Inovação tema de exposição no Museu do Amanhã

Mostra lembrará cerca de 40 inovações de talentos brasileiros muitas vezes desconhecidos do grande público, como Raíssa Muller, Manoel Apolônio e Alfredo Moser

Museu do Amanha (foto: Raquel Cunha)
Museu do Amanha (foto: Raquel Cunha)

Criar, reinventar, conectar. O que nos leva a inovar? Os caminhos são repletos de possibilidades, desvios e curvas. Existe inovação sem tentativas? E se acabar errando? O Brasil é reconhecido como um país de vanguarda? De forma lúdica, linguagem audiovisual e interativa, a nova exposição do Museu do Amanhã “Inovanças – Criações à Brasileira” fará o visitante embarcar numa viagem pelo mundo das criações nacionais, apresentando grandes feitos e, em alguns casos, talentos poucos reconhecidos, com intuito de, sobretudo, inspirar outras invenções. O Ministério da Cultura, o Museu do Amanhã e a Finep apresentam a exposição ao público no dia 25 de abril, e ficará em cartaz até 22 de outubro.

Essa é a primeira mostra temporária concebida integralmente pela equipe do Instituto de Desenvolvimento e Gestão – IDG, instituição que administra o Museu do Amanhã. À frente do projeto estão Luiz Alberto Oliveira e Leonardo Menezes, curadores da exposição “Inovanças”. 

A mostra que ocupará 600 m² foi idealizada sem paredes – uma inspiração no filme “Dogville”, de Lars von Trier – e remete à fluidez do processo criativo. De acordo com o curador, a ideia é mostrar que não há limites nem barreiras ao conhecimento e à inventividade, e apoiar ações que promovam a sustentabilidade e contribuam para a popularização e difusão da ciência e da tecnologia.

Museu do Amanha (foto: Raquel Cunha)
Museu do Amanha (foto: Raquel Cunha)

“Inovanças” apresenta cerca de 40 inovações – do high ao low tech, destacando as tecnologias sociais – que transformam e beneficiam indivíduos e grupos em todas as regiões do Brasil e até no exterior. As invenções são apresentadas em vídeos, com declarações de seus criadores e, presencialmente, com a exposição de objetos.

As sete áreas da exposição remetem a diferentes características que a inovação brasileira apresenta, incluindo o conceito da inovação expandida e homenagens a personagens da nossa história, além de outros que fizeram do improviso a matéria-prima do seu trabalho:

Pyahu-Açu (“novidade grande”, em tupi-guarani): Mas, afinal, o que é inovação? São muitos os possíveis significados, e cada um deles reflete diferentes Brasis. Nesta área introdutória, o visitante se depara com vídeos que apresentam os conceitos-chave da exposição. Em telas, inovadores brasileiros falam de seus processos criativos e de seus inventos. A necessidade ou o senso de oportunidade, aliado à criatividade, impulsiona a desenvolver ideias que transformam o ambiente. Todos podem criar. E se conseguirem solucionar problemas cotidianos, muitas delas seguirão, pioneiras, se entrelaçando a redes que as tornarão perenes. Grandes criações surgem a partir da motivação. Essa fagulha assume formas tão diversas quanto os sotaques de um país-continente com díspares realidades socioeconômicas. Estamos cercados de inovações, transformações, movimentos.

Inspirais: Os processos naturais são fonte de inovação que impulsionam os humanos a buscarem soluções de forma criativa. A área apresenta criações que foram inspiradas na natureza. Compreender o balé dos pássaros, por exemplo, conduziu a experimentos que deram origem a modernas aeronaves. Nesta busca pela excelência, pesquisadores unem biologia, engenharia, design e arquitetura. A invenção de soluções biomiméticas (busca explicar e reproduzir fenômenos encontrados nos sistemas biológicos) podem consolidar os desenvolvimentos humano, econômico e ambiental. No campo da nanotecnologia, novos fármacos, materiais e até mesmo manipulações genéticas ampliam a ideia de inspiração na natureza e influenciam novos conceitos, como o de programação da matéria. Formas e funções inspiradas no natural ainda surgirão. Há um universo de informações, modelos e caminhos a ser explorado, em especial na imensa biodiversidade brasileira. Sempre que formos criar ou construir algo, podemos nos perguntar: como a natureza faria?

