Mercado Brasil de Artesanato Tradicional

De 15 a 18 de dezembro feira põe à venda mobiliário, acessórios, objetos, vestuário e muito mais nos jardins do Palácio do Catete 

Detalhe da mandala com bonecas de Esperança - PB. Promoart, Polo 28

Fomentar a venda sem intermediários entre artesão e consumidor final é uma das principais metas do Mercado Brasil de Artesanato Tradicional, feira que acontece de 15 a 18 de dezembro, das 11h às 19h, nos jardins do  Palácio do Catete, RJ, reunindo mobiliário, artigos para casa, acessórios, vestuário e muito mais obras de arte assinadas por artesãos de todas as regiões do Brasil. O artesanato tradicional é aquele que passa de geração a geração, entre famílias e povoados, unindo o fazer artístico à matéria-prima nativa local. Um exemplo são as exuberantes criações produzidas com capim dourado do Jalapão, Tocantins, conhecidas mundo afora, que estarão à venda no Mercado Brasil.

Mas tem muito mais. Vindo do Pará: brinquedos de Meriti de Abaetetuba, Figuras de balata de Monte Alegre e Belém – representações de animais e tipos humanos característicos da Amazônia – trançados de Arapiuns, cuias de Aritapera e mobiliários dos Rios Tapajós e Arapiuns. Vindo do Ceará: artes de Juazeiro do Norte (como cestas, marionetes oratórios, imagens sacras etc), renda de labirinto de Icapuí, cerâmica de Cascavel e garrafas de areia de Aracati. Do Sergipe chegam bordados de ponto cruz, renda de bilro e redendê de Poço Redondo, renda irlandesa de Divina Pastora e cerâmica de Itabaianinha. Minas Gerais se faz representar com mobiliário de palha de milho e couro e instrumentos musicais de Chapada do Norte, tecelagem de Berilo, no Vale do Jequitinhonha e cerâmica de Campo Alegre, Coqueiro Campo e Santana do Araçuaí. E por aí vai, revelando o talento nato dos artesãos de 22 estados brasileiros.

O escoamento da produção dos artesãos é um dos grandes desafios que o Mercado Brasil de Artesanato Tradicional fomenta através do Programa de Promoção do Artesanato de Tradição Cultural (Promoart),  criado para apoiar grupos produtores de artesanato tradicionais, buscando o desenvolvimento desse setor da cultura brasileira, consolidando uma política cultural afim. É uma realização da Associação Cultural de Amigos do Museu de Folclore Edison Carneiro (Acamufec). Mais informações: www.promoart.art.br

“Nosso compromisso é com os produtores e nosso trabalho tem viés particular na esfera da Cultura e do Patrimônio Imaterial”, destaca Bete Vicari, coordenadora do Promoart. “Nos últimos anos, investimos na salvaguarda de apoio que os artesãos, muitas vezes, não dispõem.É um trabalho contínuo. Ao realizar a Feira tornamos essa ação visível”, completa Maria Cecília Londres Fonseca, Presidente da Associação de Amigos do Museu do Folclore Edison Carneiro.

A realização do Mercado Brasil de Artesanato Tradicional vem somar-se à reinauguração recente da exposição de longa duração do Museu do Folclore Edison Carneiro. “Depois de longo processo, a equipe do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular reformulou inteiramente a mostra de longa duração do Museu, sua exposição principal, aquela que em geral busca expressar conceitos consolidados sobre o campo das culturas populares. Os objetos e suas narrativas. Essa questão permeia toda a exposição de longa duração do Museu de Folclore Edison Carneiro e quer dialogar com o público sobre a polifonia dos objetos de sua coleção. Quer mostrar as diferentes vozes dos muitos segmentos sociais que dizem do folclore e da cultura popular a partir desses objetos”, contextualiza Claudia Marcia Ferreira, diretora do Museu e do CNFCP.

Serviço:

Mercado Brasil de Artesanato Tradicional

De 15 a 18 de dezembro de 2016, das 11h às 19h.
Local: Jardim do Palácio do Catete – Rua do Catete, 153, Catete – Rio de Janeiro. Entrada grátis.

Realização :: Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular e Associação Cultural de Amigos do Museu de Folclore Edison Carneiro