16.8 C
New York
maio 23, 2019
Música

Samba e choro com os grupos Choro da Glória & Jequitibá do Samba

Choro da Glória
Choro da Glória

Na véspera do feriado da Proclamação da República, o Trapiche Gamboa realiza duas rodas, em uma dobradinha especial pros amantes da música brasileira, com os grupos Choro da Glória & Jequitibá do Samba. O Choro da Glória toca garbosamente os clássicos do gênero, alternados com suas composições próprias, entre os muitos improvisos característicos das rodas de choro. O Jequitibá do Samba faz uma “roda de samba de responsa”, em que todos tocam e cantam os muitos sambas tradicionais (mesmo os pouco explorados) dos grandes compositores, como Nelson Cavaquinho, Noel Rosa, Cartola, Candeia, Zé Kéti, Mauro Duarte, Paulinho da Viola Paulo César Pinheiro, desde os primeiros compostos, passando pelos da década de 30, pelos sambas-enredo, até chegarem aos sambas autorais dos integrantes (quase todos compõem e já gravaram em CDs) e de compositores contemporâneos.

Eles convidam todos a proclamar a liberdade e celebrar a música brasileira.

CHORO DA GLÓRIA
O Choro da Glória é um grupo instrumental do Rio de Janeiro dedicado ao Choro. Criado em 2015 com a formação de um time fixo de músicos, teve origem na roda que acontecia semanalmente desde 2014 na Rua Benjamin Constant 104, no boêmio bairro da Glória, de maneira informal e motivada pela vontade dos músicos Lucas Porto e Diego Terra de reunir-se com os amigos para tocar o gênero.

De lá para cá, o grupo seguiu com a roda quase ininterruptamente, se aproximando das 200 edições, e recebendo músicos e o aumento exponencial de espectadores (do mundo todo). Em 2016 lançou o show, o “Choro da Glória – Inéditas”, no qual apresentava o seu lado mais criativo e cujo repertório deu origem em 2017 ao CD “Choro da Glória” — álbum de estreia do grupo, com temas e arranjos inéditos de Lucas Porto e Bernardo Diniz. Com este trabalho e trajetória, o grupo contribui com a continuidade e renovação do mais antigo gênero urbano de nosso país.

Integrantes:Anderson Balbueno – pandeiro, Bernardo Diniz – cavaco, Diego Terra – sax, Lucas Porto – violão 7 cordas, Pedro Barros – violão 6 cordas, e Rodrigo Milek – clarinete.

JEQUITIBÁ DO SAMBA

Jequitibá do Samba
Jequitibá do Samba

Criado em 2010, o Jequitibá do Samba é formado por jovens músicos atuantes nas rodas de samba e choro de tradicionais casas (como o Trapiche Gamboa, o Carioca da Gema e a Casa do Choro), entre outras formações, como o “Samba da Ouvidor”. Diferencia-se dos demais grupos por ter como característica marcante um repertório de sambas tradicionais de todas as épocas, como os inesquecíveis da década de 1930 do Estácio, passando pelos sambas das primeiras Escolas do Rio, pelas obras-primas (mesmo as pouco exploradas) dos grandes compositores e enaltecendo também os sambas de roda e os sambas autorais dos integrantes.

A sonoridade, fruto do trabalho cuidadoso de cada componente, o entrosamento de anos entre eles e a liberdade para todos cantarem, além de tocarem, também são notáveis na formação.

Entre 2010 e 2016, o grupo “marcou época” com sua roda mensal, aos domingos, na Ilha de Paquetá, e por quase um ano, desde setembro de 2017 até este outubro, fizeram sucesso com sua roda quinzenal no Catete, onde receberam ilustres convidados (Pedro Amorim, Eduardo Gallotti, Elisa Addor, Nina Wirtti, Glória Bomfim, Marcos Sacramento, Paulão 7 Cordas, Áurea Martins, Ana Costa e Pedro Miranda) e deliciosas canjas (Paulão 7 Cordas, Moyseis Marques, Makley Matos, Chico Alves, Suzana Dal Poz, Simone Franco e Anderson Vaz, o bandolinista Luis Barcelos e o cavaquinista e cantor Leonardo Pereira).

Integrantes: Anderson Balbueno: Percussão e voz, Bidu Campeche: Percussão, Iuri Bittar: Violão 6 cordas e voz, Jeferson Scott: Percussão e voz, Julião Pinheiro: Violão 7 cordas e voz, e Ronaldo Gonçalves: Cavaquinho e voz.

Couvert artístico: R$10. 18 anos. A casa abre às  18h.

QUARTA-FEIRA 14/nov, às 19h30
Classificação da casa: durante a semana: livre com responsável | sextas e sábados: 18 anos.
Abertura da casa: quintas: 18h30 | quarta, sextas e sábados: 18h.
Horários dos shows: quintas: 19h30 | quarta, sextas e sábados: 19h.
Aceita cartões de crédito e débito.
Faz reservas de mesas (tels.: 2516 0868).
Capacidade: 250 pessoas.

Rua Sacadura Cabral, 155 – Gamboa (próximo à Praça Mauá, entre a Pça. Mauá e o Hospital dos Servidores)
Tels.: 2516-0868 / 2233 9276

www.trapichegamboa.com

Facebook: https://www.facebook.com/trapichegamboa?fref=ts

Instagram: http://instagram.com/trapichegamboarj/

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCV0bChwM5Ba9L_SIblPxbVQ

Posts relacionados

Joanna apresenta seu Show “De volta ao começo” no Teatro João Caetano

Redação

“O Samba é bom de qualquer jeito” com Arlindinho, Jorge Aragão e Suel no Renascença Clube

Redação

Olivia Hime apresenta Espelho de Maria 

Redação

Crítica | The 1975 no Circo Voador

Redação

Andrea Ferrer apresenta o show “Versos e Reversos do Amor”no Beco das Garrafas

Redação

Samantha Mainine se apresenta na Audio Rebel

Redação

Deixe um comentário