Errâncias: Para se perpetuar, a vida teve de se adaptar a mudanças no ambiente ou mutações aleatórias. Errâncias naturais que originaram o novo, o diverso. Aqui, o processo de criação e seus desvios são valorizados. Tudo isso é importante para se chegar ao objetivo final. A vida “erra” aos montes: as mutações que dão origem ao ciclo de evolução das espécies são derivações do código genético de inúmeros antecessores. A variação de cor dos olhos em humanos e as diferentes formas dos bicos de pássaros são exemplos destes desvios. E é assim também no processo de inovação. Ideias, normalmente, se materializam depois de um longo ciclo de tentativas e falhas. Todas essenciais para que a inovação possa se instaurar.

Brasilianxs: A história do Brasil pode ser contada de várias formas. Uma delas, pela inovação.  A inovação de ser brasileiro só pode ser compreendida ao olharmos para as histórias de vida dos próprios cidadãos, algumas extraordinárias. A área apresenta os principais inovadores do país, seus principais erros, acertos e criações. Os personagens e seus inventos estarão no interior de guarda-chuvas que ocuparão o teto deste corredor, ligando as áreas “Errâncias” e “Imprevisto”.

Inexspectata: O imprevisto, o inesperado (“inexpectata”, em latim), sempre acompanhou a história da humanidade. A irregularidade dos padrões climáticos, algo imprevisível que afetou profundamente o planeta, nos obrigou a buscar soluções para um cenário de incertezas. Ficou famosa a história da descoberta da penicilina pelo médico e bacteriologista escocês Alexander Fleming. Ao acaso, inadvertidamente, assim nascia uma das mais importantes descobertas da humanidade. A imprevisibilidade está intimamente ligada a inovações como a biomembrana, espécie de curativo feito de látex extraído de seringueiras brasileiras, um caso de “descoberta ao acaso” por aqui. Muito do papel da ciência e da inovação no Brasil hoje é responder às surpresas que surgem ao longo do caminho e fazer do imprevisto uma oportunidade. Tecnologias, especialmente as sociais, serão fundamentais.

Impromptu (“improviso”, em latim): A arte do brasileiro em criar soluções é o foco desta área. Dentro de uma palafita, experiências representam como a busca pelo improviso pode revelar soluções inovadoras. A inovação pode florescer de situações que surgem de surpresa e nos deixam diante da necessidade de preencher lacunas. O “jeitinho brasileiro”, comumente destacado pelo aspecto negativo, pode ser um improviso baseado em criatividade e soluções amparadas por profundo rigor técnico. Neste espaço terá a Galeria dos Improvisadores, com referências a brasileiros craques no improviso, como o artista multifacetado Hermeto Pascoal, que transforma até microfonia em notas agradáveis; a comediante Dercy Gonçalves, que dominou os palcos com tiradas inusitadas; e, nos campos de futebol, o craque Mané Garrincha, que foi o expoente de um espetáculo único e arrebatador.

Awani jö: A inovação não precisa ser um processo solitário. O fazer em conjunto (do iorubá, “awani jö”, ou “estamos juntos”) ressurge como plataforma para soluções mais ágeis, amplas e equitativas. A colaboração entre indivíduos heterogêneos estimula a inovação. Da colaboração entre arquitetos e profissionais do carnaval aos mais modernos aplicativos para celulares, passando pela construção de complexos satélites, processos e produtos desenvolvidos coletivamente se mostram mais eficientes e dinâmicos. A criatividade compartilhada pode mudar significativamente a vida de um grupo, o funcionamento de uma empresa ou apoiar o desenvolvimento do país. A área final da exposição mostra como a cooperação permite criar alternativas, formular ideias e reinventar processos e contextos socioculturais, locais de trabalho, serviços sociais, artes e linguagens.

Inovanças – Criações à Brasileira
Museu do Amanhã – Praça Mauá 1, Centro
Tel.: 3812-1800
Período: De 25 de abril a 22 de outubro
Funcionamento: De terça-feira a domingo, das 10h às 18h (com encerramento da bilheteria às 17h)
Ingressos: A exposição temporária está incluída no valor da entrada para o Museu:
Inteira: R$ 20,00; ​Meia-entrada: R$ 10,00;
www.museudoamanha.org.br