Olimpíada Solidária bate meta e biblioteca em comunidade é reformada

Projeto vai beneficiar cerca de 100 crianças e moradores de favelas e bairros ao entorno

No período de 05 de novembro a 05 de dezembro, 41 bibliotecas em todo o país estavam mobilizadas para atingir 50 mil horas de leitura e convertê-las em dinheiro para a compra de livros para a biblioteca comunitária do projeto Conto a Conto, localizada no morro Santo Amaro, Catete (RJ). Durante esse tempo, mais de 10 mil leitores participaram do projeto, fazendo com que a meta fosse ultrapassada, atingindo 63 mil horas de leitura. Agora, a corrida é outra: construir e entregar a biblioteca do projeto, mobiliada e com um acervo 2 mil livros no dia 17 de dezembro, às 15h, com muita comemoração.

O evento terá a presença de membros do Instituto Ekloos, organizador da Olimpíada Solidária no Brasil, e representantes das bibliotecas do CCBB-RJ e da PUC-Rio, duas das três que mais pontuaram no ranking de horas ao final da olimpíada. Além de receberem o reconhecimento por terem sido as bibliotecas que mais fizeram horas de leitura, na ocasião os representantes ressaltarão a importância de iniciativas como a Olimpíada Solidária. A inauguração conta com bolo, música e contação de histórias feitas por convidados do projeto. 

Além do estímulo à leitura, uma das ações que serão realizadas pelo projeto Conto a Conto na biblioteca, especialmente construída graças a Olimpíada Solidária, é o trabalho de mediação de leitura. “Tendo em vista a falta de hábito de leitura e até mesmo o analfabetismo funcional, é importante ter alguém para acompanhar a leitura das crianças e ler os livros com e para elas”, observou Andrea Gomides, diretora do Instituto Ekloos. O dinheiro arrecadado também servirá para investimentos em mobiliário e estrutura da biblioteca.

“Como a Olimpíada Solidária termina praticamente no Natal, costumamos dizer que a biblioteca acaba sendo um grande presente para as crianças e para a própria comunidade”, destacou, satisfeita, Andrea.

Um novo espaço que leva para uma verdadeira viagem pelas palavras
A nova biblioteca funcionará num espaço da associação dos moradores do Morro Santo Amaro e será gerida por Lucia Helena, membro da Associação Casinha da PAz – cujos membros já realizam, desde 1998, uma série de atividades envolvendo práticas de leitura através do projeto Conto a Conto. Graças à obra foi possível a criação de uma área exclusiva para funcionamento da biblioteca, contando com um bom acervo de livros, permitindo que cerca de 100 crianças sejam beneficiadas, além dos vizinhos do morro Santo Amaro, como moradores das comunidades Tavares Bastos e Fazenda Catete.

Como era antes: o projeto Conto a Conto começou com as sapateiras de livros, projeto de Lucia Helena. A ideia era espalhar sapateiras verticais com livros pela comunidade, fazendo com que os moradores tivessem mais acesso aos livros do projeto, estimulando, assim, a leitura. Agora, a biblioteca passa a ser ponto de referência para a troca e reposição dos livros que ficam nas sapateiras, além de ser local de leitura e outras atividades.