Mostra Cia da Ideia 10 anos

Cia da Ideia comemora 10 anos com mostra de expoentes espetáculos de dança, no Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro, na Tijuca

Com objetivo de apresentar a dança a diversos públicos, a formação plateia, a criação e a interação da dança com o teatro, Sueli Guerra, ao lado de Jean Gama, fundaram a Cia da Ideia, em 2006. Seu primeiro trabalho, “Estação Mumbai”, foi apresentado na Mostra de Cinema “Mostra o seu que eu mostro o meu” (RJ) e no “Painel Brasil”, da Mostra de Vídeo-Dança / Dança Brasil (CCBB – RJ e DF). Nos anos seguintes, a dupla apresentou-se em vários teatros, como o Teatro do Jockey e o Teatro da UniverCidade, e participou de diversos eventos, entre eles o Festival de Dança de Londrina (PR) e o Festival Tápias (RJ).

A parceria de Sueli Guerra com Jean Gama tornou-se cada vez mais produtiva, resultando na criação de uma nova obra. Em 2006, surgiu o espetáculo “Estação”, criado em conjunto com os bailarinos Gisele Alvim, Tiago Sancho e Samuel Frare.

A Cia da Ideia, que se caracteriza como um grupo de criação aponta para um novo rumo no fazer artístico da área da dança, onde o bailarino/ator não é mero instrumento ou intérprete e, sim, um ser pensante que interage com o mundo e contribui com sua experiência vivencial no processo de criação. O artista da Cia da Ideia, com base no direcionamento da coreógrafa Sueli Guerra, cria, assim, um “produto-espetáculo” mais verdadeiro e vivo.

A Companhia usa o diálogo entre o teatro e a dança contemporânea para aproximar a plateia da encenação, fazendo com que o espectador possa vivenciar todos os pontos de vista apresentados, de maneira delicada e impactante.

O projeto se apresentará dentro do processo de Subvenção – 10 anos da Cia da Ideia, que foi ganhador do edital de fomento Viva Cultura! E é patrocinado pela Secretaria Municipal de Cultura / Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro. Todos os espetáculos, bem como as oficinas ministradas pelos integrantes da Cia da Ideia terão entrada franca.

ESTAÇÃO – Dias 03 e 04/11 – quinta e sexta – às 20hs – 50 minutos
Em “Estação”, os não-personagens convivem num lugar comum. O trabalho propõe o questionamento do encontro e do desencontro consigo mesmo, com o outro ou com o desconhecido (que muitas vezes nos é familiar). Os intérpretes contribuem trazendo nas bagagens suas lembranças e memórias afetivas. A partir dessas lembranças, cada um marca uma nova trajetória e desenha um novo contexto de relações. ESTAÇÃO nos leva ao lugar de onde se vai partir. Partir para liberar-se. Partir e continuar preso àquilo que nos faz partir.

JANGADA DE PEDRA – Dias 05 e 06/11– sábado às 20 hs e domingo às 18hs – 50 Minutos
Em Jangada de Pedra, espetáculo livremente inspirado no livro homônimo de José Saramago, há a fusão de elementos da literatura e do teatro no trabalho da dança. Assim, a Cia busca a discussão sobre as espacialidades do ser, o pertencimento a um território – seja ele geográfico ou subjetivo – e as fronteiras erguidas nas localidades, nas ideias e nos corpos.

Joana traça no solo uma linha que não se apaga; Sassa lança às águas uma pedra enorme, desafiando a gravidade; José é acompanhado a todo o lado por um bando de estorninhos; num canto perdido de Espanha, Pedro é o único que sente a terra a tremer; da mão de Maria escapa-se um novelo que nunca mais termina… Enquanto esses acontecimentos aparentemente banais se desenrolam, uma fenda aparece ao longo da fronteira entre Espanha e França, fazendo com que a Península Ibérica parta à deriva, como uma jangada de pedra… Qual a ligação entre esses personagens e o destino da Península? Até onde um gesto banal pode mudar o rumo de suas vidas?

