23 C
New York
julho 23, 2019
Exposição

Rede Guanabara de Conservação é o tema da exposição fotográfica no Parque de Niterói 

foto: Áthila Betoncini
foto: Áthila Betoncini

Com o olhar voltado para questões socioambientais, a exposição fotográfica sobre a Rede Guanabara de Conservação (RGC) levará ao público as ações dos cinco projetos socioambientais que a integra: Projeto Meros do Brasil (PMB), Guapiaçu Grande Vida, Uçá, Ilhas do Rio e Coral Vivo, que são patrocinados pela Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental. O público poderá visitar entre os dias 16 de março a 02 de maio, das 8h às 16h, no Parque Natural Municipal de Niterói (ParNit), em Niterói (RJ).

A Baía de Guanabara é a segunda maior baía do Brasil e comporta 22 ilhas, estando cercada por uma população que supera os 11 milhões de habitantes. É nos seus 391Km2 de espelho d’água e nas ilhas do entorno que são desenvolvidos os cinco projetos socioambientais que formalizam nesta exposição o marco de uma primeira ação, a “Rede Guanabara de Conservação”. Ela é realizada pelo Projeto Meros do Brasil.

Na porção lesta da Baía de Guanabara, o Projeto Guapiaçu Grande Vida contribui para o fortalecimento do ecossistema da bacia hidrográfica Guapi-Macacu por meio da restauração ecológica e da educação ambiental, o Projeto Uçá estuda a espécie e seu ecossistema, buscando a sustentabilidade, contribuindo para a melhoria da qualidade ambiental, já o ProjetoMeros do Brasil busca conhecer os meros, espécie ameaçada e de captura proibida, que ainda habitam os manguezais da Baía e as áreas da sua foz. Ainda na foz da Baía, o ProjetoIlhas do Rio estuda a fauna e flora das ilhas trazendo o conhecimento desses ambientes insulares, e por fim o Projeto Coral Vivo traz à população o conhecimento sobre os diversos e frágeis ambientes coralíneos, abrangendo as áreas insulares do entorno da Baía, focos do Plano de Ação Nacional para Conservação dos Ambientes Coralíneos – PAN Corais.

Os Projetos integrantes da Rede acreditam que as pessoas precisam conhecer a natureza para poder entender a importância de preservá-la e reforçar a noção da proteção, não só da fauna e da flora, mas também dos ambientes terrestres-estuarinos-marinhos como um todo.

Os Projetos:
O Projeto Guapiaçu Grande Vida é realizado pela Reserva Ecológica de Guapiaçu (REGUA) em parceria com a Prefeitura de Cachoeiras de Macacu. O projeto atua com a restauração ecológica e a educação ambiental. São 160 hectares de Mata Atlântica restaurados na sub-bacia do rio Guapiaçu e na educação ambiental, uma das novidades é o Programa Piloto de Monitoramento de Recursos Hídricos (PPMRH), envolvendo estudantes em coletas e análises de água de rios do município.

O Projeto UÇÁ é desenvolvido em quatro eixos temáticos, sustentabilidade, educação ambiental, pesquisa e democratização de informação. Atua em oito municípios (Maricá, Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Magé, Guapimirim, Cachoeiras de Macacu e Teresópolis). É integrante da Rede Nacional de Manguezais (RENAMAN) e possui uma base avançada em Florianópolis (SC). Tem foco nos manguezais e na relação do homem com esse ecossistema.

O Projeto Ilhas do Rio tem como área de atuação as ilhas que compõem o Monumento Natural do arquipélago das ilhas Cagarras (Ilhas Cagarra, de Palmas, Comprida, Redonda e ilhotes Filhote da Cagarra e Filhote da Redonda), as Ilhas Maricás, Ilhas Tijucas e Ilha Cotunduba. Seu principal objetivo é a geração de conhecimento para a preservação desses ecossistemas marinhos tendo como base de atuação a pesquisa científica, a educação ambiental e a mobilização social.

O Projeto Coral Vivo trabalha com pesquisa, educação, políticas públicas, comunicação e sensibilização para a conservação e sustentabilidade socioambiental dos ambientes coralíneos do Brasil. É realizado por 14 universidades e institutos de pesquisa e é o coordenador executivo do PAN Corais, que engloba 18 áreas do MA a SC e 52 espécies ameaçadas de extinção (peixes e invertebrados). Tem base e centro de visitantes no Arraial d’Ajuda Eco Parque, em Porto Seguro, BA. O Coral Vivo integra a Rede Biomar, junto com os projetos Albatroz, Baleia Jubarte, Golfinho Rotador e Tamar.

O Projeto Meros do Brasil está presente em nove estados brasileiros: Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Alagoas, Pernambuco e Pará, e conta com a parceria de mais de 50 instituições.

Atualmente, os meros são tidos como um símbolo de conservação e proteção dos ambientes costeiros e marinhos.

Serviço:
De 16 de março a 2 de maio
Das 8h às 16h
Entrada gratuita
Parque da Cidade, Estrada da Viração s/n, Niterói/RJ

Links dos projetos:
Projeto Meros do Brasil: http://www.merosdobrasil.org
Projeto Guapiaçu Grande Vida – GGV: https://www.ggvbr.org/o-projeto
Projeto Uçá – http://projetouca.org.br/
Projeto llhas do Rio – http://ilhasdorio.org.br/
Projeto Coral Vivo – http://coralvivo.org.br/

Posts relacionados

MAR abre expo assinada por Moacir dos Anjos com show de Jards Macalé

Redação

“De fora pra Dentro” – Carlos Bertão

Redação

Istituto Europeo di Design recebe exposição de Zé Dassilva

Redação

Galeria paulistana recebe obras de Andrey Rossi e Thiago Toes

Redação

Projeto UÇÁ estreia exposição imersiva ‘Do Mangue ao Mar’

Redação

Galeria de Arte Solar inaugura a exposição ‘Brincando’

Redação

Deixe um comentário