O Cantor e compositor Grillo lança “O Baile Chegou” em Copacabana

Grillo (foto: Elias Nogueira)
Grillo (foto: Elias Nogueira)

Com uma sonoridade influenciada por Tim Maia e a música Black da década de 1970, Grillo passeia por ritmos ao som de um violão tipicamente brasileiro como o samba e bossa nova. No repertório do show, músicas de sua autoria e também releituras de clássicos e, novas tendências da MPB, como: Influência do Jazz (Carlos Lyra), Louise de Brésil (Liniker), Avohai (Zé Ramalho), Desafinado (Tom Jobim e Newton Mendonça) e é claro, sua nova versão bossa eletro de K.O. (Pablo Vittar).

O Show de lançamento do novo EP autoral “O Baile Chegou”. O trabalho é uma fusão de ritmos como soul, charme e rap tudo minuciosamente feito com violão tipicamente brasileiro, onde estão o samba e bossa nova. Os sopros e beatboxes se entrelaçam às percussões de mestre Marçal sob a produção musical de DJ Meme.

Reportagem e fotos por Elias Nogueira

Trabalho novo
– O Baile Chegou – EP de quatro músicas, três foram produzidas pelo Dj Meme – “Ela Não Teve Saudades”, “Já Foi” que é uma música que fala do empoderamento feminino (é a consciência coletiva, expressada por ações para fortalecer as mulheres e desenvolver a equidade de gênero), a faixa “Eu Agradeço” que é uma música que fala de gratidão e “O Baile Chegou” produção do Sérgio Santos. Todas estão disponíveis nas plataformas digitais.

Pouco da história
– Comecei no samba e fazer shows em 1999, fiz circuito da Lapa durante muito tempo – foi quando conheci Tia Surica e percebi que não conhecia o samba, quando fui a casa dela; eu tocava o samba mais antigo com pandeiro de couro, coisas mais Noel Rosa. O samba teve modificação a partir do Cacique de Ramos, Fundo de Quintal, Almir Guineto, Arlindo Cruz, essa galera toda. Convivi muito com essa gente, o pessoal da Velha Guarda da Portela. Fiz uma temporada de quase um ano no Barril 8000, na Barra (RJ), com Noca da Portela – eu acho que: o Arlindo (Cruz) fazia as quintas feiras, Dudu Nobre fazia as segundas e eu as terças feiras.  Tive um grupo de samba e choro chamado Cozinha Brasileira, fui fundador e fiz parte durante nove anos.

Grillo tocou com várias lendas da música, inclusive Walter Alfaiate e Vó Maria, viúva do Donga.
– Num período de minha carreira fiz Rio Scenarium direto, mensalmente, foram quase dez anos tocando na casa. Teve uma época em que fiz “João Grillo e Convidados” – Tia Surica, Marquinho Sathan, Monarco e foi o Walter Alfaiate. Tive grande prazer em conhecer, uma “figuraça” e faz uma falta imensa ao samba – é o cara que veio com aquela malandragem carioca sambista, uma lenda que continua viva. Conheci Vó Maria, viúva do Donga com 100 anos e fizemos muitas coisas juntos. Ela gravou seu primeiro disco com 92 anos, e até os 102 anos ela estava tocando comigo, nos anos 2000.

*Você poderá assistir a entrevista na íntegra no Youtube www.youtube.com/watch?v=8RwCFxm0Zgc&t=6s

Serviço:
Show de lançamento do EP – O Baile Chegou – no Beco das Garrafas
Data: 17 de outubro, 20h
Ingressos R$ 30,00 (dinheiro)
Rua Duvivier, 37
Lista amiga R$ 20,00 (basta confirmar presença no evento).
www.sympla.com.br

Participações especiais de Aline Lessa e Gabriela Lobo
Músicos: Lucas Nossa (guitarra), Marfa Kourakina (baixo), Kelder Paiva (bateria) e Thiago Medeiros (teclado e trompete)