PEQUENAS PEÇAS – Dias 10 e 11/11 – às 20hs – 50 Minutos
Inspirado na obra de Clarice Lispector, o espetáculo Pequenas Peças mergulha no universo feminino, revelando delicadamente os desejos, anseios e medos, mas também os prazeres, a fecundidade e a força de ser mulher.

BATUQUE CONTEMPORÂNEO – Dias 12 e 13/11o – sábado às 20hs e domingo às 18hs – 50 Minutos
“Batuque Contemporâneo” traz como diferencial a exploração de uma forma ousada de criação no meio da dança contemporânea, onde ambas as expressões artísticas são unidas em um processo de experimentação constante e de criação coletiva multi-artística.

Sueli Guerra, além de possuir extensa carreira como diretora de movimento e coreógrafa de sucessos como “Tim Maia, o musical” e a peça “Batalha de Arroz, um ringue pra dois”, entre diversos outros. Guga Machado, possui uma carreira marcada por turnês com artistas como Thiago Pethit, Filipe Catto e Tiago Abravanel, além de tocar com diversos músicos de São Paulo e do mundo, lançou seu primeiro CD solo “Mafagafo Jazz”, trabalho que inspira a Cia da Ideia neste processo de co-criação para a realização de “Batuque Contemporâneo”. Guga traz 

instrumentos como Hang Drum, Kalimba, Mrdanga, Derbak, Djembê para a música popular, além de não economizar na expressão corporal ao tocá-los. A Cia da Ideia, ao lado de Guga Machado, mergulham ainda mais na pesquisa da relação entre corpo, dança e música. O resultado é um trabalho novo onde subirão aos palcos juntos, o músico e os bailarinos, interagindo, criando e se movimentando em harmonia, transformando em expressivos movimentos corporais a pluralidade sonora, ao vivo no palco, resultando em uma apresentação harmônica e cativante do espetáculo.

BATUQUINHO – Dias 12 e 13/11 – sábado às 17hs e domingo às 16hs – 50 Minutos
Foi o encanto proporcionado nas crianças depois de uma série de apresentações em praças e espaços abertos que fez surgir o desejo de se criar uma versão do “Batuque Contemporâneo” para os pequenos. Assim nasceu “Batuquinho”, uma edição infantil do espetáculo que tem encantando as plateias por onde passa.

Nessa versão, uma seleção de cenas coreográficas cuidadosamente selecionadas surge sob o olhar de um novo personagem: “Antônio” vivido por Antônio Guerra.  Desde o seu nascimento o menino vive sua jornada de descoberta do ritmo e do batuque.  Desde a gestação, embalado pela batida do coração, passando pelo suave embalo dos acalantos, até o contato do menino com os ritmos da vida. Completando a jornada “Antônio” se rende à dança e acha seu lugar no mundo entre tantos passos e ritmos.

Com supervisão cênica de José Mauro Brant, um novo trabalho de produção de imagens projetadas no palco, cria uma embalagem diferente pro espetáculo, aproximando-o ao universo infantil e fazendo de “Batuquinho” uma oportuna e encantadora introdução à dança contemporânea e ao ritmo, medula da vida.

PROFESSORES . EQUIPE . PARCEIROS
Sueli Guerra – Diretor – Interprete – Criador
Alessandro Brandão – Coreografo – Interprete – Criador
Edney D`Conti – Intérprete-Criador
Olívia Vivone – Intérprete-Criadora 
Rafaela Amado – Intérprete-criadora
Mery Horta – Intérprete-criadora
Andreia Pimentel – Intérprete-criadora
Saulo Eduardo – Intérprete-Criador
Interprete Estagiário: Maria Alina Corsa
Cacau Gondomar – Produtora

SERVIÇOS:
Local Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro
Endereço: Rua José Higino, 115 – Tijuca – Tel: 3238-0357
Lotação: 150 lugares
Classificação: Livre
Entrada Gratuita