Ana Barroso e Monica Biel. Direção: Thereza Falcão.

16/03, às 10h30 e 15h: Os Cenouras. Sinopse: Afonso Xodó e seu assistente Prego chegam para ministrar uma aula de como se deve cuidar do lixo, reciclando e reutilizando materiais. Xodó tenta conduzir a aula da melhor forma possível, mas é sempre interrompido por seu assistente. Texto: Leonardo Carnevale e Fabio Freitas. Direção: Márcio Libar. Interpretação: Leonardo Carnevale e Fabio Freitas. Realização: Carnevale Produções.

17/03, às 10h30 e 15h: Rapunzel. Sinopse: Um casal de alemães: Hildegarda e Nicolau. Ela, grávida, tem um desejo fortíssimo de comer rabanetes. Ele, com medo, pula o muro da vizinha para roubar alguns. A velha impõe uma condição: deixará ele comer todos os rabanetes, desde que a criança seja dela. Direção: Leonardo Simões e Paulo Merisio. Elenco: Amanda Barbosa, Laís Batista e Ronan Vaz. Realização: Trupe de Truões.

21/03, às 10h30 e 15h: Perez & Gil – Piratas. Sinopse: Perez é um pirata que acha ter fracassado, que perdeu sua caravela e seus dias de glória, mas que não perdeu o entusiasmo e a esperança. Enquanto constrói seu novo (e pequeno) barco, revive com o papagaio e único tripulante, suas aventuras no mar. Tradução, Adaptação e Direção: Antonio Carlos Bernardes. Elenco: Renato Peres, André Brilhante e Cecília Hoeltz  Realização: ACB Teatral.

22/03, às 10h30 e 15h: O Príncipe Peralta. Sinopse: No distante e fantasioso reino de Ventoalém existiam dois povos: encantados e concretos. Encantados não podiam se casar com Encantados nem Concretos podiam se casar com Concretos. Direção: Angelo Faria Turci. Dramaturgia: Bruno Bacelar. Elenco: Bruno Bacelar, Anderson Nuud, Felipe Gouvêa e Caio Lisboa. Realização: Cia. Muito Franca!

23/03, às 10h30 e 15h: O Velho da Horta. Sinopse: Uma peça raramente montada, com poucos personagens e um humor bastante atual. Direção: Miguel Vellinho. Elenco: Liliane Xavier, Márcio Newlands, Márcio Nascimento e Raquel Botafogo. Realização: Cia. PeQuod.

24/03, às 10h30 e 15h: M’Boiguaçu. Sinopse: A peça simboliza o extermínio dos índios guaranis e pretende estimular a criatividade da criança, pô-la a par de um tema regional, através do qual poderá perceber que não se pode alimentar o mal, sob pena de sermos destruídos por ele. Direção Julio Cesar Saraiva. Elenco: Ludoval Campos, Marcela Coelho e Otávio Reis. Realização: Tibicuera & Cia.

28/03, às 10h30 e 15h: O Médico Camponês e a Princesa Engasgada. Sinopse: Conta o desafio que um camponês enfrenta ao se ver, de uma hora para outra, tendo que curar, não só a Princesa engasgada com uma espinha de peixe, como todos os doentes do reino – a astúcia e o acaso são seus aliados para enfrentá-lo. Direção: Marcos Edom. Elenco: Marcia Frederico e Rogério Freitas. Realização: Cia. Medieval.

29/03, às 10h30 e 15h: A Aranha Arranha a Jarra, A Jarra arranha o Trava-Língua. Sinopse: O espetáculo se organiza em quadros independentes, cada um deles determinado por um trava-língua que serve de base para a encenação. Dele saem as circunstâncias, os personagens, o humor, a música e o jogo de interação com o público. Direção e Dramaturgia: Demetrio Nicolau. Elenco: Marcella Dale e Marcela Coelho. Realização: Cia. Pop de Teatro Clássico.

Oficinas:

No primeiro dia, haverá uma palestra de abertura com a Prof.ª Dra. Ângela Reis (Uni-Rio) às 14h30. Logo a seguir, acontecerá a segunda sessão do primeiro espetáculo da programação -Local: Teatro de Arena da Caixa Cultural Rio.

22 a 24/03, das 10h às 12h: Oficina 1 – “Todas as artes levam ao teatro”, com Marcia Frederico – Local: Sala Margareth Nascimento.

22 a 24/03: 14h às 16h: Oficina 2 – “Processo criativo”, com Miguel Vellinho – Local: Sala Margareth Nascimento.

14/03: 16h30 – Bate-papo final com participação de representantes (autor ou diretor) dos grupos e companhias participantes, com mediação de Humberto Braga.

Booking.com