22.2 C
Rio de Janeiro
sábado, julho 4, 2020

O oxigênio da vida

Destaques na semana

Receitas quentes e deliciosas para o inverno 2020

Com a chegada do inverno e as baixas temperaturas da estação, a dica é saborear receitas quentinhas para aquecer o estômago. Por...

Desafio 10×10: Em iniciativa inédita, grafiteiros criam coletivamente obra doada para leilão solidário

O Desafio 10x10, gincana nacional que tem como objetivo alimentar 10 milhões de famílias, recebe doação de obra produzida coletivamente pelos artistas...

Pratos com carne para o 4 de julho

Neste sábado, 04 de julho, os Estados Unidos comemora a sua Independência com muito churrasco, como é a tradição americana....

Arte no Palco, Em Casa e Etc e Tal

Pensando em fazer a espiral da arte continuar a todo vapor em pleno isolamento social, a companhia carioca Etc e Tal, acostumada...

Celina Moraes, escritora*

Eles moravam em um dos bairros mais violentos de São Paulo. Estavam perto dos 20 anos. Eram três amigos de infância. Um dia, olharam para a estrada à frente e viram uma bifurcação: de um lado, uma placa indicando a rota conhecida; do outro, um livro abandonado.

Bifurcados, só tinham uma certeza: o caminho conhecido havia sido percorrido por muitos de seus outros amigos, onde alguns se perderem e outros perderam o oxigênio. Os três sonhavam alto: cursar uma faculdade. Diploma não era futuro, era delírio. Como incluir na dispensa de casa um item tão luxuoso como estudo? Das 24 horas do dia, 14 trabalhavam. Remuneração baixa, mas vital para o sustento das famílias.

Era preciso coragem de guerreiro para correr atrás de escassas oportunidades e resiliência de bambu para colecionar nãos. Entraram para a faculdade. Nos bancos escolares, agarravam-se aos livros para abandonar a realidade que, desde o berçário, assegura a alguns a evolução e a outros a submissão. Na árdua jornada, a fome esmagava o estômago e o sono abatia o corpo.

Fortaleciam-se na leitura de biografias, repletas de histórias de sucessos conquistadas por escaladas de fracassos. O que a realidade negava, os sonhos consentiam. Jamais desistiram de erguer o canudo no pódio da formatura. Eram escoltados pelo vigor da juventude, onde os olhos se perdiam no imenso horizonte de vida.

O sol energizava o caminho da persistência e a chuva limpava a poluição do desânimo. Final dos anos 2000, três amigos subiram ao pódio: um erguia o canudo de Ciência da Computação, outro de Comunicação e o outro de Administração de Empresas. Quando se viram bifurcados, decidiram seguir pela estrada do livro abandonado. No caminho, encontraram o “Diário de Bitita”, de Carolina Maria de Jesus (1914-1977), que foi catadora de lixo, moradora de favela e tornou-se escritora de sucesso traduzida para vários idiomas: “Eu passava os dias lendo ‘Os Lusíadas’, de Camões, com o auxílio do dicionário. Eu ia intelectualizando-me, compreendendo que uma pessoa ilustrada sabe suportar os amarumes da vida”.

Eles sabiam aonde queriam chegar. Escolheram o melhor GPS para os guiar até o destino escolhido. Eles orientam. Eles consolam. Eles guiam. Jamais te abandonarão. Carolina os catou nos lixos e eles acalmavam sua dor. Estarão sempre perto de você para te receber de páginas abertas. Livros, o oxigênio da vida. Respire-os.

(*) Formada em Letras, Celina Moraes é escritora e cronista. Autora dos romances “Jamais subestime os peões” e “Lugar cheio de rãs”, que foi vencedor do Prêmio “Lúcio Cardoso” em 2010 pelo 3º lugar no concurso internacional de literatura promovido União Brasileira de Escritores do Rio de Janeiro (UBE-RJ). Ainda teve o conto “Rumo ao topo numa canoa quebrada” selecionado para compor a antologia da UBE, “Contos: História de Amor e Dor”.

- Advertisement -

Relacionadas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -

Últimas notícias

Perinatal cria o Check-Up Ginecológico. Consultas e exames são realizados no mesmo dia, em poucas horas

Comodidade, praticidade e agilidade em tempos de pandemia. Esta é proposta do Check-Up Ginecológico que a Perinatal volta a oferecer na Unidade...

Desafio 10×10: Em iniciativa inédita, grafiteiros criam coletivamente obra doada para leilão solidário

O Desafio 10x10, gincana nacional que tem como objetivo alimentar 10 milhões de famílias, recebe doação de obra produzida coletivamente pelos artistas...

Farinha Pura divulga programação de lives para julho

Desde o início de maio, o Empório Farinha Pura vem realizando lives especiais para descontrair e levar conhecimento para os clientes que...

Feira de São Cristóvão retoma atividades neste sábado

Informes sobre as regras de ouro foram instalados por todo equipamento municipalDepois de mais de 100 dias fechado, a Feira de São...

Bares e restaurantes reabrem as portas para os atendimentos presenciais

O Ancoramar, tradicional restaurante no Centro do Rio, acaba de reabrir as portas para o atendimento presencial. Com todos os protocolos de segurança,...
Share via