Home Teatro & DançaSão Paulo Cia. Mundu Rodá celebra 20 anos com mostra de repertório presencial em sua sede no Ipiranga

Cia. Mundu Rodá celebra 20 anos com mostra de repertório presencial em sua sede no Ipiranga

por Jorge Rodrigues

Os espetáculos “Memórias da Rabeca”, “Donzela Guerreira” e o infantil “Vida de cão, coração de herói” serão apresentados na Casa Mundu Rodá e haverá bate-papos com histórias de vinte anos de trajetória.

Cia. Mundu Rodá promove temporada presencial de espetáculos emblemáticos de seu repertório

Na próxima semana, a Cia. Mundu Rodá abre sua sede, a Casa Mundu Rodá, que fica na Rua Southey, 106, Ipiranga, São Paulo-SP, para celebrar vinte anos de história com uma mostra de repertório.

Respeitando os protocolos de segurança, o grupo promove apresentações presenciais de três espetáculos diferentes com ingressos gratuitos, que poderão ser reservados por email  munduroda20anos@gmail.com, além de bate-papos sobre experiências criativas traçadas ao longo das andanças pelos rincões do Brasil e no mundo. De 10 a 12, as apresentações serão com tradução em Libras.

Nos dias 09 e 10 de dezembro (quinta e sexta-feira), às 20:00, o grupo apresenta “Memórias da Rabeca”, espetáculo solo executado pelo artista Alício Amaral que traz à tona histórias e personagens à margem da sociedade através de memórias guardadas por sete rabecas.

Inspirado na obra de poetas e rabequeiros como Cego Oliveira, Cego Aderaldo e Cego Sinfrônio, Seu Nelson (AL) e Fabião das Queimadas (1848-1928), o espetáculo é fruto de uma pesquisa artística e histórica sobre rabequeiros que marcaram a música e a poesia no Brasil. O grupo realizou intercâmbios com rabequeiros da Cultura Caiçara, Quilombola e Indígena do Litoral Paulista, além da pesquisa de campo continuada com rabequeiros de Pernambuco, Alagoas e Rio Grande do Norte.

No dia 11 de dezembro (sábado), às 20:00, é a vez do espetáculo “Donzela Guerreira”, que conta a história de uma jovem que se disfarça de homem para seguir em combate no lugar do pai, mas acaba se apaixonando por seu Capitão. Uma personagem presente em muitas culturas e civilizações, não apenas na literatura dita como oficial (Mu-lan, Electra, Diadorim), mas também na de cordel (Teodora), em romances de tradição oral (Don Varão, Maria Gomes), na mitologia (Palas Atena, Iansã), na História (Joana D’Arc, Maria Quitéria, Santa Dica) e na música erudita (Il combattimento di Tancredi e Clorinda – Monteverdi).

O espetáculo não só representa a vida de uma donzela que vai à guerra, mas propõe uma reflexão sobre o gênero e sobre o amor, em uma abordagem ampla e aberta, convidando o espectador a participar ativamente na construção da narrativa, preenchendo as lacunas e criando sua própria interpretação.

Encerrando a Mostra, no dia 12 de dezembro (domingo), às 16:00, o espetáculo infantil “Vida de cão, coração de herói” conta a saga de um cãozinho corajoso que ao sobreviver ao rompimento da barragem na região de Mariana-MG, sai em busca de sua família, navegando entre surpresas e aprendizados.

Com leveza e poesia, o espetáculo conta a história de um cãozinho vira-lata que em seu “barco” improvisado, o Titanica, se aventura pela lama que cobriu sua casa e toda sua vizinhança para procurar sua família, da qual ele acabou se perdendo durante a fuga. Nessa grande e inusitada jornada, o cão chega ao Rio Doce, onde conhece vários personagens que irão tentar ajudá-lo a alcançar o seu objetivo.

A história é baseada no rompimento de uma das barragens da mineradora Samarco, localizada no município de Mariana-MG, em 05 novembro de 2015. Um dos maiores desastres ambientais ocorridos no mundo, que além de devastar a comunidade rural de Bento Rodrigues com uma avalanche de rejeitos de minérios de ferro, produziu uma lama tóxica soterrou plantas, animais e toda vida aquática por onde passava, chegando até a foz do Rio Doce, invadindo o mar na cidade de Regência, no Espírito Santo.

