Renato da Rocinha e Juninho Thybau levantam o público do Samba da Feira

foto: Arquivo/Agência Brasil
foto: Arquivo/Agência Brasil

Seguindo com o sucesso do “Samba da Feira”, a roda de samba que conquistou o público do Engenho de Dentro, na zona norte carioca, dia 13 de janeiro é a vez de Renato da Rocinha e Juninho Thybau. Representando os grandes talentos da nova geração do samba, Renato e Juninho serão os convidados especiais do Grupo Bororó para a próxima edição no sábado, dia 13. O evento gratuito começa às 15 horas e se estende até 23 horas, nos Armazéns do Engenhão, na parte externa do Estádio Nilton Santos.

Pelo ‘Samba da Feira’, já passaram craques como: Diogo Nogueira, Xande de Pilares, Reinaldo, Noca da Portela, Leandro Sapucahy, Revelação, Arlindinho, Marquynhos Sensação, Marquinho PQD, Juliana Diniz,, Samba Xoxo, Samba do Chapéu, Soul mais Samba, João Martins, Renato da Rocinha, Grupo do Arruda, Renato Milagres, Rafael Bezerra, Familia Macabu e RDN.

A roda que começou despretensiosamente no quintal de uma casa em Piedade, agora é programa certo para famílias inteiras, das crianças aos idosos. São mais de 500 pessoas por sábado. Ao longo de quase dois anos, mais de 30 mil pessoas já curtiram o Samba da Feira. Além de ser a melhor opção de lazer para a galera do subúrbio – evento gratuito, com infraestrutura e segurança –, o Samba da Feira é também uma oportunidade de movimentar a economia local e dar oportunidade de trabalho e negócios para muita gente: músicos, equipe de bar, empresas de aluguel de cadeiras e banheiros químicos.

Renato da Rocinha
Músico nascido e criado na favela da Rocinha, Renato é um jovem que chega para somar seu talento ao mundo do samba. Compositor e dono de uma voz que lembra os antigos intérpretes do gênero, começou a se apaixonar pelo samba logo cedo influenciado pelo pai que também era sambista. Aliás, foi o pai de Renato que idealizou as tradicionais rodas de samba da Rocinha, comunidade onde nasceu, cresceu e mora.

Tamanha paixão resultou em seu primeiro CD “Qualquer lugar”, selecionado para indicação ao Prêmio da Música Brasileira (2011) nas categorias: melhor álbum de Samba e melhor cantor. Esse mesmo álbum foi lançado no tradicional Teatro Rival Petrobras, em agosto de 2010, e contou com a colaboração ddos músicos do grupo Galocantô, das rodas de samba da Tia Doca, Tia Ciça, Beco do Rato e Pedra do Sal.

No repertório músicas inéditas e quatro regravações. Um dos destaques é Rocinha, de Paulo César Pinheiro e João Nogueira, com participação especial de integrantes da Velha Guarda e da Bateria da Acadêmicos da Rocinha. O segundo CD denominado “Moleque Bom”, saiu em 2014. O álbum brinda os fãs com faixas autorais que surpreendem pela qualidade e pela musicalidade.

Renato traz em seu currículo shows ao lado dos mestres como Monarco e Wilson Moreira, baluartes do samba; participação especial no show de Almir guineto e Quintal do Pagodinho; além de realizar mensalmente o “Samba de Buteco” em Jacarépaguá. Passando por programas relevantes como o Programa “Sem Censura”, com Lêda Nagle, e o Camarote do samba com Carlinhos de Jesus, no Samba social clube, na Rádio MPB FM.

Juninho Thybau
Roberto José Fernandes Júnior, ou, simplesmente, Juninho Thybau, é da linhagem nobre do samba. O avô, Thybau, mantinha em casa as tradicionais rodas de samba. Filho de Beto Gago, compositor de talento reconhecido, com sucessos como Faixa Amarela, Se Eu For Falar de Tristeza, Tempo de Criança, entre outras. Juninho Thybau traz no sangue o amor pela música, em especial, pelo samba.

Cantor e compositor, de alma e coração, Juninho Thybau, com apenas 29 anos, já tem uma trajetória respeitável dentro dos lugares mais conceituados. Quem nunca ouviu falar do Cacique de Ramos ou Pagode da Tia Doca? Quando o assunto é Partido Alto, Juninho Thybau é considerado, hoje, um dos principais nomes do gênero, sendo herdeiro e um dos responsáveis por dar prosseguimento à arte de improvisar. Tendo a música como profissão, costuma compor em casa com amigos, nos botecos da vida ou aonde a inspiração chega.

Uma prova do talento desse representante da mais nova geração do samba é a música A Vitória Demora Mais Vem, gravada por Diogo Nogueira e Eu carrego o patuá, gravada por Mariene de Castro. E não para por ai! Ele também participou do CD Baú da Dona Ivone Lara, DVD do Quintal do Pagodinho e DVD Samba Social Clube da Nova Geração. Saindo das influências da família, Grupo Fundo de Quintal, Cartola, Monarco, Noel Rosa, Nelson Cavaquinho e João Nogueira são alguns dos nomes que servem como referência para Juninho.

Gravou em 2014 um CD com composições de Zeca Pagodinho e do pai, Beto Gago – Se eu for falar de tristeza – Diogo Nogueira, Ciraninho, Alexandre Chacrinha, além de diversas canções próprias ou em parceria com os amigos. Em 2016 gravou seu EP produzido pelo maestro RILDO HORA, e com a participação da batucada do Grupo Fundo de Quintal.

Serviço:
Samba da Feira recebe Renato da Rocinha e Juninho Thybau
Sábado, dia 13 de janeiro de 2018, das 15h às 23h
Armazéns do Engenhão
Endereço: (Pça do Trem – em frente à Estação Engenho de Dentro)
Entrada franca
Classificação livre.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.