Psicanalistas debatem ‘A hora do lobo’

A atormentada psicologia dos personagens de Ingmar Bergman é uma das marcas do filme. Será o segundo encontro do ciclo que homenageia o centenário do nascimento do cineasta

‘A Hora do Lobo’ (1968), único filme gótico dirigido pelo sueco Ingmar Bergman (1918 – 2007), será a atração do próximo encontro do ciclo ‘100 anos de Ingmar Bergman’, na Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro (SBPRJ). Trata-se de uma das obras nas quais o cineasta explora mais exacerbadamente a atormentada psicologia de seus personagens. A sessão será no dia 13 de abril, às 19h, na sede da SBPRJ, no Humaitá, com entrada franca (apenas para o filme). Após a exibição, haverá debate com a psicanalista Sandra Gonzaga e Luiz Fernando Gallego, psicanalista e coordenador do projeto Psicanálise & Cinema. Pelo debate, será cobrada taxa de manutenção da atividade de R$ 10,00 para os que ficarem depois de terminada a exibição do filme.

Em ‘A Hora do Lobo’, o pintor Johan Borg (Max Von Sydow) e sua mulher grávida, Alma (Liv Ullmann), vão morar em uma ilha afastada da sociedade e conhecem um misterioso grupo de pessoas estranhas que habitam o lugar. Eles passam a trazer angústias ainda maiores à vida do casal, que já estava atormentada por pesadelos do pintor e conflitos emocionais. Segundo Bergman, “a hora do lobo é o intervalo entre meia-noite e o amanhecer, “a hora em que a maioria das pessoas morre, que a maioria das pessoas nasce, e que os pesadelos são reais e que a angústia nos persegue”. É o período em que o protagonista conta para sua esposa suas memórias mais dolorosas e começa a questionar sua lucidez.

Uma mensagem por escrito que aparece logo no início do longa avisa que o artista desapareceu sem deixar vestígios de sua casa na ilha e que os diários de Johan e os relatos de sua esposa são a base da história. Em seguida, a própria Alma conta, olhando fixamente para a câmera, que as cenas seguintes fazem parte de um filme encenado por atores.

O filme foi premiado pelo National Board of Review na categoria Melhor Atriz, pela participação de Liv Ullmann. Também por ‘A Hora do Lobo’, Bergman foi premiado como melhor diretor pelo The National Society of Film Critics Award. O elenco é formado ainda por Erland Josephson, Naima Wifstrand e Ingrid Thulin.

O ciclo ‘100 anos de Ingmar Bergman’ é uma homenagem ao centenário do nascimento do cineasta, um dos maiores nomes do cinema mundial, que se dedicou a temas como o existencialismo, as neuroses, os anseios, o casal, a fé e a morte. O primeiro filme exibido e debatido no ciclo foi ‘Face a Face’, no dia 23 de março. Depois de ‘A Hora do Lobo’, será a vez de ‘Através de um Espelho’, em 25 de maio. Os três primeiros debates têm como tema ‘Bergman e a Loucura’. Em julho e em julho haverá outras duas sessões, que ainda serão definidas.

O filme tem classificação etária de 18 anos e 90 minutos de duração. As inscrições devem ser feitas previamente pelo e-mail sbprj@sbprj.org.br ou telefones (21) 2537-1333 e 2537-1115. As reservas serão mantidas até 18:45. A SBPRJ fica na Rua David Campista, 80, no Humaitá, Zona Sul do Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.