16.9 C
New York
junho 24, 2019
Música

Projeto Estação Praça Onze com Marquinhos de Oswaldo Cruz e o Jongo da Serrinha

Marquinhos de Oswaldo Cruz - foto: Cristina Granato
Marquinhos de Oswaldo Cruz - foto: Cristina Granato

Depois da estréia com casa lotada e portões fechados com um publico aproximadamente 2 mil pessoas,  o projeto “ESTAÇÃO PRAÇA ONZE”, está de volta nesta sexta-feira, dia 3 de maio , com Marquinhos de Oswaldo Cruz comandando um grande Roda de Samba de Raiz região central do Rio de Janeiro. Toda primeira sexta-feira do mês Marquinhos recebe um convidado especial. Nesta   2a Edição a atração será nada mais nada menos que o consagrado ” Jongo da Serrinha”, com direito a Tia Maria Jongo e seu time de Jongueira.   O evento acontece no  picadeiro do Circo Crescer e Viver.

Os ingressos já estão à venda: 1° LOTE – R$ 10,00 (inteira) – Esgotados;l2° LOTE – R$ 20,00 (inteira) – vendas até 30 de abril; 3° LOTE E BILHETERIA – R$ 30,00 (inteira).Garante o seu ingresso antecipado no link: https://bit.ly/2vm6RtA . Mais informações:  (21) 3972-1391. Menores só acompanhados pelos pais ou devidos responsáveis. O Circo Crescer e Viver fica na  Rua Carmo Neto, 143 – Cidade Nova- Rio de Janeiro. Classificação: 18 anos.

Jongo da Serrinha

Jongo da Serrinha
Jongo da Serrinha

O grupo surgiu no morro da Serrinha, em Madureira, no Rio, como maneira de preservar o ritmo que tem suas origens nos países africanos Congo e Angola e que chegou ao Brasil colônia por meio dos escravos que trabalhavam nas lavouras de café.

Também conhecido por caxambu, o jongo reúne dançarinos descalços, vestindo as roupas comuns do dia-a-dia. É uma dança de roda e de umbigada.

O jongo é cantado primeiramente pelo solista, com versos livres improvisados, e o refrão é respondido por todos. São frases curtas que retratam o contato com a natureza, o cotidiano de trabalho braçal nas fazendas e a revolta com a opressão sofrida.

São cantados no linguajar do homem rural com sotaque de preto-velho e misturam o português com o dialeto africano de origem bantu.

O Grupo Cultural Jongo da Serrinha criou a Escola do Jongo na própria comunidade do Império Serrano, fundada pela Tia Maria do Jongo, líder do Jongo da Serrinha, e seus irmãos, dentro da própria comunidade, em 1947.

A escola oferece aulas de dança, música, capoeira, teatro e artes plásticas para 120 crianças e jovens de 4 a 18 anos. O trabalho de arte-educação será ampliado, e mais 120 crianças de até 3 anos serão atendidas numa creche recém-construída na comunidade.

ESTAÇÃO PRAÇA ONZE É uma realização/produção do Trem do Samba em parceria com o Circo Crescer e Viver e tem a assessoria de imprensa de Enildo Viola.

Serviço
Estreia do Projeto Estação Praça Onze- Marquinhos de Oswaldo Cruz Recebe Jongo da Serrinha.
Data: 3 de Maio  de 2019- Sexta-Feira.
Local: Circo Crescer e Viver
Endereço: Rua Carmo Neto, 143 – Cidade Nova- Rio de Janeiro.
Horário: A partir das 18h

Os ingressos já estão à venda: 1° LOTE – R$ 10,00 (inteira) – Esgotados;l2° LOTE – R$ 20,00 (inteira) – vendas até 30 de abril; 3° LOTE E BILHETERIA – R$ 30,00 (inteira).Garante o seu ingresso antecipado no link: https://bit.ly/2vm6RtA .

Mais Informações: (21) 3972-1391.
Classificação: 18 anos- Menores só acompanhados pelos pais ou devidos responsáveis.

Posts relacionados

Sambista estreia em disco aos 74 anos e encara show no Rival

Redação

Teatro Rival Petrobras recebe Le Circo de La Drag na semana do Dia do Orgulho LGBTQI

Redação

Trio Movimento Musical se apresenta na série Música no Museu

Redação

São Yantó & Chicão resgatam a obra dos irmãos Clodo, Climério e Clésio

Redação

Maneva e Falamansa na Fundição Progresso

Redação

Perlla volta a cantar pagode em parceria com o grupo Tá na Mente

Redação

Deixe um comentário