Ivo Meirelles compõe música para o Boi Garantido que será exibida no Festival de Parintins e já é considerada hit nacional

A Toada “Perrechés do Brasil” exalta a paixão dos que não são nativos da ilha pelo Boi Garantido

Sempre no último fim de semana de junho, a Ilha de Parintins, no Amazonas, vira uma festa vermelha e azul. A primeira, cor do BoiGarantido. A segunda, do rival Caprichoso. Os dois disputam anualmente o Festival Folclórico de Parintins. Ligado no que acontece culturalmente em seu país, Ivo Meirelles compôs uma música chamada ‘Perrechés do Brasil’ para o Boi Garantido. ” Frequento a ilha desde 2006 e me apaixonei pelo Garantido. Num almoço em São Paulo, com dois outros apaixonados pelo boi, Sandro Putinok e Vanderlei Alvino e resolvemos compor uma toada e aconteceu. Toada é o nome dado as musicas que são feitas para os bois de Parintins”, explica Ivo. 

Apesar da paixão pelo boi de coração vermelho, Ivo não vai se apresentar no festival. “Mas como compositor, terei o direito de acompanhar de dentro da arena… Isso é o máximo!”, adverte. ‘Perrechés do Brasil’ já é considerada um hit nacional. Ivo compartilhou em suas redes sociais um vídeo em que vários cantores famosos declaram seu amor ao boi Garantido e cantam ‘Perrechés do Brasil’. Entre eles estão Sandra de Sá, Jorge Aragão, Dudu Nobre, Buchecha, o pagodeiro Dilsinho, Xande de Pilares, Anderson Leonardo ( grupo Molejo) Arlindinho Cruz, e Andrezinho Silva (Molejo).

“Quando alguém de lá cria uma toada, ela fica entre eles. Eu, do lado de cá, tenho feito a minha parte em divulgar a toada e, consequentemente, divulgar o festival, que é lindo!  Essa música retrata a paixão de todos aqueles não nativos. De todos aqueles em que, um dia, seus corações foram roubados pelo boi”, analisa. 

Além de ‘Perrechés do Brasil’, Ivo está trabalhando as músicas de seu novo trabalho #21, no qual retoma sua parceria com o icónico Funk’n Lata.  Juntos, gravaram um álbum repleto de sucessos e participações de grandes nomes da música. O trabalho, como Ivo mesmo descreve, é uma forma de homenagear o grupo criado por ele nos anos 90 e que mistura elementos tradicionais de samba com outros ritmos que também agitavam os morros cariocas, como o funk, o rap e o soul. 

“Quando resolvi parar de fazer shows com a banda vi crescer um segmento (formato) que eu inventei. Vi surgir o Monobloco, Carrossel de Emoções, Bangalafumenga e tantas outras com o formato ‘funk n lata’. Na época a rapaziada da banda me questionava sobre o término do grupo justamente naquele momento de ascensão do formato. Eu estava tão envolvido com outras coisas que deixei o tempo passar. Este CD estou fazendo para eles e por eles. É meio que um pedido de desculpas”, conta o músico. 

Com 14 faixas, o álbum conta com diversas participações entre elas Gilberto Gil, Samuel Rosa, Seu Jorge, Elba Ramalho, Molejo, entre outros. As músicas de #21 estão sendo lançadas separadamente, mês a mês, nas plataformas digitais pela ONErpm. A última foi lançada no final de janeiro, “Frevo Mulher”, que conta com a participação de Elba Ramalho. Além desta, outras duas já foram lançadas, no final de 2017, “Funk’n Lata vai tocar” e “Mangueira” – esta última, dueto com Seu Jorge. 

 

Ouça aqui:  https://onerpm.lnk.to/IvoMeirelles

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.