“Pelos 4 Cantos do Mundo” estreia no Teatro Ipanema

Peça infantil da Cia Teatral Milongas leva para os palcos o tema sobre refugiados

O Teatro Ipanema apresenta de 10 de março a 15 de abril a temporada de estreia de “Pelos 4 Cantos do Mundo”, quarto infantojuvenil e o décimo de repertório da Cia Teatral Milongas, em celebração aos seus 15 anos de carreira completos em 2018.

Com texto e direção de Breno Sanches, que também está em cena ao lado dos atores Hugo Souza e Roberto Rodrigues, a montagem expõe a história de Aisha, uma menina refugiada da Síria – representada por uma boneca em tamanho natural confeccionada pelo experiente Márcio Newlands – que, ao se perder do pai durante os confrontos de guerra, resolve percorrer o mundo na esperança de reencontrá-lo.  Nessa sua jornada ao desconhecido, partindo da Síria e passando pela Itália, Congo, Coréia do Norte e chegando ao Brasil, a protagonista vivencia a curiosidade e as surpresas da diversidade cultural, em uma encenação apoiada no teatro físico e não verbal.

– O Brasil abriga hoje, aproximadamente, mais de seis mil refugiados, sendo que a Síria, país do Oriente Médio em guerra desde 2011, representa 2.746 desse total – diz Breno Sanches – A Cia entendeu, desta forma, que a situação dos refugiados poderia\deveria ser o tema de uma peça dedicada ao público infantil. Acreditamos, desde a nossa formação em 2003, que o teatro é um espaço para entreter e também estimular o pensamento crítico e social. Neste caso, falaremos da origem desses refugiados, dos costumes e particularidades para desmistificar a presença deles, cada vez mais comum em nosso cotidiano.

Fernando Mello da Costa, premiado cenógrafo com mais de 40 anos de carreira, criador e realizador de impactantes cenários para Bia Lessa, Moacir Chaves, Aderbal Freire Filho, entre outros, apresenta uma cenografia composta por balões de gás transformados ora em oceano mágico, ora em um balão exuberante que irá sobrevoar o céu azul, conduzindo a menina síria em sua aventurosa busca.  Diversos tecidos coloridos – uma alusão ao hijab, lenço utilizado pelas muçulmanas para cobrir a cabeça, orelhas e pescoço – também compõem a cena, assumindo as formas de peixe, pássaros, pipas, dragão chinês e outros elementos cênicos.  Os tecidos também estarão presentes no figurino de Patrícia Muniz.

 

A direção musical, assinada por Marcello H (indicado ao Prêmio Shell de Melhor Direção Musical pelo espetáculo “Tom na Fazenda”), propõe um misto de influências com os ritmos árabes, italianos, africanos, orientais e brasileiros.

 

Sinopse:

Uma menina refugiada da Síria embarca em uma aventurosa viagem – que passa pela Itália, Congo, Coréia do Norte e Brasil – na tentativa de encontrar o seu pai, desparecido durante os confrontos de guerra.

 

SERVIÇO:

 

Local: Teatro Ipanema

Temporada: 10 de março a 15 de abril

Dias: sábados e domingos, às 16h

Endereço: Rua Prudente de Morais, 824 – Ipanema

Metrô: Estação Nossa Sra. da Paz – Saída Rua Joana Angélica

Ingresso: R$40 (inteira)\R$20 (meia)

Bilheteria: de quinta a segunda-feira, sempre com 01h (uma hora) antes do início do espetáculo que estará em cartaz naquele determinado dia da semana.

Aceita cartão de crédito e débito.

Telefone: 2267-3750 (aberta 01h antes do espetáculo)

Capacidade: 193 lugares

Faixa etária: livre

Duração: 70 minutos

 

FICHA TÉCNICA

Atuação: Breno Sanches, Hugo Souza e Roberto Rodrigues

Direção e Dramaturgia: Breno Sanches

Colaboração Dramatúrgica: Hugo Souza e Roberto Rodrigues

Direção de Atores: Ana Carolina Sauwen

Direção Musical: Marcello H

Direção de Manipulação e Confecção de Marionete: Marcio Newlands

Cenário e Adereços: Fernando Mello da Costa

Figurino: Patricia Muniz

Iluminação: Ana Luzia de Simoni

Coreografia: Paulo Cristo

Preparação Vocal: Jane Celeste e Roberta Bahia

Confecção de Cenário e Adereços: Patricia Muniz e Marcio Newlands

Cenotécnicos: Zé Maranhão e Regivaldo Moraes

Operadoras de Som: Amanda Lavers e Júlia Borges

Operador de Luz: Paulo Ignácio

Fotografia: Renato Mangolin

Edição de Vídeo (teaser): Carolina Godinho

Arte Gráfica: Ivison Spezani

Assessoria de Imprensa: Lyvia Rodrigues (Aquela Que Divulga)

Produção: Pagu Produções Culturais

Realização: Cia Teatral Milongas

 

 

Breno Sanches  – autor e diretor

Bacharel em artes cênicas – Direção Teatral – pela UNIRIO (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro); diretor artístico e ator da Cia Teatral Milongas; criador e idealizador, ao lado da atriz e produtora Natasha Corbelino, do projeto “Que Legado”, indicado ao Prêmio Shell 2017, na categoria Inovação, pela ocupação cultural que propõe o diálogo entre profissionais de atuações e geografias diversas no Rio de Janeiro. 

 

Cia Teatral Milongas

 

A Cia Teatral Milongas, formada pelos atores Breno Sanches, Hugo Souza e Roberto Rodrigues, foi criada em 2003, na cidade do Rio de Janeiro, e desde então desenvolve a investigação cênica em diversos âmbitos: encenações de clássicos, dramaturgia contemporânea, adaptações de obras literárias, teatro de rua, teatro infantil, teatro físico e palhaçaria. No repertório infantil da Cia estão os espetáculos originais “Era uma vez e não era uma vez (2003)”; “Conversas Inversas Histórias Diversas (2009, indicado ao Prêmio Zilka Salaberry de Teatro Infantil, na categoria Melhor Texto para Breno Sanches)”, “Contos Fadados (2013)”.  Para o público adulto a Cia criou “O Malfeitor (2014)”, “Casa Verde (2016)”, “La Careta Que Cae (2007)”, “Espelunca (2011)”, “POP-15 minutos de Fama (2014)”, “Rozencrantz e Guildenstern estão mortos (2015)” e “Se vivêssemos em um lugar normal (2015)”. Além dos palcos cariocas, Milongas já se apresentou em teatros de Curitiba, Belo Horizonte, Fortaleza, Recife e também em festivais internacionais, na Colômbia, Venezuela e Chile.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.