Hilal Sami Hilal leva o transitório à ArtRio

Após apresentar apenas obras de um grande nome - Ascânio MMM - em duas edições da feira, a galerista repete o feito com o renomado artista capixaba

Atlas IV - Pintura sobre papel artesanal - Hilal Sami Hilal
Atlas IV - Pintura sobre papel artesanal - Hilal Sami Hilal

O espaço da Marcia Barrozo do Amaral – Galeria de Arte (estande D2) na ArtRio vai receber obras de um único e singular artista. Hilal Sami Hilal vai levar seus surpreendentes trabalhos em papel artesanal, cobre e fotografia, que impressionam pela originalidade.

Um deles é o Atlas IV é um objeto-livro (2m x 3m – aberto), da série Deslocamentos, iniciada em 2010. Esta obra de 2015 pertence a uma série de trabalhos, que tratam de questões relacionadas ao transitório. Produzida com papel feito à mão, de trapo de algodão e pigmentos, a obra remete à ideia aproximada de que as formas de folhas e nuvens são grandes aquarelas.

“O meu objetivo é provocar o desejo de deslocamento no espectador. Quero que ele saia da apatia. É uma convocação com a ideia de provocar pensamentos que dissolvam o estabelecido e os dogmas. Consequentemente novos questionamentos e topologias que se fazem presentes dão a possibilidade de uma experiência física, mental, onírica e matérica”, afirma Hilal.

Hilal também vai levar cinco peças de cobre, da série Atlânticos à ArtRio. Nestas obras, ele registra desenhos com uma caneta especial em placas normalmente utilizadas em circuitos impressos de computador, da espessura de uma folha de papel. O resultado das várias camadas de oxidação oriundas do processo são inúmeras possibilidades de tonalidades de azul esverdeados.

A exposição ainda vai contar com fotos (1.50 m x 2.24 m, cada uma) que podem ser associadas a paisagens. São duas peças da série Terceira margem impressas em fine art (método de reprodução com o uso de papéis e pigmentos minerais, que garantem qualidade, perfeição nas cores e durabilidade de até 275 anos).

Com experiências em oficinas de papel feito à mão no Japão em 1981 e 1988, Hilal Sami Hilal desenvolve pesquisa na área desde 1977. Foi professor da Universidade Federal do Espírito Santo, onde criou a oficina de papel artesanal. Começou a trabalhar com cobre nos anos 2000, quando utilizou a técnica do circuito impresso de computador, que é uma derivação da gravura em metal.

Serviço:

ArtRio – Marcia Barrozo do Amaral – Galeria de Arte
Data: de 14/09 (quinta-feira) a 17/09 (domingo)
Horário: de 14h às 21h
Local: Marina da Glória: Avenida Infante Dom Henrique s/n – Glória. 
Estande D2
Ingressos: R$ 40,00 inteira | R$ 20,00 meia-entrada
Classificação: 18 anos