20.8 C
New York
junho 19, 2019
Teatro & Dança

Menines reestreia no Teatro Glaucio Gill

Com ingressos grátis para 10 primeiras pessoas trans e não-binárias todas as noites, programação inclui oficina Drag Queen e Drag King, além de debates e exposição do artista plástico Karim (informações e inscrições: Instagram @meninesteatro)

Com humor e leveza, MENINES explora o atrito entre afetos e tabus num mundo balizado pelo binarismo, através de cenas curtas – casuais, porém reveladoras – que se passam entre enamorados como em “Romiet e Julieu”; entre amigos como em “Casal Grávido”; entre pais e filhos como em “No armário” e “Em família”; diante de autoridades como em “Explique-se”. Na cena “DRAG”, o espetáculo faz uma homenagem a Shakespeare que, segundo estudiosos, teria inventado esta palavra ao usá-la como sigla para a rubrica “Dressed as a girl” – em português, vestido como uma garota.

A peça foi escrita sob encomenda, em 2017, para o projeto de fomento à dramaturgia jovem,  Conexões, criado pelo National Theatre e realizado no Brasil com apoio do British Council. 

Márcia Zanelatto foi recentemente premiada como autora e realizadora pelo International Brazilian Press Award na categoria Perfomance Arts pela ocupação “Brazil Diversity – LGBT+ short plays”, no Theatre503, em Londres / Inglaterra, 2018

ESTREIA: dia 12 de junho (4ªf), às 20h

LOCAL: Teatro Glaucio Gill – Praça Cardeal Arcoverde, s/n – Copacabana, RJ     Tel: (21) 2332-7904

HORÁRIOS: 4ª e  5ª às 20h / INGRESSOS: R$ 40,00 e R$20,00 (meia) / Promo TRANS FREE: 10 primeiras pessoas trans ou não-binárias que chegarem na bilheteria ganham 1 ingresso grátis / GÊNERO: comédia / CLASSIFICAÇÃO INDICATIVA: 14 anos / DURAÇÃO: 60 minutos / TEMPORADA: até 04 de julho

MENINES, texto inédito de Marcia Zanelatto, ganha montagem apresentando uma nova geração de jovens atores: Agnes Lobo, Bruno Maria Torres, Elisa Caldeira, Ian Belisário, Maíra Garrido, Pedro Marquez e Zane. O elenco recebe ainda a veterana SIMONE MAZZER, atriz e cantora, especialmente convidada para a temporada de lançamento.

Escrita sob encomenda para o projeto Conexões de fomento à dramaturgia jovem criado pelo National Theatre / Londres, a peça é composta de cenas curtas e bem humoradas que montam um jogo de desconstruir certezas e provocar novas perguntas.

MENINES é uma brincadeira de dar três voltas em tornos das convenções binárias, rindo. Nada resiste ao riso, confio nele para nos dizer para onde o mundo deve ir”, diz a autora.

O humor e a leveza são as chaves da peça, dirigida em parceria por Cesar Augusto (Cia dos Atores) e Marcia Zanelatto. MENINES explora o atrito entre afetos e tabus humanos através de situações casuais e reveladoras que se passam entre enamorados como em “Romiet e Julieu”; entre amigos como em “Casal Grávido”; entre pais e filhos como em “No armário” e “Em família”, diante de autoridades como em “Explique-se”. E com “DRAG”, faz uma homenagem a Shakespeare que, segundo alguns estudiosos, teria inventado esta palavra ao usá-la como sigla para a rubrica “Dressed as a girl” – em português, vestido como uma garota.

Numa sucessão ágil de pequenas histórias, os atores cantam (composições próprias), dançam e tocam instrumentos em cena.

“Menines é um projeto que recebi com todo afeto desde o momento em que a Marcia Zanelatto me convidou. Desde a primeira vez em que li o texto, eu percebi a sua potência. E encenado com estes atores tão especiais, me remeteu a memórias importantes, e me faz pensar num futuro tão possível, apesar de todas as questões sócio-culturais que estamos enfrentando ultimamente. Parece que o tempo de agora voltou atrás. Com Menines eu percebi que é preciso sonhar e lutar por um futuro melhor.”, conta Cesar Augusto, diretor convidado por Marcia.

Márcia Zanelatto, idealizadora da Ocupação Rio Diversidade (2016/2017), indicada ao Prêmio Shell 2018 na Categoria Inovação, já vem sendo reconhecida por seu trabalho, e foi premiada como autora e realizadora pelo International Brazilian Press Award na categoria Perfomance Arts pela ocupação “Brazil Diversity – LGBT+ short plays”, no Theatre503, em Londres / Inglaterra, 2018; além de ter participado dos seguintes debates internacionais: Women Playwrights International Conference / Chile, 2018; Female voices from Brazil, Martin E. Segal Center Theatre, Nova York, 2018; Pen Word Voices, Martin E. Segal Center Theatre, Nova York, 2017; Outburst Queers Arts Festival / Irlanda do Norte, 2017; Birth Debate, Royal Exchange Theatre/ Inglaterra, 2016.

SINOPSES

“Romiet e Julieu”
O enamoramento entre duas pessoas não-binárias, revela a beleza do amor acima de qualquer tabu.

“Em Família”
Uma mãe paternal e um pai maternal estão às voltas com seus filhos, um menino superprotegido e uma menina empoderada.

