João Bosco lança hoje novo single

Música antecipa o lançamento de projeto inédito de João Bosco

Onde Estiver
Onde Estiver

Com lançamento previsto para setembro (pela dobradinha MB.P Discos/Som Livre), o novo álbum de João Bosco chega 8 anos depois de “Não vou pro céu, mas já vivo no chão”, ultimo CD de inéditas do compositor e violonista mineiro. Em 2012 Bosco havia lançado “João Bosco – 40 anos depois” , reunindo sucessos de seu repertório e convidados como Chico Buarque, Milton Nascimento e João Donato. (capa em alta em anexo)

A nova safra de João Bosco começa a ser conhecida hoje, com o lançamento do single “Onde estiver” nas principais plataformas digitais. Parceria de João com Francisco Bosco, “Onde Estiver” nasceu de conversas entre pai e filho. “Sempre gostei daquela forma do Bob Dylan de incluir na canção uma história, logo quando ele gravou “Like a rolling stone”, “Blowin in the Wind”. Quando fiz esta canção senti um pouco isso, que era uma canção que queria contar uma história, que essa história envolveria pessoas, e que essas pessoas ficariam comprometidas com essa canção. Falei sobre isso com o Chico, mostrei para ele a música, falamos sobre o Dylan, e o Chico então voltou com ‘Onde estiver’ ”, conta João Bosco.  

“No fundo a gente vai dar naquela coisa do amor mesmo, do afeto, da proteção, do cuidado, porque tudo isso acaba voltando para você, e você está envolvendo as pessoas dentro destes sentimentos. Nesse momento de tantos problemas eu acho bacana a gente ter canções que nos remetem a este chamamento do cuidar, do proteger, de estar junto e se comprometer com isso”, define João, que compôs outras 4 canções com o Francisco Bosco para o álbum inédito.

Da gravação de “Onde Estiver” participam músicos/colaboradores de longa data, como guitarrista Ricardo Silveira e o baterista Kiko Freitas, além de baixista Guto Wirtti, que toca com Bosco há 5 anos.

Por Francisco Bosco
Não se nasce pai, torna-se pai. E como tornar-se um pai? Amando os filhos. E como amar os filhos? Cuidando, zelando, velando, protegendo e ao mesmo tempo expondo, liberando e ao mesmo tempo limitando, conhecendo as maiores alegrias e as maiores fragilidades do amor (deus nos proteja das doenças das crianças). É isso um pai: um céu sobre a cabeça dos filhos. Um céu que os filhos sentem protegê-los, mas que também sentem às vezes trovejar sobre seus seres ainda tão vulneráveis. É isso um pai: um céu, pois, como o céu, está em todos os lugares. Ser pai é para sempre e por todos os lugares onde estiver. É descobrir o irreversível no tempo e no espaço. Onde estiver sempre trago vocês dentro do meu coração. E onde estiverem me levem também, somos um só coração.