28.6 C
Rio de Janeiro
novembro 15, 2018
Teatro & Dança

Peça “220 Cartas de Amor” retorna ao Rio de Janeiro

foto: Carol Beiriz
foto: Carol Beiriz

No ano em que Cia de Teatro Íntimo completa 13 anos, espetáculo autoral e baseado em história verídica  estreia nos palcos da zona sul carioca

Criado a partir de uma história de amor verídica, ratificada pelas cartas trocadas pelos pais do ator Renato Farias quando eram namorados, entre 1956 e 1962, o espetáculo “220 Cartas de Amor”, da Cia. Teatro Íntimo, retorna ao Rio de Janeiro em temporada no Teatro Poeirinha de 07 de Novembro a 12 de Dezembro, celebrando os 13 anos da companhia. Ele morava em Porto Alegre e ela, em Santa Maria. Mesmo cinco décadas depois, ao abrir e ler as cartas, é possível perceber que o amor segue lá, vivo e turbulento como costuma ser. E traz consigo outras histórias de uma época em que as distâncias pareciam maiores e o tempo era realmente outro.

Os atores Renato Farias, gaúcho de Santa Maria, e Gaby Haviaras, catarinense de Florianópolis, se apropriam da correspondência de Maria de Lourdes Lang e Lourenço Renato Medeiros de Farias, sob a direção de Rafael Sieg. “Optamos por um caminho mais documental, mas com liberdade para algumas licenças poéticas. A dramaturgia se dá a partir da relação de amor construída através das cartas. A distância entre eles acabou nos parecendo fundamental para que o amor perdurasse.”, comenta o diretor do espetáculo.

O material encontrado por Renato após o falecimento de seu pai, em 1998, ficou guardado por quase 20 anos. “Eram mais de 300 cartas, e pensamos sobre a possibilidade de transformá-las em um espetáculo pela primeira vez há uns quatro anos, tendo em vista o nosso deslumbre frente ao potencial literário destes documentos. Ano passado, a partir de uma mobilização familiar, achei que era hora de colocar o projeto em prática”, relembra.

Quebrando estereótipos, “220 Cartas de Amor” apresenta um casal onde o homem não tem medo de ser romântico, lírico e delicado. Enquanto a mulher se permite ser mais retilínea, racional e objetiva – além de despojada e com uma atitude que, mesmo pelos padrões de hoje, pode ser considerada feminista. “Em um primeiro momento, pensamos em fazer um questionamento a partir dos nossos corpos em um espetáculo de dança, o que acabou não acontecendo. Mas a questão de gênero, de certa forma, persiste no espetáculo. No entanto, o mote da narrativa é o amor e a relação com o tempo”, finaliza Gaby.

SINOPSE:
Espetáculo criado a partir das cartas trocadas pelos pais do ator Renato Farias, quando ainda eram namorados, entre 1956 e 1962. Ele morava em Porto Alegre e ela, em Santa Maria. Décadas depois, ao ler as cartas, é possível perceber que o amor segue lá, vivo e turbulento como costuma ser. E traz consigo outras histórias de uma época em que as distâncias pareciam maiores e o tempo era realmente outro.

TEMPORADAS:
O espetáculo estreou em 2017 no Theatro São Pedro, em Porto Alegre (RS)e fez turnê no fim daquele ano em cidades do sul que possuem relação com a história, como Santa Maria (RS), São Carlos (SC) e Florianópolis (SC). Em Março fez temporada no Teatro Sesc Tijuca, no Rio de Janeiro, e recentemente participou do 4º Festival Midrash de Teatro (RJ).

CIA TEATRO ÍNTIMO:
Formada em 2005, a Companhia Teatro Íntimo (RJ) propõe em seus trabalhos que não haja barreiras entre atores e espectadores – de forma que a comunhão não se dê apenas no aplauso final, mas, sim, antes, durante e depois dos espetáculos. Conceitos como horizontalidade, singularidade, intimidade, afeto e a importância da palavra poética traduzem o foco da pesquisa do grupo, que conta com outros 16 integrantes.

No currículo da Cia, constam espetáculos como “Os Dragões” (2005), “Veridiana e eu” (2006), “Cuidado com o Cão” (2007), “Degustação Poética” (2008/2009) “Histórias da Democracia” (2008/2009), “Adélia” (2010), “8 Solos Acompanhados” (2011), “Dorian” (2012), “Ere, Piá, Curumim” (2013) e “João Cabral” (2015), entre outros.

SERVIÇO:

220 Cartas de Amor
Cia. Teatro Íntimo

07/11 a 12/12/2018
Terças e quartas-feiras – 21h

Teatro Poeirinha
Rua São João Batista, 104 – Botafogo
Tel.: (21) 2537-8053

Ingressos:
R$ 40 – Inteira
R$ 20 – Meia-entrada
— Venda na bilheteria do teatro e pelo site https://www.tudus.com.br/  —

Duração: 80 minutos
Classificação: Livre

FICHA TÉCNICA:

Direção: Rafael Sieg
Elenco: Gaby Haviaras e Renato Farias
Dramaturgia: Renato Farias [a partir das correspondências de Maria de Lourdes Lang e Lourenço Renato Medeiros de Farias (in memorian)]
Cenário: Gigi Barreto
Aderecista: Guilherme Xavier
Figurinos: Teca Sodré
Iluminação: Paulo César Medeiros
Maquiagem: Ton Hyll
Seleção Musical: Rafael Sieg
Projeto Visual: Flávia Moretz e Dani Tinoco
Projeto Gráfico: Tarcísio Lara Puiati
Fotos de Divulgação: Carol Beiriz
Produção: Damiana Guimarães

Posts relacionados

“Primeiro de Abril” reestreia no Teatro Municipal Café Pequeno

Redação

14º Campeonato Carioca de Improvisação

Redação

Sergio Mallandro vai a Petrópolis para fazer plateia rir

Redação

Deixe um comentário