“DRAG”
Um certo William e uma certa trupe de teatro estão às voltas com um problema de época: a Lei do Pudor que durante a Inglaterra do Século XVII, proibiu que mulheres subissem aos palcos. O primeiro ator da trupe discorda sobre a estratégia do autor para driblar a lei: fazer com que atores homens se vistam de mulher.

Casal Grávido
Dois casais se encontram para um jantar. Um dos casais está grávido e a barriga está… no homem. Ainda assim, os quatro têm que se livrar dos grilhões das convenções binárias que se revelam na escolha das cores do enxoval do bebê. (nota: este texto foi escrito em 2016, bem antes do recente episódio público ocorrido acerca das cores apropriadas para meninos e meninas).

“No Armário”
Luca tem um mundo mágico, porém secreto: o armário de sua mãe. Comovidos com os conflitos de Luca sobre que peças do vestuário pode ou não usar, em dado momento o Sapato de Salto e a Peruca resolvem contar-lhe suas próprias e verdadeiras histórias.

“Explique-se”
Num interrogatório surreal, Pedro se vê diante da possibilidade de ser acusado de ter cometido um crime mais surreal ainda: as autoridades em vigor acabam de determinar que só se pode comer laranjas em cubos e não admitem que Pedro possa gostar de chupar laranjas.

MENINOS, MENINAS, MENINES
A encenação de MENINES busca a estética da expressão corporal no Século XXI, em que os papeis atribuídos a meninos e meninas se renovam e se fundem nos espaços de trabalho, de estudo e de lazer; nas ruas e nas casas.

O elenco, escolhido nas peças das novas gerações e nas salas das escolas de teatro, coloca em cena um grupo de novos talentos de 20 a 25 anos, o que renova também a plateia do teatro carioca, dando voz e representatividade a uma geração que raramente vê suas questões nos palcos profissionais.

“Está sendo renovador conviver com esse elenco de jovens, os conflitos que surgem na sala de ensaio são ricos e nos desafiam todos a rever posições. Precisamos ouvir os jovens e jamais dar as costas para o futuro que eles são e que já está presente.” , diz Marcia, que foi responsável por formar o elenco.

MENINES, um espetáculo feito por jovens para todas as plateias, pretende ser uma celebração da alegria de ser e de viver.

FICHA TÉCNICA

Texto e Idealização: Marcia Zanelatto
Direção: Cesar Augusto e Marcia Zanelatto
Diretor assistente: Pedro Uchôa
Consultoria intelectual: Prof. Guilherme Almeida
Elenco: Agnes Lobo, Bruno Maria Torres, Elisa Caldeira, Ian Belisário, Maíra Garrido, Pedro Marquez e Zane
Atriz convidada: Simone Mazzer

CENA / ATOR / PERSONAGEM

“Romiet e Julieu”
Romiet – Pedro Marquez
Julieu – Agnes Lobo

“Em Família”
Pai – Bruno Maria Torres
Mãe – Maíra Garrido
Irmã – Elisa Caldeira
Irmão – Zane

“DRAG”
William – Bruno Maria Torres
Paul Grahan – Zane
Trent Douglas – Agnes Lobo
Roger Briggs – Pedro Marquez
John Pack – Maíra Garrido 

“Casal Grávido”
Mai – Agnes Lobo
Pãe – Pedro Marquez
Ele – Ian Belisário
Ela – Elisa Caldeira

“No Armário”
Luca – Elisa Caldeira
Sapato de Salto – Maíra Garrido
Peruca – Simone Mazzer

“Explique-se”
Pedro – Zane
Norma – Pedro Marquez
Guerra – Bruno Maria Torres 

Poemas incidentais:
Transoração, de Bruno Maria Henriquez
Quebra-cabeças, de Ian Belisário

Músicas:
Pode Amar, letra e música de Maíra Garrido
Trans-oração, letra de Bruno Maria Torres e música de Maíra Garrido
Desarmário, letra e música de Maíra Garrido
Como eu quiser, letra e música de Isadora Cecatto e Maíra Garrido
Rito, letra de Bruno Maria Torres e música de Maíra Garrido

Direção Musical: Luiza Toledo e Maíra Garrido
Espaço Cênico: Beli Araujo
 e Cesar Augusto
Iluminação: Adriana Ortiz
Desenho de Som: Andrea Zeni
Figurinos: Maria Duarte
Direção de Movimentos: Lavínia Bizzotto
Operação de Luz: Júlio César Caldeira
Visagismo: Marcio Mello / Espaço Rio e Bruno Maria Torres
Programação Visual: Thiago Ristow
Fotos: Renato Mangolin
Vídeo e Teasers: Bruna Leal
Conteúdo para Transmídias: Bruna Leal e Marcia Zanelatto
Mídias Sociais: Pedro Marquez
Produção Executiva: Renata Campos
Direção de Produção: Juliana Mattar
Realização: Transa Arte e Conteúdo

Posts relacionados

“Ha Ha Ha – Festival de Humor” retorna ao palco do Teatro dos Quatro

Redação

Show do Grupo TIBUM: “Histórias e Cantos das Águas”

Redação

Sem Lei de Incentivo, Rio de Janeiro Inaugura Novo Teatro

Redação

CCBB Rio apresenta “Natal Brasileiro

Redação

Premiado espetáculo infantil “Rapunzel” faz curtíssima temporada no Teatro das Artes

Redação

Os Cara no Teatro Fashion Mall São Conrado

Redação

Deixe um comentário