Com músicas, animações e um cenário marcante, em “Vida de cão, coração de herói” a Cia. Mundu Rodá mergulha no universo infantil e convida crianças e famílias a refletirem sobre o meio ambiente e a importância do cuidado com a natureza, em uma história de superação, coragem e esperança.

Com vinte anos de estrada, a Cia Mundu Rodá (SP), fundada por Juliana Pardo e Alício Amaral, vem construindo uma linguagem cênica própria a partir da observação, do contato e do diálogo com as Danças Tradicionais Brasileiras e o Trabalho do Ator/Músico/Bailarino.

Ministrando aulas, oficinas, preparações e com nove espetáculos no repertório: Donzela Guerreira (2007); Sambada de Reis (2005); Estrada (2010); Memórias da Rabeca (2017); Show Rabeca Primeira Sonora (2018); Figuras Inesperadas (2018); Vida de Cão, Coração de Herói (2019); Arigós -Bandeira, Espinha-de-Peixe, Cara-de-Gato (2020), Ecos das Margens (2021), o grupo já viajou para os rincões do Brasil e para países como China, Dinamarca, França, Inglaterra, República Tcheca, Itália e Portugal.

As ações fazem parte do projeto Mundu Rodá 20 anos: Criação e Pedagogia – Uma História Vivida com as Artes Cênicas nicas Brasileiras contemplado no Edital Proac Expresso Lei Aldir Blanc 47/2020

Mais informações em:  www.munduroda.com / Facebook: Mundu Rodá / Instagram: @munduroda

SERVIÇO: Mostra II de Repertório Cia. Mundu Rodá 20 anos

Temporada: 09 a 12 de dezembro de 2021

Onde: Casa Mundu Rodá – Endereço: Rua Southey, 106, Ipiranga, São Paulo – SP, 04276-080

Capacidade: 20 lugares –  Reserva de ingressos por e-mail: munduroda20anos@gmail.com

Acessibilidade: Tradução simultânea em Libras nas apresentações dos dias 10, 11 e 12 de dezembro

Bate-Papo: após cada apresentação haverá um bate papo do público com a Cia. Mundu Rodá

Classificação Livre – Grátis

Programação: 

Quando: 09 e 10 de dezembro de 2021 (quinta e sexta-feira) – Horário: 20:00

Espetáculo: “Memórias da Rabeca”

Sinopse: Espetáculo-solo que revela memórias guardadas por sete rabecas, trazendo à luz histórias e personagens à margem da sociedade. Memórias que ecoam e atravessam os tempos e seus guardiões – os rabequeiros brasileiros – colocando em foco dinâmicas das relações entre o humano e a rabeca. Um convite para o encontro com a multiplicidade do universo da rabeca. A rabeca torna-se a voz, os pés e as mãos do ator que a toca, e o ator torna-se a vibração de suas cordas e sua música. Duração: 60 minutos

Acessibilidade: Tradução simultânea em Libras na apresentação do dia 10 de dezembro

 

Quando: 11 de dezembro de 2021 (sábado) – Horário: 20:00

Espetáculo: “Donzela Guerreira”

Sinopse: Amor impossível, revelação tardia e saudade incomensurável. Uma jovem que se disfarça de homem para seguir em combate no lugar de seu velho pai, representando o único filho varão da família e, já como soldado, se apaixona por seu Capitão e este por ela. Sem revelar sua verdadeira identidade, Donzela e Capitão travam suas próprias batalhas, colocando à prova seus princípios, sentimentos e desejos. Duração: 60 minutos

Acessibilidade: Tradução simultânea em Libras

 

Quando: 12 de dezembro de 2021 (domingo) – Horário: 16:00

Espetáculo: “Vida de cão, coração de herói”

Sinopse: O rio que era Doce, azedou… Pense num cachorro manso, brincalhão, que adorava sua dona e que vivia num vilarejo bonito e tranquilo. Pensou?!?! Agora, pense numa onda gigante de lama tóxica inundando esse povoado e deixando o bichinho sozinho. Deu ruim, né? É assim que começa essa estória. Sem sinais de resgate, o esperto vira-lata decide embarcar numa poltrona toda destruída e navegar pelo Rio Doce em busca da sua família da espécie “gente”: uma viagem pelo leito contaminado repleta de surpresas, emoção e aprendizagem. Até onde vai essa aventura enlameada? Duração: 60 minutos

Acessibilidade: Tradução simultânea em Libras

Matérias relacionadas

Deixe um comentário