16.7 C
New York
maio 22, 2019
Livros

Livro de poesias ajuda a superar luto por doença

Fluido, Mergulho marca a estreia de Debora Grion na literatura 

Cansaço extremo, apesar da boa quantidade de horas dormidas; ressecamento da pele e dos cabelos; e aumento de peso sem motivo aparente levaram a estudante de medicina Débora Grion, então com 21 anos, a desconfiar que houvesse algo errado com a sua saúde. A primeira reação foi ignorar, mas os sintomas evoluíram rapidamente e Débora decidiu buscar ajuda de especialista. Em um primeiro exame clínico, o tumor já era palpável; Ultrassons, exames de sangue e biópsia levaram ao diagnóstico de malignidade.

Entre os sentimentos que a acompanharam, angústia e medo. Mas, na contramão, veio a coragem de encarar os vários finais e externalizar a dor em poemas que deram origem ao livroMergulho (Autografia), lançado recentemente.

Mergulho consegue ser leve, quase irônico, como se colocasse uma dobra por sobre a mesma página, elevando a narração ao quadrado. Débora Grion, nascida em Londrina, atualmente morando em Niterói, fala sobre o encontro com “fim” como se fosse com ela própria.

– Parece o fim, chega, mas ela ainda continua a aprontar. Acrescenta uma “errata”, apontando seus erros de interpretação: na verdade, “você morreu bem antes de ele se ir / você renasceu quando ele se foi”. E, arremata numa segunda errata , sem dar espaço para um exagero retumbante, lembrando que, na verdade, ela estava morta “antes de ele chegar”. 

Ela conta que o livro não é autobiográfico, mas uma consequência do que viveu: a morte e o renascimento que ela pôde catalisar. Segundo Débora, escrever pela ótica do amor foi a maneira que encontrou de suportar a possibilidade e lidar com o medo do fim da vida. “Foi meu escudo para driblar a morte de relações, da minha infância, a morte física ou das pessoas que amo”. 

A influência da autora vai dos beatniks a García Márquez, passando por Sylvia Plath e Ana Cristina Cesar, ou mesmo Van Gogh – para quem dedica dois poemas. Seus versos estão longe do óbvio e flertam com a prosa, usa letras minúsculas, com a finalidade de ser fluida e informal. Outra característica do texto da escritora são as letras minúsculas, que dão à poesia a extensão do pensamento dela. 

A passagem de tempo entre os poemas do livro foi uma tática para demonstrar esse processo de amadurecimento. Os capítulos são divididos em meses: do eu lírico para o eu lírico amadurecido, que passou pelas mudanças. “No final, esse eu saí mais preparada para enfrentar os medos”. 

Atualmente, aos 24 anos, Débora, com o tratamento já finalizado, publica seu primeiro livro.

SERVIÇO

Mergulho
Editora: Autografia // Formato: 14 x 21cm // Páginas: 112 // Preço: R$ 30,00 

A AUTORA

Débora Grion tem 27 anos, quase médica. Nasceu em Londrina, no Paraná, e desde 2013 mora em Niterói. Mergulho é seu livro de estreia.

Posts relacionados

Guia de Sobrevivência Extrema é tema de livro para pequenos aventureiros

Redação

Ana Carolina Fernandes lança primeiro livro solo, “Prainha”, em 11 de maio, no Ateliê Oriente

Redação

Livro infantil “As Aventuras de Nikko – A Fuga” será lançado na Livraria Travessa, da Barra da Tijuca

Redação

Virgílio Rigonatti estará na programação parelela da Festa Literária Internacional de Paraty

Redação

Livro Marina nada morena, de Vanessa Balula, é opção educativa e divertida para o Dia das Crianças

Redação

Setor livreiro tem queda de 12,2% em volume de vendas e 11% do faturamento, no quarto período do ano

Redação

1 comentário

Livro de poesias ajuda a superar luto por doença – Cemitério Parque Jardim do Ypê fevereiro 18, 2019 at 10:00

[…] Livro de poesias ajuda a superar luto por doença […]

Resposta

Deixe um comentário