2.1 C
New York
fevereiro 23, 2019
Música

Gonzaguinha: O Eterno aprendiz no Teatro dos Grandes Atores

Rogério Silvestre
Rogério Silvestre

Depois de uma super bem-sucedida temporada no Centro da cidade, no Teatro João Caetano, na Praça Tiradentes, onde foram aplaudidos por quase 10.000 espectadores em 13 apresentações onde 7 delas, tiveram LOTAÇÃO ESGOTADA, o musical “GONZAGUINHA: O ETERNO APRENDIZ”, que é uma versão poética da vida e da obra do cantor e compositor Gonzaguinha, com o ator Rogério Silvestre, os cantores Paulo Francisco ‘Tutuca’, Bruna Moraes e Nathallie Alvin e os músicos Rafael Toledo (Guitarra, violão e voz),  Alcione Ziolkowski (bateria), Omar Fontes (teclados), Buga Júnior (sax, flauta e cavaquinho) e Dudu Dias (baixo), voltará em cartaz no dia 12 de outubro/2018, no Teatro dos Grandes Atores (Av. das Américas 3.555 – Shopping Barra Square – Barra da Tijuca – Tel. 3325-1645) para apenas 3 semanas, com apresentações as 6asf e sábados 21h e domingos 19h, em curtíssima temporada, somente até o dia 28/10/2018, com ingressos aos preços de R$ 60,00 (6af e domingo) e R$ 70,00 (sábado).  50% de desconto para estudantes, jovens até os 21 anos e acima de 60 anos.

O espetáculo mostra a história de um dos maiores compositores e intérpretes brasileiros, em uma obra que reúne artes cênicas e música.

São 16 canções assinadas pelo próprio Gonzaguinha – “Explode Coração”, “Recado”, “Começaria Tudo Outra Vez”, “Moleque”, “Sangrando”, “O Que é o Que é?”, “Ponto de Interrogação”, “Eu Apenas Queria Que Você Soubesse”, “Com a Perna no Mundo”, “Grito de Alerta”, “De Volta ao Começo”, “Palavras”, “É”, “Diga Lá, Coração”, “Espere por Mim, Morena” e “Vamos a Luta” – que misturam xote, samba, baião e música romântica que foram gravadas pelos maiores nomes da nossa MPB, como Maria Bethânia, Elis Regina, Simone, Raimundo Fagner, Ângela Maria, Cauby Peixoto  e o próprio Wagner Tiso que na última apresentação do espetáculo no Teatro João Caetano, no domingo, dia 30/09, homenageou a cantora Angela Maria, tocando ao teclado a canção “Começaria Tudo Outra Vez” que foi gravada por ela e seu maior parceiro musical, Cauby Peixoto, em 1991.

Com o intuito de preservar a memória desse ícone da MPB, o espetáculo apresenta passagens da vida do artista que iniciou sua trajetória na década de 60 em meio aos tropeços da ditadura militar e seguiu cantando seus amores e anseios pela vida.

Como bem disse o crítico do jornal O Globo,  Leonardo Bruno: “Gonzaguinha é um personagem que gera um fascínio impressionante. Morto aos 45 anos, em 1991, deixou obra extensa e alinhada com os anseios de sua geração, mas que ainda encontra eco quase três décadas depois — prova disso é que, nos últimos seis anos, sua figura virou peça de teatro, filme/série, enredo de escola de samba e ganhou homenagem no Prêmio da Música. O musical “Gonzaguinha — O eterno aprendiz”, demonstra profunda admiração e respeito pela obra e pelo artista.

A concepção de Kleber Lincoln e Amaury Vieira propõe dois espetáculos independentes: em um deles, um ator vive Gonzaguinha em monólogo; no outro, três cantores e uma banda revivem os sucessos do compositor.

O espetáculo ganha com a entrada em cena da banda, que relembra com competência o inspirado repertório de Gonzaguinha. Os cantores Rafael Toledo e Paulo Francisco Tiso conseguem bons momentos de comunicação com a plateia, mas é a voz de Bruna Moraes que eleva a eletricidade no palco. A ela coube tarefa desafiadora: reler canções que ficaram marcadas nas interpretações de Elis Regina e Maria Bethânia. A cantora mostra presença de palco e sobressai como o grande destaque do musical.

A intenção de homenagear Gonzaguinha é louvável, e a execução de seu repertório já garante momentos de catarse. “Gonzaguinha — O eterno aprendiz” é bem-sucedido como um show-tributo ao compositor.”

Certamente, GONZAGUINHA: O ETERNO APRENDIZ merece ser visto e revisto pelos fãs do Gonzaguinha, pelos fãs dos grandes musicais e, principalmente, pelos amantes do bom teatro.

GONZAGUINHA: O ETERNO APRENDIZ.
Concepção do espetáculo: Dr Kleber Lincoln e Maestro Amaury Vieira.
Texto: Gildes Bezerra.
Com o ator Rogério Silvestre, os cantores Paulo Francisco ‘Tutuca’, Brunna Moraes e Nathallie Alvin e os músicos Rafael Toledo (Guitarra, violão e voz),  Alcione Ziolkowski (bateria), Omar Fontes (teclados), Buga Júnior (sax, flauta e cavaquinho) e Dudu Dias (baixo)
Diretor Musical: Rafael Toledo.
Diretor Teatral: Breno Carvalho.
Produção, Assessoria de Imprensa e Marketing: João Luiz Azevedo
Realização: Boca Fechada Produções Artísticas e Rogério Silvestre Produções.

Teatro dos Grandes Atores

Av. das Américas 3.555 – Shopping Barra Square – Barra da Tijuca – Tel. 3325-1645.
De 12 a 28 de Outubro 2018
Sextas e Sábados 19h e Domingos 18h
Preço dos ingressos: R$ 60,00 (6af e domingo) / R$ 70,00 (sábados)
* Meia Entrada para estudantes, jovens até 21 anos e acima de 60 anos e assinantes do Jornal O Globo)
Tempo de duração: 80 minutos
Limite: Livre

Posts relacionados

Rock in Rio 2019: King Crimson encerra a noite no Palco Sunset

Redação

Melyra e Venuz lançam novos trabalhos em show no Garage

Redação

Urca Bossa Jazz faz show no J Club em homenagem aos 60 anos de Bossa Nova

Redação

Xand Avião e MC Kekel lançam ‘Menos Mi Mi Mi’

Redação

Mart’nália com entrada franca no Espaço Furnas Cultural

Redação

Melim realiza lançamento oficial da ‘Melim Tour 2019’ no KM de Vantagenbs Hall RJ

Redação

Deixe um comentário