Renascença Clube completa mais um ano de vida

No próximo dia 17/2 o Renascença Clube faz aniversário. São 67 anos de luta contra a exclusão e pela democratização cultural. Para comemorar, o Clube vai intensificar a sua programação cultural. Na agenda, abrindo a temporada 2018, o RenaCine – mostra de cinema negro do Renascença – apresenta, dia 2/3, às 18:30 h, o documentário “Tempo Ê” sobre a obra e vida de Zé Luiz do Império, um dos baluartes da escola verde e branca de Madureira. Para comemorar o Dia Internacional da Mulher, o Renascença investe na saúde da mulher. Por meio dos Departamentos Cultural e Social, desde março de 2014 o Clube tem uma parceria com a mastologista Dra. Sandra Gioia, do Inca, no desenvolvimento de um Programa de Rastreamento Organizado de Câncer de Mama. O projeto piloto, lançado na comunidade do Andaraí, intitulado “Clube da Mama: Mulher bonita por dentro e por fora”, inclui mulheres assintomáticas, de 40 a 69 anos (a faixa etária mais incidente) e mulheres abaixo dos 40 anos que tenham histórico familiar de câncer de mama. Essas mulheres são orientadas em reuniões, que acontecem no Renascença, quanto aos fatores de risco, cuidados com a mama e exames de imagem e clínico necessários para acompanhamento e diagnóstico. Os exames são feitos com dia e hora marcados, no Hospital Federal do Andaraí, que possui serviço especializado em radiologia mamária, equipado com mamógrafo digital e ultrassom mamário. Se for diagnosticada alguma alteração suspeita ou se for confirmada malignidade é feito o tratamento necessário. A novidade é que a partir de março, o exame clínico será feito no próprio Renascença Clube, assim como o cadastramento de mulheres da comunidade do Andaraí, na faixa dos 50 aos 69 anos. A meta é que sejam cadastradas cerca de 3 mil mulheres. Na realidade, essa ação deveria ser realizada na Clínica da Família do Andaraí, mas como, apesar de pronta, a clínica ainda não foi inaugurada, o Renascença Clube abre as suas portas.

Um pouco de história
Antigo reduto do movimento negro no Rio de Janeiro, o Renascença Clube ainda é a trincheira carioca das tradições afrodescendentes e do samba de raiz. O clube foi fundado em 17 de fevereiro de 1951, por um grupo de homens e mulheres negras de classe média que, impedido de ingressar em clubes tradicionalmente frequentados por famílias brancas, resolveu criar uma agremiação onde as famílias negras pudessem se reunir e se divertir numa harmoniosa convivência social e cultural, sem que fossem discriminados.

Ao longo de sua existência, o Rena, como carinhosamente passou a ser identificado, sempre se preocupou com a condição do negro na sociedade, já que a ele estava reservado os degraus inferiores da escala social. Por isso, consagrou-se como o local onde os afrodescendentes entravam pela porta da frente, resistindo à intolerância étnica percebida já naquela época.

Do ponto de vista cultural, o Renascença sempre se caracterizou como uma agremiação de vanguarda, tendo revelado não só personalidades artísticas afro-brasileiras, mas de outros campos de atuação. Mantendo a tradição de quebrar tabus e preconceitos, nas décadas de 50 e 60, se destacou nos concursos de beleza. O sucesso de suas misses, fez com que naquele período o Renascença alcançasse um grande reconhecimento devido à vanguarda de empoderamento e beleza da mulher negra. 

A apoteótica eleição de Vera Lúcia Couto, em 1964, como Miss Guanabara, foi vista por muitos, se não pela maioria dos sócios, como uma vitória da negritude, quase um resultado memorável do esforço coletivo do grupo. Entre as vencedoras desse concurso destacam-se, também, Dirce Machado (1959), Aizita Nascimento (1963) e Vera Lúcia Couto dos Santos (Miss Guanabara, 2º lugar no Miss Brasil e 3º lugar no Miss Beleza Internacional, o que lhe rendeu o título de Miss Fotogenia, em 1964).

Vera Lúcia Couto, eleita Miss Estado da Guanabara (1964) pelo Renascença Clube, conquistou o direito de ser a primeira mulher negra a concorrer ao título de Miss Brasil. Ficou em segundo lugar na eleição da mulher mais linda do país, e foi a terceira no concurso Miss Beleza Internacional, realizado nos Estados Unidos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.