20.8 C
New York
junho 19, 2019
Teatro & Dança

Tchekhov é um cogumelo

foto. Jennifer Glass
foto. Jennifer Glass

Helena Ignez celebra 80 anos com montagem que, através de variados recursos tecnológicos, encena trechos do clássico As Três Irmãs, de Anton Tchekhov. A montagem, da Cia Lusco-Fusco, tem direção de André Guerreiro Lopes e estreia, dia 14 de junho no Clara Nunes

São inestimáveis as colaborações de Helena Ignez para a Cultura Brasileira. A atriz e diretora, musa do Cinema Novo cujo talento só fez perpetuar-se ao longo dos anos, vai celebrar seus 80 anos fazendo o que mais gosta: atuando. Ela estrela  “Tchekhov é um cogumelo”, nova montagem do Estúdio Lusco-Fusco, que tem direção de André Guerreiro Lopes. o espetáculo mistura teatro, dança, recursos tecnológicos (da neurociência, inclusive) e música ao vivo para montar de forma original trechos do clássico “As Três Irmãs”, do autor russo Anton Tchekhov (1860-1904). A montagem, sucesso em São Paulo e em Portugal, chega ao Rio dia 14 de junho, quando faz curta temporada no Teatro Clara Nunes, no Shopping da Gávea, onde terá sessões de sexta a segunda-feira.

A encenação retrata a vida de três mulheres presas nas memórias de um tempo passado e acuadas por um mundo em transformação. Atrizes de diferentes gerações, Djin Sganzerla, Helena Ignez eMichele Matalon, criam um jogo cênico que embaralha os diversos tempos. Seriam elas as três irmãs ou a mesma mulher em três momentos da vida?

A partir das contradições do presente, a peça cria uma reflexão sobre os temas da apatia, do caos, do medo e do desejo de mudança. O elenco tem, ainda, a participação  dos dançarinos Samuel Kavalerski e Fernando Rocha, do cantor e ator Cleber D’Nuncio e do grupo musical Embatucadores.

Durante a apresentação, o diretor André Guerreiro Lopes veste um capacete de eletrodos que capta sua atividade cerebral e emoções, ativando uma instalação sonora e visual desenvolvida pelo músico Gregory Slivar. Dessa forma, as ondas mentais produzidas pelo encenador controlam frequências que tocam sinos e fazem vibrar poças d’água nesse aparato tecnológico instalado no palco.

Além disso, são projetadas no espaço cênico trechos de uma entrevista em vídeo feita em 1995 por André Guerreiro e alguns colegas com José Celso Martinez Corrêa. Nas imagens, o diretor do Teatro Oficina conta sobre o processo criativo radical pelo qual o grupo passou em 1972 para a montagem de ‘As Três Irmãs’. E relata como uma experiência com substâncias alucinógenas permitiu a compreensão da obra de Tchekhov. Essa conversa foi publicada no livro ‘PRIMEIRO ATO – Cadernos, Depoimentos, Entrevistas (1958/1974)’, do próprio Zé Celso, mas as filmagens permaneceram inéditas por mais de 20 anos.

O espetáculo, que estreou em 2017, foi indicado aos prêmios APCA (na categoria de melhor espetáculo) e Shell (de melhor música), além de ter sido eleito um dos três melhores daquele ano pelos críticos do jornal Folha de S.Paulo. A montagem original marcou os 10 anos de trajetória do Estúdio Lusco-Fusco.

SINOPSE
Teatro, dança, neurociência e música ao vivo se encontram neste espetáculo para abordar de forma original a peça “As Três Irmãs”, de Anton Tchekhov, uma das obras primas da dramaturgia russa. Três mulheres cercadas por um mundo em intensa transformação atravessam uma jornada de surpresas, desencantos e esperanças. Em cena, o próprio diretor interfere de forma inusitada no espetáculo: vestindo um capacete de eletrôdos, suas ondas mentais e pensamentos controlam luzes e sons durante a apresentação.

FICHA TÉCNICA

DireçãoConcepção e Adaptação: André Guerreiro Lopes
Texto: extratos de “As Três Irmãs”, de Anton Tchekhov

Elenco: Djin Sganzerla, Helena Ignez, Michele Matalon, Samuel Kavalerski, Fernando Rocha e Cleber D’nuncio

Cenário e Figurinos: Simone Mina
Direção Musical e Instalação Sonora: Gregory Slivar
Iluminação: Marcelo Lazzaratto
Assistente de Direção e Direção de Cena: Rafael Bicudo
Participação Especial: Grupo Embatucadores
Preparação de Canto e Músicas Tradicionais: Roberto Moura
Produção Executiva: Sandro Rabello
Produção Local:Flandia Mattar
Direção de Produção: Djin Sganzerla – Mercúrio Produções Ltda.
Visagista: Patrícia Boníssima
Direção de Vídeo: André Guerreiro Lopes
Operação de Luz: Ricardo Barbosa
Operação de Som: Renato Garcia
Pós-produção e Operação de Vídeo: Ricardo Botini
Contraregra: Manu Muniz

SERVIÇO

Tchekhov é um Cogumelo (a partir de ‘As Três Irmãs’, de Anton Tchekhov)

Temporada: 14 de junho a 01 de julho
Dias e horários: sexta a segunda, às 21h, e domingos, às 20h
Local: Teatro Clara Nunes (Shopping da Gávea, 3º piso. R. Marquês de São Vicente, 52, Gávea. Tel: 2274-9696)
Ingressos: R$ 60 (inteira) e R$30 (meia)
Classificação: 12 anos
Duração: 90 minutos

Posts relacionados

Dança leva bailarina carioca à Los Angeles

Redação

Espetáculo A Comédia que Virou reestreia no Teatro Café Pequeno

Redação

“Plataforma Dança Intercâmbio” traz ao Rio importantes nomes da Dança Moderna

Redação

A Fabulosa Trupe da Galinha Pintadinha no Teatro Imperator

Redação

Era uma vez… Chapeuzinho Vermelho

Redação

CCBB Rio apresenta “Natal Brasileiro

Redação

Deixe um comentário