“Gineceu ou cenas de uma mulher qualquer” Centro Cultural Municipal Laurinda Santos Lobo

As mulheres e o poético, o patético, o político: é pela conjugação e atravessamento dessas esferas que o grupo Okearô Teatro cria seu novo espetáculo, “GINECEU ou cenas de uma mulher qualquer”.

Um barulho numa rua deserta. Medo. Era apenas um cachorro, buscando comida num saco de lixo. Desses medos diários que toda a mulher experimenta. Das estatísticas alarmantes da violência sexual – que são apenas a metade, pois muitas não são denunciadas.

Sobre o feminicídio criminoso e o institucionalizado, onde o Estado ignora os milhares de cadáveres femininos que todos os anos perecem em quartos clandestinos de bisturis ensanguentados. Sobre os três, quatro turnos que as mães executam. Sobre ser mãe e sobre não ser. Sobre as amarras invisíveis que o capital impõe aos corpos das mulheres. Sobre o Gineceu.

Gineceu era o espaço destinado apenas para as mulheres nas residências da Grécia Clássica, época em que as próprias esposas eram compreendidas como parte anexa da casa – corpos frios, receptáculos para o sêmen dos cidadãos da pólis.

A Okearô Teatro se apropria dessa referência para abordar as prisões, dores, cicatrizes e regozijo da construção dos femininos.

O trabalho nasce de uma sequência de investigações sobre a mulher e a construção dos pensamentos e ações sobre o “feminino”, desde a criação do grupo em 2010, com “O que fazem as meninas quando desabrocham?”, direção de Eduardo Vaccari, a partir de contos de Mario de Andrade.

Agora, com a direção de Rodrigo Viegas, o grupo se apropria da ideia do Gineceu para uma dramaturgia particionada e cunhada em conjunto, com referências nas ancestralidades brasileiras – contida em cada uma das integrantes e na corporeidade cênica transformada em imagens, texto e música.

“Gineceu ou cenas de uma mulher qualquer” é um convite à entrada num universo particular e ao mesmo tempo de alcance em várias esferas da sociedade, que gera e é gerado dentro e fora de cada uma.

O GRUPO
A Okearô Teatro é uma cia teatral carioca que baseia sua pesquisa cênica na narrativa oral e na herança afro-brasileira. Composta por atrizes/atores dissidentes da secular Escola de Teatro Martins Pena, o grupo tem por objetivo a pesquisa e criação de espetáculos teatrais – sempre buscando a brasilidade seja a partir de pesquisas textuais, musicais ou estéticas em seus trabalhos. Também desenvolvem projetos de arte-educação baseados na tradição dos Griôs, já tendo sido contemplados por editais como “Mais Cultural nas Escolas” (2014/2015) e “Segundo Turno Cultural” (2016).

FICHA TÉCNICA
TEXTO: Okearô Teatro
ELENCO: Daniella Nery, Fabiana Vilar, Massuel Bernardi, Priscila Manfredini e Tatiana Henrique
DIREÇÃO: Rodrigo Viegas
SUPERVISