Letícia Sekito, Cia Tentáculo e Marcos Moraes encerram Cartografia do Possível do CRDSP

Na última semana do programa ‘Cartografia do Possível’ do ano, o Centro de Referência da Dança acolhe Letícia Sekito | Companhia Flutuante, em “Um intervalo para se ver o que é possível” (14/12, quinta-feira); a Cia Tentáculo Jovem, dirigida por Liliane de Gramond, com o espetáculo “Voyer” (sexta-feira, dia 15/12); e o bailarino e coreógrafo Marcos Moraes, para a sua “Visita Guiada – Compartilhamento de residência artística”, com ações espalhadas pelas dependências do espaço (sábado, 16/12). Quinta e sexta, as apresentações acontecem às 19h; as ações da proposta de Marcos Moraes têm início às 17h e se estendem até às 20h. A entrada é sempre gratuita.

“Um intervalo para se ver o que é possível” acontece no momento em que corpos animados e inanimados, energias, acontecimentos, afetamentos e atravessamentos estão em relação, criando um encontro em dança único. Ocorre num intervalo de tempo quando é possível abrir brechas para poder ver aquilo que talvez esteja escondido, esquecido, oprimido ou ainda invisível. Para conceber o trabalho, Letícia Sekito contou com a orientação e provocação artística de Peter Michael Dietz e Sofia Neuparth, do c.e.m. – centro em movimento, de Lisboa (Portugal); o som é de Manuel Pessoa Lima e Ligia Chaim responde pela iluminação.

“Voyeur” põe em questão as manifestações de ordem subliminar daquele que observa e permenece apático. O roteiro é construido de modo a colocar a platéia na mesma posição daquele que espia, enquanto um dos intérpretes, no papel de observador espelha as reações do público. Dançada por Carolina Verzolla, Camila Viana, Frank Mattos, Sabrina Ferreira, Victoria Cavalcante, Pietro Morgado, Vinicius Cosant, Rebeca Tadielo e Sebastião Abreu, a coreografia de Liliane de Grammont tem trilha original de Ed Côrtes, desenho de luz de Rachel Balekian e figurino assinado por Bruna Fernandes.

Em sua “Visita Guiada – Compartilhamento de residência artística”, Marcus Moraes e convidados partilham videos, conversas, informações e imagens sobre a residência artística desenvolvida em 2017, com o apoio da Bolsa Funarte Residências Artísticas, em Lisboa, no c.e.m. – centro em movimento. A conversa-performance-culinária – o artista sempre prepara um prato para o público como metáfora ao conceito de sua “Cozinha Performática”, plataforma que se interessa por alimentar e fortalecer o trabalho colaborativo dos sabores e saberes de diferentes ‘ingredientes’ – as pessoas –, tem três horas de duração (das 17h às 20h), e inclui a experiência sobre a performance de rua “Cozinha Parangolé Lisboa”; a participação no seminário “Dimensões Éticas e Políticas na Arte Participativa”, na Antuérpia; a pesquisa realizada nos arquivos do LADA – Live Arts Development Agency, em Londres; e a participação na delegação brasileira do Programa Momentum, a convite do British Council, Creative Scotland e Edinburgh Festivals.

Serviço:
Cartografia o Possível
14/12, quinta-feira, 19h
“Um intervalo para se ver o que é possível”
Com Letícia Sekito | Companhia Flutuante
Sala Cênica Ivonice Satie
Classificação indicativa: livre
Duração: 40 minutos
Grátis
15/12, sexta-feira, 19h
“Voyer”
Com Cia Tentáculo Jovem
Sala Ivonice Satie
Classificação indicativa: 16 anos
Duração: 40 minutos (conversa com o público pós espetáculo)
Grátis
16/12, sábado, das 17h às 20h
“Visita Guiada – Compartilhamento de residência artística”
Com Marcos Moraes e convidados
Dependências do CRDSP
Classificação indicativa: Livre
Duração: 3 horas
Grátis
Centro de Referência da Dança de São Paulo – CRDSP
Baixos do Viaduto do Chá, s/n – acesso pela Rua Formosa (próximo às estações República, São Bento e Anhangabaú do Metro).
Informações: 32143249 | 953013769

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.