Projeto Livro Solto faz títulos e ideias circularem

Esse sábado (29) é o Dia Nacional do Livro, mas a festa começou mais cedo em Petrópolis (RJ). Acadêmicos de Nutrição e Enfermagem da Faculdade Arthur Sá Earp Neto (FMP/Fase) estiveram na Escola Municipal Lúcia de Almeida Braga, no bairro do Vale do Carangola, para disseminar a leitura junto às crianças, através do Projeto Livro Solto. A visita teve ainda atividades de contação de histórias e confecção de marcadores de página, na última terça-feira (25).

O projeto Livro Solto foge aos padrões de uma biblioteca convencional. Nele, os livros doados podem ser retirados por qualquer pessoa. O único compromisso é passá-lo adiante ou colocá-lo de volta em seu local de origem.

“A cultura é um elemento fundamental para a gente criar perspectivas de vida para essas crianças. Não basta ter outros equipamentos públicos responsáveis por executar as políticas públicas nos bairros; é necessária a relação com esse tipo de atividade”, ressalta o coordenador de Projetos e Extensão da FMP/Fase, Ricardo Tammela.

Cerca de 160 livros, dos mais variados temas, foram doados para a escola. “Esses livros enriquecerão o nosso acervo. E eles vão poder levar esses livros para casa, porque os livros que a gente tem na escola ficam para uso da escola. Esses títulos agora vão poder chegar até a comunidade, o restante da família e os amigos”, diz a orientadora escolar, Rosane Marques. “É sempre importante contar com novos parceiros que ajudem a gente nesse processo de orientação dos alunos e de valorização da leitura”, acrescenta.

Qualquer pessoa pode contribuir doando livros novos ou usados para o projeto Livro Solto, desde que estejam em bom estado e não sejam didáticos ou técnicos. Os exemplares devem ser entregues no Centro Cultural da FMP/Fase (Av. Barão do Rio Branco, 1003). Caso não possa comparecer ao espaço, a pessoa precisará entrar em contato por e-mail cpe@fmpfase.edu.br ou telefone (24) 2244-6480.

1 comentário
  1. Lado B Livros Diz

    Mais livros, mais vida com imaginação para transformar o mundo. Assim, poderemos construir a cidadania mais ativa.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.