-0.6 C
New York
janeiro 15, 2019
Teatro & Dança

‘Paulo e Estêvão – O Musical’ na Lona Carlos Zéfiro

A saga do rabino que se tornou um dos maiores apóstolos do cristianismo

A peça teatral “Paulo e Estêvão – O Musical”, baseada nos best-seller ditado pelo espírito Emmanuel e psicografado por Chico Xavier, em 1941, volta ao palco da Lona Carlos Zéfiro no dia 21 de outubro, às 17h. O espetáculo da Cia. Teatral Mensageiros aborda a diversidade da história da humanidade, da política, da relação humana e seus propósitos em conhecimento e questionamentos diante da fé religiosa. Liberdade e opressão, poder e arbitrariedade, bem como preconceitos classistas e fanatismo religioso estão em cena, espelhando lutas que ainda hoje movimentam nossa sociedade.

Quem era Paulo de Tarso? Um fariseu perseguidor de cristãos, mas predestinado por determinação divina a pregar o Evangelho em toda a Terra. Conhecido como Saulo, se dedicava à perseguição dos primeiros discípulos de Jesus na região de Jerusalém. Durante uma viagem entre Jerusalém e Damasco, numa missão para capturar fiéis e leva-los presos, Saulo teve uma visão de Jesus envolto numa grande luz. Ficou cego, mas teve a visão recuperada após três dias por Ananias, que também o batizou. Começou, então, a pregar o Cristianismo. Juntamente com Simão Pedro e Tiago – o Justo, ele foi um dos mais proeminentes líderes do nascente cristianismo. Paulo de Tarso, também foi chamado de Apóstolo Paulo, Saulo de Tarso e São Paulo foi um dos mais influentes escritores do cristianismo primitivo, cujas obras compõem parte significativa do Novo Testamento. A influência que exerceu no pensamento cristão, chamada de “paulinismo”, foi fundamental por causa do seu papel como preeminente apóstolo do Cristianismo durante a propagação inicial do Evangelho pelo Império Romano.

O espetáculo foi repensado como um musical, tendo como convidados cantores experientes e famosos no movimento da música transcendental, tais como Marcelo Daimom, Haroldo Mendonça e Ariovaldo Filho. Reúne músicas clássicas no meio a que nos referimos, tais como “Noite e dia” (de Allan Filho), “Alma”, “Olhar o céu” (Ambas de Marielza Tiscate), “Doutrina de amor” (De Fábio Leite) e mais nove canções que demostram a grandeza, o amor, os sonhos do ser humano e a fé na imortalidade da alma, em um cenário em que o Cristianismo e o Império Romano disputavam a posse das almas, num cenário de misérias e esplendores.

Os cenários foram projetados com a moderna tecnologia do Lightworks e reproduzem, através de vídeos e imagens, variados ambientes da Roma e Jerusalém do passado, cujo material precioso advindo de universidades de outros países foi trazido ao Brasil pelo diretor do espetáculo, e também historiador, Caíque Assunção. Os figurinos constituem, igualmente, parte valiosa dessa pesquisa histórica, visto que as armaduras de centuriões e generais, espadas, adagas e escudos, estandartes das legiões e etc, são réplicas autênticas trazidas da Europa e dos EUA. Tudo isto fará o público voltar a um passado histórico de há 2000 anos. A peça estreou em 2006, no Rio de Janeiro, tendo sido apresentada em outros estados (São Paulo, Pará, Bahia, Minas Gerais, etc) e agora retorna aos palcos em forma de musical.

A peça propõe o diálogo, os questionamentos, os medos, a fé, o conhecimento, a poesia e a crítica ao estilo de vida a partir do distanciamento da vida comum pré-estabelecida pela sociedade, onde ambiciona contribuir diretamente para a autoanálise de si, do eu com os feitos da história de outros. O Espelho convexo do homem moderno, visando à análise da perda de um ser sem sonhos, sem ilusões e utopias de vida. Busca assim contribuir na reflexão do poder que a fé possuiu sobre nossa forma de estabelecer a vida, nas rotulações feitas a todo tempo pelos meios de comunicações e por nós mesmos, quando um membro não se encaixa a esse padrão de sociedade.

Experiente e reconhecida pela qualidade de seus espetáculos, a Cia. Teatral Mensageiros foi fundada em 1998 com a estreia da peça “Há 2000 anos”, no teatro João Caetano. Surgiu quando atores e amantes da arte espírita/espiritualista e afins juntaram-se para levar aos palcos arte transcendental, ou seja, peças que ultrapassem os limites da experiência, que trabalha a intervenção de um princípio que lhe é superior. A companhia não visa o proselitismo, mas, sim, informar e participar deste grande movimento da arte transcendental que abrange peças de teatro variadas, músicas e até mesmo filmes norte-americanos (Ghost, Amor além da vida, O Sexto Sentido e etc).

Serviço

Lona Cultural Carlos Zéfiro – Estrada Marechal Alencastro, 4113 – Anchieta, Rio de Janeiro. Data: 21 de outubro, domingo. Horário: 17h. Classificação: 10 anos. Capacidade: 320 lugares Contato: lonazefiro.cultura@gmail.com. Informações: 2148-0813. Ingressos: R$ 25,00 (meia-entrada mediante doação de 1kg de alimento não perecível) e R$ 50,00 (inteira).www.facebook.com/lonacarloszefiro

Posts relacionados

Janeiro de Grandes Espetáculos 2019| Abertura oficial com baile de carnaval

Alyson Fonseca

O Show da Luna

Redação

Hamlet | Espetáculo da Armazém Companhia de Teatro se apresenta no Teatro Santa de Isabel

Alyson Fonseca

Espetáculo Esperança na Revolta estreia no Terreiro Contemporâneo neste final de semana

Redação

Comédia Além do que os nossos olhos registram estreia dia 1º de setembro no Teatro Fashion Mall

Redação

Sucesso na internet, Santa Alfabeta reestreia peça “Moça Velha Não Faz Milagre”, em Copacabana

Redação

Deixe um comentário