21.6 C
New York
junho 18, 2019
Featured Teatro & Dança

‘O salto de Prometeu’ estreia no Espaço Cultural Municipal Sergio Porto

Foto: Felipe O’Neill
Foto: Felipe O’Neill
  • Maurício Lima interpreta performance lírico-reflexiva inspirada em tragédia de Ésquilo
  • Peça fica em cartaz de 1º a 24 de setembro, aos sábados, domingos e segundas

Num momento dramático limítrofe de sua existência, um homem reflete sobre a vida e a morte, relembrando o mito de Prometeu, personagem de uma das principais tragédias de Ésquilo. Com texto de João Cícero e interpretado por Maurício Lima, o monólogo “Ossos ou O salto de Prometeu” estreia dia 1º de setembro, no Espaço Cultural Sérgio Porto. A direção é de João Cícero e Laura Nielsen. Ao todo serão 12 apresentações, aos sábados, domingos e segundas.

A partir de reminiscências factuais desorganizadas e instáveis, o texto reflete sobre destino e livre-arbítrio a partir da tragédia grega “Prometeu Acorrentado”, uma das principais do dramaturgo Ésquilo. “Trata-se de uma performance lírico-reflexiva sobre o drama de um homem que atravessa um momento vertiginoso da existência, uma zona de turbulência, lançando um olhar sem moral para a morte iminente”, conta João Cícero, indicado como melhor autor nos prêmios Questão de Crítica e Cesgranrio com a peça “Sexo Neutro”.

“Prometeu Acorrentado” é uma das principais tragédias de Ésquilo, poeta e dramaturgo da Grécia Antiga. A história fala do castigo de Zeus a Prometeu, em decorrência de ele ter roubado o fogo, que pertencia aos deuses, e o ter concedido à humanidade. Como punição, Prometeu foi acorrentado a um rochedo para que uma águia devorasse seu fígado, que se regeneraria a cada noite, repetindo o drama por 30 mil anos. Um dia, um centauro o salva, libertando Prometeu das correntes e matando a águia. 

SINOPSE
“Ossos ou O salto de Prometeu” é uma performance lírico-reflexiva em que uma subjetividade (homem-negro), Maurício Lima, com poucas reminiscências factuais, desorganizadas e instáveis, narra uma experiência limítrofe atravessada por reflexões (saltos de leitura) da peça Prometeu Acorrentado, de Ésquilo.

FICHA TÉCNICA
Ator: Maurício Lima
Direção: João Cícero e Laura Nielsen
Texto: João Cícero
Produção: Dayene Ruffo
Direção de arte: Ticiana Passos
Trilha: Márcio Pizzi
Direção de Movimento: Laura Samy
Direção de Produção: Dayene Ruffo
Iluminação: André Martins
Fotos: Felipe O’Neill

SERVIÇO

“Ossos ou O salto de Prometeu”
Direção: João Cícero e Laura Nielsen
Apresentações: 1, 2, 3, 8, 9, 10, 15, 16, 17, 22, 23 e 24 de setembro de 2018 (sábados, domingos e segundas)
Hora: 19h
Duração: 50 min – 1hora
Classificação etária: 18 anos
Iluminação: André Martins
Sonorização: Márcio Pizzi
Ingressos: R$ 30,00
Lotação: 20 lugares
Local: Espaço Cultural Municipal Sergio Porto
End: Rua Humaitá, 163 – Humaitá, Rio de Janeiro (entrada pela Rua Visconde de Silva)
Tel.: (21) 2535-3846

Posts relacionados

‘Jacques e a Revolução, ou como o criado aprendeu as lições de Diderot’ reestreia no Teatro Glaucio Gill

Redação

Peixaria do Zé Maria: Festival Gastronômico chega ao Rio de Janeiro com pratos criados em Noronha

Redação

Festival Atos de Fala chega à sua quinta edição com o mote Escapar do Capataz

Redação

Grupo Roda Gigante completa 10 anos e estreia peça “Sobre o que não sabemos” no Sesc Copacabana

Redação

Natal Mágico no Teatro Bradesco Rio

Redação

“De Coisas que Aprendi com Elis” no Teatro João Caetano

Redação

Deixe um comentário