Quarteto Livre Arbítrio

O Quarteto Livre Arbítrio é formado pelos músicos Alessandro Pinheiro (Sax Tenor), Maurício Figueiredo (Contrabaixo elétrico), Reinaldo Pestana (Bateria e Percussão) e Renato Catharino (Teclado) que se reuniram para homenagear os grandes nomes da música universal, através de interpretações com uma nova roupagem, sob a influência do Jazz, mas com uma ótica própria trazendo muita personalidade ao seu trabalho.

E como primeiro projeto, o Quarteto faz uma belíssima homenagem a nada mais nada menos que a lenda do Jazz, o grande saxofonista tenor, John Coltrane.. Sob a luz da sua musicalidade atemporal que nos faz pensar, sentir, refletir, sorrir e até revigora nossos ares na esperança de um mundo melhor. Ao ouvir sua obra, as possibilidades se tornam inúmeras. Juntos, o Livre Arbítrio faz transbordar a emoção do palco e do rádio até o público ou ouvinte. As músicas de Coltrane proporcionam diversas possibilidades ao explorar o espaço sonoro em cada ritmo e melodia. E por falar em ritmo, a proposta deste trabalho é baseada diretamente nos que existem no Brasil e no mundo. Alguns deles como o Ijexá, Mozambique, Sambajazz, Jongo, entre tantos outros que conquistaram gerações.
As apresentações do Livre Arbítrio fazem o ouvinte se aprofundar nas emoções de John Coltrane, através de uma de suas criações, o estilo chamado “Camadas de Som”. Cada integrante do grupo carrega influências sonoras dessa lenda, tendo seu universo sonoro totalmente particular.

Copiar jamais. Imprimir somente. O trabalho do quarteto é uma homenagem. A música instrumental faz a magnífica obra deste compositor soar plena e a plenitude é a música acima de tudo.

Alexandre Pinheiro, é saxofonista, compositor e produtor, nasceu no Rio de Janeiro em 2 de março de 1981. Começou a estudar teoria musical com 8 anos de idade incentivado por seu pai, e aos 11 anos teve sua primeira experiência com o saxofone. Aos 15 anos inicia sua trajetória musical, fazendo parte de várias bandas sinfônicas adquirindo experiência com o repertório que vai do erudito ao popular. No final da década de 90 ganhou uma bolsa na Escola de Música da UFRJ, com o recém-criado curso de saxofone, onde pode desfrutar a sua grande paixão pelo jazz. Aprimorou-se através dos ensinamentos do grande saxofonista Fernando Trocado, que além da metodologia ortodoxa, ensinava as técnicas de improvisação, algo muito raro naquela época. Em 2000, integrou a “Big Band da Escola UFRJAZZ”, quando conheceu alguns dos principais músicos da cena carioca, além da experiência de participar de um repertório inédito no Brasil, das maiores big bands e arranjadores estadunidenses como: Bob Mintzer, Arturo Sandoval, dentre outros – além de arranjadores de clássicos da música brasileira. Em 2001 foi o pioneiro no Rio de Janeiro com o projeto instrumental “FUSÃO BRASIL”, iniciado na Escola de Música Vila Lobos, implantado em regiões da Zona Oeste, Costa Verde e Baixada Fluminense. Já em 2003, liderou o projeto musical na Lona Cultural Hermeto Pascoal, tocando ao lado de Adriano Gyfone, Marcelo Nami, Luiz Carlos Batera (in memorian), atraindo músicos do Brasil e do exterior, tais como o trompetista Michael Ryan. No ano de 2006, gravou o álbum instrumental do violonista Antônio Melo, denominado “Guaratiba Brasil”, disco que contou com a participação de Carlos Malta, Márcio Bahia e outros grandes músicos. No ano de 2008, Alessandro Pinheiro foi o idealizador do primeiro “Costa Verde Jazz Festival”, na cidade de Itaguaí, contando com as participações de Kiko Freitas e Ney Conceição. De 2009 a 2012 dedicou-se exclusivamente a produção musical. Em 2014 realizou cinco concertos consecutivos de nome “KORBAN JAZZ”, na Lona Cultural Elza Osborne, em campo Grande/RJ. Hoje, proprietário do selo CARA BRASIL, está engajado na produção e confecção do seu primeiro álbum instrumental, com lançamento nas plataformas digitais e shows em diversos ambientes culturais abertos ao público no ano de 2017.

