O ‘BBB17’ de Marcos: como romantizar um relacionamento abusivo até o desabrochar um monstro

Dedo em riste, opressão no canto de duas paredes, agressão verbal, desrespeito. Beliscos, aperto no pulso. Um: “Para, você está me machucando”, no lugar de um “Obrigada, amor” ou um “Eu amo você”. Estas foram as últimas cenas marcantes apresentadas no “romance” entre Emilly e Marcos, no “BBB17”.  Por essas e por outras, empoderamento feminino não é mimimi.

Ao invés do enredo de uma história de amor, um filme policial. É bizarro e extremamente nocivo ao bem-estar da mulher a maneira como o relacionamento abusivo é extremamente romantizado na mídia. Quantas novelas, filmes e até mesmo desenhos já vimos que contam a mesma história: um homem maduro, desacreditado na vida, sem modos e agressivo tem sua vida mudada por uma jovem mulher cheia de vida, de alegria contagiante e com personalidade forte? 

Nessa mesma onda temos o fator ‘redenção’, ou seja: Emilly se arrependendo de ter sido mesquinha e Marcos caindo aos prantos se arrependendo a cada discussão e de ter sido duro com a garota. O final “feliz” ficou para quem não aguentava testemunhar um relacionamento abusivo.  Mas “feliz” não é adjetivo para situação nenhuma de violência contra mulher.   

Não tem nada de cômico, é trágico. E, ainda que muitos torçam o bico para o Big Brother Brasil, mostra-se ali um retrato de nossa sociedade.

N fatores podem ter levado Marcos a permanecer na casa após o paredão com Marinalva: a questão da Emilly ter iniciado o jogo como uma linda menina ingênua e doce e depois ter se revelado egoísta e sem empatia fez com que muitas pessoas gostassem quando o Marcos retrucava ela ou dava uma patada. O público via a atitude dele como uma resposta bem dada a uma menina que a edição passou a mostrar como ciumenta e mimada.

 

Outro fator é que a violência contra mulher ainda é vista como mimimi e como culpa da vítima, assim as pessoas acham que o Marcos e suas explosões acontecem porque Emilly é ciumenta demais.E tem gente na internet ainda questionando: “Por que ela não larga dele, então?”. Ou chegam a dizer que ela está o provocando para sair como vítima.

 

Não importa. Marcos discutiu com muita violência verbal e intimidação agressiva com TODAS as mulheres da reality e o relacionamento que vivia na casa mais vigiada do Brasil é abusivo. Acabou para Marcos  no “BBB17”. Antes tarde do que nunca.  Precisamos Tb enxergar as casas que, oposto ao BBB, são menos vigiadas: as casas dos nossos amigos e familiares.