‘Le chant oublié’ traz repertório de sedução e erotismo da música francesa 

Cintia Graton e Marina Cyrino se apresentam no Teatro Maison de France. Cantoras são acompanhadas pelo pianista italiano Fabio Centanni

Marina Cyrino e Cintia Graton
Marina Cyrino e Cintia Graton

Canções e óperas francesas deram o tom de paixão, romantismo e sensualidade para a música mundial. Compositores como Gabriel Fauré, Claude Debussy e Georges Bizet, que influenciaram músicos e poetas de diversos outros países, são homenageados no recital “Le chant oublié” (em português, “canto esquecido”) no Teatro Maison de France. O soprano Marina Cyrino e o mezzo-soprano Cintia Graton sobem ao palco com esse repertório no dia 20 de setembro, às 20h, acompanhadas do pianista italiano Fabio Centanni e do violinista Ayran Nicodemo.

Cyrino já se apresentou com outros programas na Maison de France, como “Mélodies”, ao lado do soprano Mirna Rubim. Mais uma vez, a cantora e produtora trabalha ao lado do artista visual Marc Kraus, que traz projeções de vídeo para ambientar a cena, e assina a direção de arte do show. Marina destaca a sedução como ponto forte na escolha desse repertório. “Je te veux”, de Erik Satie, e texto de Henry Pacory, é uma valsa sentimental em que o eu lírico pede que o amado abandone o seu par, para ir de encontro a seus braços. “Trois chanson de Bilitis”, de Debussy, por exemplo, revela uma coleção de poemas com muita sensualidade de Pierre Louÿs inspirada na poesia de Sappho, escritora que escreveu sobre o erotismo na Grécia antiga.

Booking.com

– A concepção do recital foi feita buscando toda a paixão e sensualidade da música francesa. É uma honra estar no palco com Cintia e Fabio – destacou Cyrino, que vem se preparando para gravar seu primeiro CD, com obras de Villa Lobos.

Graton, que recentemente subiu ao palco do Theatro Municipal para viver Carmen na releitura de Peter Brook em “La Tragédie de Carmen”, frisa as possibilidades vocais do repertório escolhido.

– É um prazer e uma honra fazer música com esses dois artistas. E ainda melhor é cantar o repertório francês com seu colorido, sutileza e elegância – frisa a cantora, que faz parte da Academia de Ópera Bidu Sayão, do Theatro Municipal.

Ficha técnica

Marina Cyrino – soprano

Cintia Graton – mezzo-soprano

Fabio Centanni – pianista

Marc Kraus – direção de arte

Serviço
Data: 20 de setembro de 2017 (quarta-feira)
Horário: 20h
Local: Teatro Maison de France
Endereço: Av. Pres. Antônio Carlos, 58 – Centro, Rio de Janeiro
Telefone: 2544-2533
Ingressos: R$ 60,00
Classificação: Livre

Artistas

Marina Cyrino
Marina estudou canto e interpretação com grandes nomes no Brasil e nos Estados Unidos, com destaque para professores das famosas escolas de Juilliard, Northwestern e HB Studio. Nos últimos anos, vem se destacando no cenário musical carioca, sendo solista em óperas como “Os Prazeres de Versalhes” de Charpentier, “O Morcego” de Strauss e “L’Incoronazzione di Poppea” de Monteverdi, e em produções de música de câmara, como o concerto “Calvariae”, com peças de Vivaldi e Pergolesi, e o espetáculo “Mélodies”, que levou canções francesas para teatros no Rio e Niterói. Em São Paulo, foi solista na execução do Magnificat de Vivaldi, com a Orquestra Jovem Municipal de Guarulhos, sob a regência de Emiliano Patarra. Seu projeto “Ópera com cara de cinema” busca, com clipes de árias de óperas, mostrar que ópera é jovem e para todos.

Cintia Graton
Integrante da Academia de Ópera Bidu Sayão, interpretou Arsamene na ópera Serse, de Haendel, e Carmen, na releitura de Peter Brook de “A tragédia de Carmen”. Também participou das óperas Dido e Enéias, de Purcell, Savitri, de Gustav Holst e do concerto Cortina Lírica. É bacharel em canto pela UNIRIO na classe da professora Carol McDavit. No projeto Ópera na Unirio interpretou Miss Todd em The Old Maid and the Thief de Gian Carlo Menotti, Orfeo em Orfeo e Eurídice de Gluck, Dido em Dido e Enéias de Purcell, Damon em Acis e Galatea de Haendel. Entre outros trabalhos como solista destacam-se: Requiem e Missa da Coroação de Mozart, Gloria e Nisi Dominus de Vivaldi, Stabat Mater de Pergolesi, Missa em mi bemol e Matinas de Natal de Padre José Maurício, Magnificat de Telemann e Messias de Haendel.

Fabio Centanni
Fabio Centanni é um dos pianistas colaboradores mais requisitados internacionalmente no que diz respeito a ópera italiana e a música instrumental. Desde 2006 colabora com Renata Scotto no Opera Studio da Accademia Nazionale di Santa Cecilia, onde performaram em numerosos concertos. Foi também correpetidor no International Operastudio, em Zurique, na Alemanha, e em diversas outras salas de concerto. Para o programa de rádio “La Barcaccia”, acompanhou Raina Kabaivanska, Katia Ricciarelli, Daniela Dessì, Fabio Armiliato, Amarilli Nizza, e Roberto de Candia. Em 2008, acompanhou Natalie Dessay enquanto treinava para La Traviata com Renata Scotto.

Booking.com