Museu da Língua Portuguesa pela primeira vez no Rio

Museu da Língua Portuguesa, que está em reconstrução em São Paulo, leva sua experiência-símbolo e atividades educativas para a 18ª edição da Bienal Internacional do Livro, no Riocentro. Exposição itinerante ‘A Energia da Língua Portuguesa’ completa a programação, com entrada gratuita de 7 a 10 de setembro, na Praça Mauá.

foto: Charles Trigueiro)
foto: Charles Trigueiro)

O Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, chega pela primeira vez ao Rio de Janeiro na 18ª Bienal Internacional do Livro, que começa no próximo dia 31, no Riocentro. Uma instalação audiovisual vai recriar a experiência-símbolo do Museu: a Praça da Língua, espécie de “planetário do idioma” que homenageia a língua escrita, falada e cantada, em um espetáculo imersivo de som e luz.

A experiência, em um cubo de 6mx5m, recupera extratos do áudio original do Museu da Língua Portuguesa, criado com curadoria de Arthur Nestrovski e José Miguel Wisnik. São trechos clássicos da poesia, prosa e música produzidas em língua portuguesa – de Carlos Drummond de Andrade a Dorival Caymmi, passando por Fernando Pessoa, Nelson Rodrigues e Lamartine Babo –, interpretados por nomes como Maria Bethânia e Matheus Nachtergaele.

Seguindo o espírito que consagrou o Museu da Língua Portuguesa, as ações na Bienal reúnem tecnologia, literatura e interação com os diversos públicos, para celebrar esse idioma falado em nove países (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste). O Museu está sendo reconstruído em São Paulo, depois do incêndio que o atingiu em dezembro de 2015.

O espaço também vai promover atividades educativas que celebram a língua portuguesa, em três eixos: suas origens e seus usos diversos, que fazem dos falantes também “autores” do idioma; as palavras como elementos visuais, a partir do idioma escrito; e a língua que se torna literatura. A programação educativa foi desenvolvida em parceria com a curadora do espaço infantil da Bienal do Livro, Daniela Chindler.

O Museu da Língua Portuguesa na 18ª Bienal Internacional do Livro Rio é uma iniciativa da Fundação Roberto Marinho, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado de Cultura de São Paulo, da EDP e do Grupo Globo. 

“A presença do Museu da Língua Portuguesa neste grandioso evento literário é muito significativa para nós. A língua portuguesa, falada em 9 países, vai ser celebrada na Praça da Língua e nas atividades educativas que realizaremos em todos os dias da Bienal do Rio. Nos unimos à causa de formar novos leitores e incluir cada vez mais professores e estudantes nesta festa da cultura, da literatura e da educação”, afirma José Roberto Marinho, vice-presidente do Grupo Globo e presidente da Fundação Roberto Marinho.

Para o secretário geral da Fundação Roberto Marinho, a participação do Museu na Bienal estreita a comunicação com o público. “A Praça da Língua é uma experiência original do Museu da Língua Portuguesa.  É uma espécie de planetário da língua, que apelidei de linguetário, e adaptamos em formato itinerante. Nossa ideia é que, durante a reconstrução do museu, o público continue tendo a experiência viva da língua falada, cantada e escrita. A Praça da Língua já esteve na Flip – Festa Literária de Paraty e agora estará nestes 11 dias de Bienal, provocando a celebração deste idioma falado por 260 milhões de pessoas em todo o mundo”, afirma Hugo Barreto, secretário geral da Fundação Roberto Marinho.

foto: Charles Trigueiro)
foto: Charles Trigueiro)

Museu está em reconstrução em São Paulo
O Museu da Língua está sendo reconstruído, em São Paulo, após o incêndio que o atingiu em dezembro de 2015. Estão em curso, atualmente, as obras de restauro da fachada e esquadrias. A inauguração está prevista para 2019. Seu acervo, o patrimônio imaterial da língua, continua sendo celebrado por meio de atividades como as realizadas durante a Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), em julho, quando foi montada pela primeira vez a instalação Praça da Língua. Em maio, no saguão da Estação da Luz, em São Paulo, foram realizadas atividades culturais para a celebração do Dia Internacional da Língua Portuguesa.

Em 10 anos de funcionamento na Estação da Luz, em São Paulo, o Museu recebeu cerca de 4 milhões de visitantes (319 mil destes em ações educativas). Primeiro do mundo totalmente dedicado a um idioma, trouxe ao país um novo conceito museográfico, que alia tecnologia e educação. Com uma narrativa audiovisual e ambientes imersivos, permitiu aos visitantes descobrir novos aspectos do idioma, elemento fundador da cultura do país.

O Museu da Língua Portuguesa é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura, concebido e realizado em parceria com a Fundação Roberto Marinho. Tem como patrocinador máster a EDP, como patrocinadores o Grupo Globo e o Grupo Itaú e o apoio do Governo Federal, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. O IDBrasil é a organização social responsável pela gestão do Museu.