2.1 C
New York
janeiro 15, 2019
Exposição

Rio de Janeiro ganha primeiro museu de arte urbana a céu aberto

Apolo Torres
Apolo Torres

Museu de Arte Urbana do Porto será inaugurado em outubro, com plataforma digital e um Centro de Arte, na Zona Portuária.

Em outubro, a cidade do Rio de Janeiro vai ganhar seu primeiro museu a céu aberto, colocando o mapa da arte urbana carioca ao alcance de todos, na ponta dos dedos. Idealizado por Andre Bretas e Joa Azria (coordenador geral do projeto), nomes importantes por trás da revitalização da área portuária através do grafite, o Museu de Arte Urbana do Porto (MAUP) será inaugurado oficialmente dia 18, com o lançamento da plataforma digital, que traz mais de 50 murais da cidade catalogados e mapeados para quem quiser ver. Espalhados pelas imediações de Santo Cristo, Gamboa e Boulevard Olímpico, os grafites poderão ser conferidos em dois roteiros distintos para serem feitos a pé

O objetivo do MAUP é não só promover a arte urbana como informar e fomentar esse mercado que só cresce no país e no mundo. Pensando nisso, um dos focos do projeto é também capacitar jovens da região para ajudar na pintura e reforma de fachadas, além de trabalhar como guias turísticos de arte urbana. A inspiração veio de Wynwood, famoso bairro de Miami, revitalizado por meio da arte. “Já tem tempo que a zona portuária vem se tornando uma importante referência artística para o Rio, com museus, ateliês e um grande número de painéis criados por artistas nacionais e internacionais. A exemplo do que vem acontecendo lá fora, não tenho dúvida que o museu do futuro será virtual e na rua, diz Andre.

Atualmente, a coleção do MAUP é composta por cerca de 50 grafites de dimensões monumentais. E o melhor, com um acervo que não para de crescer. Os mais recentes trabalhos a integrar a lista são dos paulistas Apolo Torres e Erica Mizú, que vieram ao Rio, em março, a convite do projeto de muralismo RUA WALLS. Até o lançamento, mais três artistas deixarão sua arte em prédios da cidade (cedidos pela Kreimer Engenharia) através do projeto do museu: o holandêLeon Keer, famoso por suas pinturas em 3d (que vem com o apoio do Consulado da Holanda); Rero, artista francês que trafega entre o urbano e o contemporâneo (com o apoio do Consulado da França); e a dupla de brasileiros do 8-bitch, conhecida por suas intervenções usando azulejos, pastilhas de vidro, tinta spray ou acrílica (com o patrocínio da marca de tintas Suvinil, através do programa Além Da Cor, da Tishman Speyer; e dos apoios da CDURP, MILLS e do Hotel Intercity Porto Marvilha, hospedagem oficial dos artistas do MAUP). Em dezembro, mais uma pintura já está programada com o artista francês, Remed, que tem como marca mensagens filosóficas em caligrafia, escritas em paredes, metais e todo o espaço urbano.

Através da plataforma, os amantes de arte urbana poderão conferir todo o acervo do MAUP e conhecer um pouco mais sobre cada artista. Na galeria, além de imagens dos murais, o visitante encontra a descrição das artes, contendo título, data da pintura e técnica utilizada. Para completar, através de uma busca rápida pelo nome do artista é possível saber onde sua obra está localizada. O mapa terá versão de bolso (impresso em pequenas edições de 1.000 exemplares colecionáveis) e digital com os dois roteiros para seguir.

O do Boulevard Olímpico” pode ser percorrido em 2h e inclui cerca de 20 grafites de artistas como da carioca Panmela Castro, grafiteira e ativista feminina conhecida por suas pinturas de protesto contra a violência doméstica e pela bandeira da sororidade; Eduardo Kobra, autor do mural “Etnias”, que entrou para o “Guinness” como o maior grafite do mundo; do carioca autodidata, Andre Kajaman, um dos organizadores do projeto Meeting of Favela, o maior evento colaborativo de grafite do mundo; entre muitos outros.

Já o roteiro do Santo Cristo leva aproximadamente 4h, percorrendo os murais localizados da Gamboa até o Boulevard (cerca de 50), incluindo grandes empenas pintadas pelos artistas internacionais, Brusk (França) e Pantonio (Portugal); as artes dos paulistas Titi Freak e Luna Buschinelli; além de trabalhos do duo brasileiro, Cosmic Boys, e da artista plástica francesa, Mademoiselle Maurice, que ficou famosa por suas instalações feitas com origami.

O roteiro pode ser feito com guias ou por conta própria. Quem desejar o serviço de visita guiada deverá agendar previamente pelo site. Em breve, os visitantes também poderão conferir pequenas exposições de arte urbana com prints e peças de artes dos artistas que fazem parte do acervo no MAUP Art Center, que ficará localizado no prédio Aqwa Corporate, da Tshman Speyer, no Santo Cristo. O projeto também prevê uma lojinha de souvenir com artigos relacionados ao universo da arte de rua, como gravuras, moleskines e bicicletas elétricas.

Posts relacionados

Curador realiza visita guiada como encerramento de exposição

Redação

Exposição Ancestralidades Contemporâneas apresenta Brasis desconhecidos

Redação

Exposição ‘Preto Branco’ no Espaço Furnas Cultural

Redação

Leandro Machado apresenta a exposição de fotos e o livro “Arqueologia do Caminho” em Santa Teresa

Redação

Galeria paulistana recebe obras de Andrey Rossi e Thiago Toes

Redação

O Volta – Coletivo de Arte apresenta a nova exposição, ‘Coexistência’, no Centro Cultural Correios

Redação

Deixe um comentário