20.8 C
New York
junho 19, 2019
Exposição

Projeto UÇÁ estreia exposição imersiva ‘Do Mangue ao Mar’

Mostra simula ambiente de manguezal por meio de instalações cenográficas

Muitas pessoas associam a palavra mangue a um ambiente sujo, malcheiroso e inóspito. Para ajudar a desmistificar essas percepções e mostrar a relevância desse ecossistema para o planeta, o Projeto UÇÁ — iniciativa da ONG Guardiões do Mar, com o patrocínio da Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental — estreará a mostra imersiva ‘Do Mangue ao Mar’, no Edifício Sede da Petrobras (EDISE), em 03/06. A exposição também chamará a atenção do público para os impactos dos resíduos sólidos nos mangues, praias e costões rochosos.

Por meio de recursos lúdicos e interativos, a mostra, que tem curadoria da Mirador e Ogi & Co, proporcionará um ambiente de imersão aos visitantes, provocando neles uma sensação de estar realmente em um manguezal.

O presidente da  ONG Guardiões do Mar e coordenador nacional do Projeto UÇÁ, Pedro Belga, explica que não há uma cultura no País de visitar manguezais, como acontece em outros países. “A maioria das pessoas não vai ao mangue, principalmente no Brasil, e mais especificamente na região Sudeste, pois não o acham atrativo. Por isso a mostra ‘Do Mar ao Mangue’ tem a importância de ser a principal ferramenta de educação ambiental do Projeto UÇÁ para levar o mangue até as pessoas. Já que levá-las ao mangue é difícil, ele vai até elas através dessa exposição”, destaca ele.

Para atingir esse objetivo, a mostra conta com quatro módulos: Mangue, Fauna e flora, Mar e Kids. No primeiro, serão apresentadas, cenograficamente, informações e curiosidades sobre a flora do manguezal existente no país: mangue vermelho, preto e branco. Nesse espaço, o visitante terá a impressão de entrar pelas raízes do mangue vermelho (Rhizophora mangle), descobrindo ali os fascínios dessa espécie. No módulo Fauna e flora, o público conhecerá os animais que vivem especificamente no mangue e aqueles que usam esse ambiente como transição, descobrindo a importância desse ecossistema como berçário para esses seres. Já no terceiro, será apresentado o mar através de praias e costões rochosos, que em várias localidades se confundem, juntamente com o mangue, em um mesmo espaço.

Após passar pelos três módulos anteriores, as crianças contarão com um módulo só para elas, o Kids, onde poderão entender os impactos que o lixo descartado incorretamente causa a esses ambientes. Elas serão induzidas a passar por um emaranhado de elásticos com “lixos” pendurados, simulando a locomoção de organismos marinhos no oceano. A proposta é estimular nos pequenos a reflexão sobre como deve ser nadar no meio dos resíduos.

Exposição ampliada
A mostra ‘Do Mangue ao Mar’ é uma versão ampliada e repaginada da exposição itinerante ‘Do Mangue ao Mar: A Baía de Guanabara que você não vê’, lançada em março de 2015, pelo Projeto UÇÁ, com a proposta de disseminar informações sobre a Baia de Guanabara. Ela percorreu nove municípios em três estados.

“Os resultados que obtivemos com essa exposição, que inclusive foi tema de uma dissertação de mestrado, mostrou que a falta de conhecimento, por parte da população, não só em relação à Baia de Guanabara, mas também sobre os manguezais de uma forma geral, precisava ser mais bem trabalhada. Por isso, com o objetivo de ampliar a disseminação de informações sobre esses ambientes, fizemos essa repaginada da mostra, que passou a focar mais nos mangues e se tornou imersiva”, conta Pedro Belga.

Projeto UÇÁ
Com o patrocínio da Petrobras – o Projeto UÇÁ já reflorestou em quatro anos mais de 182 mil m² de manguezais. Além de ser objeto de artigos, trabalhos de conclusão de curso e quatro dissertações de mestrado. Para o biênio 2018-2020, ele atuará na melhoria da qualidade ambiental em oito municípios da região da bacia contribuinte da Baía de Guanabara. Serão feitas ações de manutenção e monitoramento de manguezais, educação ambiental e produção de conhecimento científico de forma sustentável, priorizando os pescadores e catadores de caranguejo. O objetivo é contribuir para o conceito de “Lixo zero” e as práticas corretas de descarte de resíduos sólidos na Baía. Mais informações na página:facebook.com/projetouca/

Posts relacionados

Monumento Estácio de Sá recebe a exposição inédita “Aquilo que Pedi até Agora”, de Ana Storino

Redação

“Pincel Oriental – uma expedição artística no Brasil” nos Correios

Redação

50 anos de Realismo – Do fotorrealismo à realidade virtual

Redação

Exposição fotográfica ‘Narrativa de uma beleza’ no Forte de Copacabana

Redação

Grafite toma conta de Galeria de Arte em novo espaço no Bangu Shopping

Redação

1ª Mostra Coreana chega ao Rio de Janeiro apresentando aos cariocas a cultura asiática

Redação

Deixe um comentário