Renato Catharino, possui graduação em Música e Tecnologia – Conservatório Brasileiro de Música Centro Universitário (2011), onde também cursou o Bacharelado em Composição e se pós-graduou em Música para Cinema e Tv (Musimagem – 2013). Participou da X Semana Científica & I Semana Iniciação Científica e Extensão da Faculdade Presbiteriana Mackenzie Rio (2014). É pianista, tecladista, compositor, professor de música e arranjador. Estudou com Geraldo Vespar (Composição e Contraponto), Edna Solon (Piano Erudito), Dario Galante (Piano Jazz), Isidoro Kutno (Harmonia), além dos professores da Musimagem, como Tim Rescala, David Tygel, Alberto Rosenblit, Felipe Radicetti, entre outros. Participou de workshops com os pianistas Arnaldo Cohen e Rique Pantoja. Trabalhou com músicos / artistas como Dalmo Medeiros (MPB 4), Amelinha, Wanderley Cardoso, Araketu, Durval Lellys, assim como artistas da nova geração, como: Saulo Fernandes, João Sabiá e Adelmo Casé, entre outros. Além de apresentações com a Orquestra Jovem do CBM e recitais de piano solo, já tendo tocado também nas maiores casas do RJ, como Citibank Hall, Canecão, Vivo Rio, Circo Voador, Fundição Progresso, Rio Scenarium, MAM, Copacabana Palace, Santo Scenarium, além de shows em São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Pará e Bahia. Participou de diversos álbuns de vários artistas, seja como tecladista e/ou arranjador. Foi vencedor junto com a banda Amor com Amor se paga, do 1º Femusa/ RJ e do prêmio Phill com o grupo vocal Réus Confessos no Teatro Carlos Gomes. Na música instrumental, trabalhou com músicos como Nelson Faria, Pascoal Meirelles, Marcelo Brazil, Adriano Giffoni, Isidoro Kutno, Marcelo Martins, Jessé Sadoc, Sérgio Galvão, etc. Participou do 1º Orange Jazz e Blues Festival (2014). Já tocou com diversas bandas de baile e atualmente trabalha com bandas atuantes no RJ, além do Quarteto instrumental Bruno Lara. É professor de
piano popular do Conservatório Brasileiro de Música. Se prepara para lançar seu primeiro álbum instrumental. Tem experiência na área de Música, com ênfase em shows, aulas, produções e gravações.

Reinaldo Pestana é carioca e um músico plural por realizar e idealizar projetos em diversos estilos musicais que vai do samba de raíz e passa pelo choro, MPB, Pop & Rock, Forró e Jazz. Pestana é baterista e percussionista envolvido com a música desde a década de 90, quando iniciou seus estudos de percussão erudita na Escola de Música Villa Lobos, no Rio de Janeiro. Desde então a música faz parte de sua vida profissionalmente. Participou de vários festivais em quase todo o território nacional. No 17º Festival de Londrina, gravou, com a Orquestra Sinfônica de Londrina o CD deste festival. Participou de gravações e trabalhou no palco com vários artistas como Bebeto – cantor de samba rock; Claudia Holanda; Patricia Mellodi; Denise Reis;, Tiago Abravanel (participação nos programas Alta-Horas e Fátima Bernardes da emissora Rede Globo); Cláudio DaMatta – compositor com sucessos na voz de artistas como Zezé de Camargo & Luciano, Xuxa, Sandy & Junior; fez parte do projeto Mariane Guerra & Os Pacifistas, que lançou trabalho independente com EP “Bem Alto pelo Mundo” e tantos outros. Participou do Coral do Colégio São Vicente como percussionista no musical África – projeto dos compositores Antonio Maria, Mário Lago e Orfeu da Conceição. Neste trabalho pode utilizar de forma muito intensa seus conhecimentos de percussão pela riqueza do repertório deste musical que tinha desde de “Olhos Coloridos” de Macau e conhecida na voz de Sandra de Sá até música em dialeto africano. Na bateria realiza execuções únicas com sua precisão, dinâmica e percepção musical. Está sempre atento à linguagem dos músicos, se adapta às linguagens facilmente. Como percussionista, alia esta percepção à criatividade e sua sensibilidade à música permitindo inserir sonoridades e ritmos que enriquecem a execução. Sua versatilidade permite transitar em vários estilos de maneira fluídica, o que o torna um artista musicalmente pleno e consciente de suas possibilidades. Idealizador de projetos musicais como o Choro Novo (indicado para o 26º Festival da Música Brasileira) – que já participou de projetos culturais da Prefeitura Municipal de Vitória/ES, como o Música no Mercado. Pestana busca aliar a tradição à inovação. Experimenta introduzir em estilos consagrados como Choro, Jazz até mesmo no Samba, releituras modernas e improvisação quando e onde a música permite e procura. Parcerias com músicos como Abel Luiz (cavaquinho), Marcelo Nami (guitarra e violão), Leandro Freixo (piano), Leandro Vasques (baixo), Pedro Aune (baixo acústico) e tantos outros comprometidos com a música.

Maurício Figueiredo, é natural do Rio de Janeiro, músico instrumentista de contrabaixos acústico e elétrico há mais de 20 anos. Dentre suas influências, pode-se destacar Edu Lôbo, Hermeto Pascoal, Tom Jobim, Charles Mingus, Weather Report, Jaco Pastorius, Wes Montgomery, Christian McBride, Dave Brubeck, Jimi Hendrix, King Crimson, Beatles, Rolling Stones, entre outros. Em sua versátil carreira, tem trabalhado em diferentes cidades do Brasil e do mundo, percorrendo caminhos musicais que vão desde o ambiente das festas universitárias com a música Soul e o Rock clássico, passando pela cena jazzística do Rio de Janeiro e com participações em orquestras do Sul do país. Maurício atua também como arranjador, compositor e professor. Recentemente participou do programa Linnaeus-Palme de mobilidade acadêmica internacional morando por um ano na Suécia, onde além de estudar, tocou em vários concertos. Em Paris, fez vários shows acompanhando a cantora brasileira Ilessi no show Do Bleu Blac Rouge ao Verde e Amarelo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.