Shakespeare no Planetário

  • Concerto gratuito homenageia os 400 anos de Shakespeare no Planetário, com canções e árias inspiradas na obra do dramaturgo inglês

  • Marina Cyrino e Marília Zangrandi sobem ao palco acompanhadas pelo piano de Vitor Philomeno. Apresentação está marcada para 8 de dezembro

Os 400 anos de morte de Shakespeare, completos este ano, são enaltecidos por incontáveis expressões artísticas. O dramaturgo inspirou todos os campos da cultura mundial, inclusive a ópera e o canto lírico. O Planetário do Rio recebe, no próximo dia 8 de dezembro (quinta-feira), um concerto de canções e árias baseadas na obra do autor. Os sopranos Marina Cyrino e Marília Zangrandi sobem ao palco acompanhadas pelo piano de Vitor Philomeno, numa apresentação gratuita.

As cantoras passeiam por árias de “Otello”, de Giuseppe Verdi,  “I Capuleti e i Montecchi”, de Vincenzo Bellini e “Romeo et Juliette”, de Charles Gounod. Além das óperas, serão apresentadas canções de Francis Poulenc, Hector Berlioz, Joseph Haydn e Erich Wolfgang Korngold – que são baseadas em textos do Grande Bardo como “Hamlet” e “O mercador de Veneza”.

Na concepção do espetáculo, explica Marília Zangrandi, a escolha da temática veio da paixão pelos textos e pela profundidade dos personagens shakespearianos. Marina Cyrino acrescenta que buscaram viajar por diversos períodos da música: “O repertório escolhido vai desde o período clássico, de Haydn, até o pós-romântico de Poulenc. A ópera e o canto lírico devem muito à obra de Shakespeare”. 

 

Ficha técnica
Vitor Philomeno – direção musical e piano
Marília Zangrandi – soprano

Marina Cyrino – soprano

Serviço
Data: 8 de dezembro de 2016 (quinta-feira)
Horário: 19h30
Local: Auditório Sérgio Menge, no Planetário do Rio de Janeiro
Endereço: Rua Vice-Governador Rúbens Berardo, 100 – Gávea, Rio de Janeiro – RJ, 22451-070
Telefone: 2274-9972
Ingressos: Grátis
Classificação Livre

—-
Artistas

Marília Zangrandi
Soprano lírico carioca, graduada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, aluna de Luciana Melamed, sob orientação vocal de Vitor Philomeno. Ganhou o prêmio de Melhor Intérprete de Canção de Carlos Gomes em 2016. Em dezembro de 2014, sob a direção de Graciela Araya, participou da estréia nacional da ópera de Monteverdi,L’incoronazione di Poppea, no Rio de Janeiro, como Poppea, e cantando novamente em 2015 em Surrey, na Inglaterra, sendo elogiada pela crítica. Integrou a Lotte Lehmann Akademie 2013, em Perleberg, onde trabalhou com nomes como Karan Armstrong, Thomas Moser, Janet Williams, Klaus Sallmann e outros. Já teve aulas com Eliane Coelho, Nelson Portella, Valentina Valentini, em Roma, Leila Guimarães, Adelaida Negri, Lício Bruno e Victor Olivares. Participou de masterclasses, no Brasil e no exterior, com Rockwell Blake, Mirella Freni, Graciela Araya, Antonio Juvarra, Karen Saillant, Fabio Centanni, Mitzuko Shirai, Jeffrey Gall, Maria Venutti, e também de operastudios oferecidos pela Academia de Santa Cecilia em Roma.

Marina Cyrino
Marina estudou canto e interpretação com grandes nomes no Brasil e nos Estados Unidos, com destaque para professores das famosas escolas de Juilliard, Northwestern e HB Studio. Nos últimos anos, vem se destacando no cenário musical carioca, sendo solista em óperas como “Os Prazeres de Versalhes” de Charpentier, “O Morcego” de Strauss e “L’Incoronazzione di Poppea” de Monteverdi, e em produções de música de câmara, como o concerto “Calvariae”, com peças de Vivaldi e Pergolesi, e o espetáculo “Mélodies”, que levou canções francesas para teatros no Rio e Niterói. Em São Paulo, foi solista na execução do Magnificat de Vivaldi, com a Orquestra Jovem Municipal de Guarulhos, sob a regência de Emiliano Patarra. Seu projeto “Ópera com cara de cinema” busca, com clipes de árias de óperas, mostrar que ópera é jovem e para todos.

Vitor Philomeno

Vitor Philomeno é um dos principais preparadores vocais e artistic managers do Brasil. Solidificou seu nome com enfoque técnico e estilístico com papéis operísticos dos mais variados períodos musicais, trabalhando com profissionais do calibre de Cristina Gallardo-Domâs, Graciela Araya, Martin Muehle, Claudia Riccitelli, Mere Oliveira, Mirna Rubim, Tati Helene, Atalla Ayan, Marcelo Ferreira, Marcello Vanucci, Rinaldo Leone, Chiara Santoro, Aníbal Xavier, entre muitos outros. Como pianista correpetidor, colaborou como banca para as audições do Theatro São Pedro em 2010 e 2011, em masterclasses e ensaios para Graciela Araya, Nancy Fabiola Herrera, Giacomo Aragall, Teresa Berganza, Maria Pia Piscitelli, The King’s Singers,  Nicolau de Figueiredo, Luisa Giannini, Marília Vargas e outros artistas de igual renome nacional e internacional. Hoje Philomeno se mantém no eixo Rio -São Paulo, trabalhando intensamente com artistas importantes de ambas as cidades, além de ser convidado para festivais de opera nacionais e internacionais. 

Seu trabalho lhe rendeu inúmeros destaques, como a preparação vocal do elenco da estreia brasileira da ópera “Il barbiere di Siviglia”, de Giovanni Paisiello, direção de Enzo Dara e regência de Sergio Monterisi no Theatro São Pedro em setembro de 2012; e concerto com Graciela Araya na sua primeira interpretação do “Kindertotenlieder”, de Gustav Mahler, também no Theatro São Pedro – São Paulo.

Em 2014 inaugurou o Opera Atelier Artists, empresa de gerenciamento artístico referência no mercado nacional e inserção de novos talentos para produções eruditas, tendo colaborado proximamente com diretores de orquestra e régisseurs do país inteiro, oferecendo soluções de casting e material artístico/didático para produções.