21.8 C
Rio de Janeiro
setembro 24, 2018
  • Home
  • Música
  • ‘OsS Wirtti – O Bonde da Ilusão'” no Centro de Referência da Música Carioca
Featured Música

‘OsS Wirtti – O Bonde da Ilusão'” no Centro de Referência da Música Carioca

OS WIRTTI - foto: Gabriela Lopes.junho
OS WIRTTI - foto: Gabriela Lopes.junho

Lançado no fim de junho no BNDES Cultural, um palco tão amplo quanto a proposta deste projeto, Os Wirtti – show O Bonde da Ilusão é o novo encontro musical dos três irmãos Guto Wirtti, Grazie Wirtti e Nina Wirtti, e é apresentado em nova data no Rio de Janeiro: sexta-feira, 17 de agosto, às 20h, no Centro da Música Carioca Artur da Távola, na Tijuca. Unidos, Os Wirtti apresentam uma coletânea com linguagem própria e minimalista, principalmente autoral com canções inéditas, junto a influências de sua terra natal, o Rio Grande do Sul, da música contemporânea brasileira e latina.

“Neste novo show, inserimos um pouco do repertório de cada um, com direção musical do Guto e boa parte dos arranjos criados coletivamente, unindo todas as canções. É um projeto original em nossa trajetória, mostrando um pouco das nossas carreiras, que vêm se expandindo individualmente e com encontros pontuais, como foi o nosso projeto em homenagem a Lupicínio Rodrigues em 2014, ou quando um participa do show do outro. Nós nos doamos a um desafio criativo, unindo importantes composições dos nossos repertórios, que se convergem, e desenvolvendo técnicas de voz e instrumentação com as quais ainda não tínhamos trabalhado. Estamos muito entusiasmados”, revela a cantora (e também compositora) Nina Wirtti.

Sozinhos no palco, pela primeira vez sem o acompanhamento de nenhum outro músico, como uma “trupe” — inspirados nos conjuntos de família, no espírito dos “bailes da vida”, no circo, na itinerância, na vida cigana de todo artista que deixa sua casa em busca de novos horizontes de vida e arte –, Os Wirtti se colocam mais uma vez no ponto de partida de onde “vai partir o bonde da ilusão”, como diz a letra da música que batiza o show.

Guto Wirtti, multi-instrumentista, compositor e arranjador, assina a direção musical e os arranjos, canta e toca violão e teclados. Grazie Wirtti canta, toca percussão e assina alguns arranjos. Nina Wirtti canta, toca percussão e violão e também assina alguns arranjos. No repertório, “a América Latina, o Brasil mestiço, os ritmos africanos, os instrumentos indígenas, a vida urbana em transformação, as origens todas que fomos buscar na Violeta Parra (com ‘Y arriba quemando el sol’), no Jorge Cafrune (com ‘Virgen Índia’), em João Donato e Lupicínio Rodrigues (com ‘Maria Rosa’, ‘Cadeira Vazia’ e ‘Castigo’ em um poutpourri), como releituras e na inspiração de nossas próprias canções; as lutas que nos instigam (e moldam ‘Preta no Palanque’, inédita de Iara Ferreira), as paisagens naturais e humanas ameaçadas (em ‘Iararê’, de Matias Arriazu e Grazie), o amor. Fazemos uma crítica social profunda em canções contundentes, como ‘O Bonde da Ilusão’ de Afonso Machado e Luiz Moura e ‘Ano Zero’ de Egberto Gismontti, porém temperadas com a ironia e o bom humor sobre a nossa própria condição como artistas”, declara Guto.

“Teus olhos”, uma melodia de choro-canção, é uma composição inédita de Nina com o cantor Marcos Sacramento. De Guto, “Donatiana” traz uma forte referência de Lupicínio Rodrigues e de João Donato e com “Sucesso” ele brinca com a ideia de descobrir o que seria necessário em uma canção pra fazer sucesso nas rádios. Já “Valsa enluarada” é uma parceria de Grazie com Yamandu Costa também repaginada. Além das inéditas, as músicas que foram selecionadas dos repertórios (CDs) de cada um estão adaptadas para a linguagem do show com diferentes instrumentos utilizados, não usuais aos três (piano, violão e percussão). Algumas surpresas são reservadas e a inserção de novas tecnologias, de forma bem minimalista e acústica, é uma delas. Por se apresentarem sozinhos, todo o show é inovador e desafiador para cada Wirtti, em cada performance individual.

Gaúchos radicados no Rio de Janeiro, “como doces bárbaros sulistas, que ‘invadiram’ o Rio ao longo da última década” (Leonardo Lichote, 2014) capitaneados por músicos como Yamandu Costa, em trabalhos solo ou ao lado de grandes nomes da MPB, como João Bosco e Egberto Gismonti, Os irmãos Wirtti vêm tecendo suas carreiras de forma muito original e singular. Priorizando repertórios marcados por uma linguagem própria, cada um se utiliza de canções inéditas de novos compositores, de composições autorais e de composições pinçadas do cancioneiro regional e também contemporâneo brasileiro e latino, fruto da grande influência que carregam de sua terra natal, o sul do Brasil (como o compositor Lupicínio Rodrigues), e do pai, cantor e compositor regionalista gaúcho, Antonio Gringo.

FICHA TÉCNICA:
Guto Wirtti – Direção musical. Voz, violão, teclados, arranjos.
Grazie Wirtti – Voz, percussão, arranjos.
Nina Wirtti – Voz, percussão, violão, arranjos.

SERVIÇO:

Show: Os Wirtti – O Bonde da Ilusão – Quintas no BNDES

Local: Centro Municipal da Música Carioca Artur da Távola (Rua Conde de Bonfim, 824 – Tijuca, Rio de Janeiro – RJ)

Evento FB: https://www.facebook.com/events/2141902866134760/
Data: sexta-feira, 17 de agosto de 2018
Horário: 20h
Classificação: livre

Couvert: R$30 (R$15 – meia-entrada: idosos, estudantes, professores da Rede Municipal, moradores do Rio de Janeiro com comprovantes de residência ou carioca com com documento de identificação)

Posts relacionados

“Em uma manhã de Sol” estreia no SESC Tijuca

Redação

Casa Carandaí promove festival de queijos e embutidos artesanais do Brasil

Redação

Dupla Maiara & Maraisa preparam lançamentos

Alyson Fonseca

Deixe um comentário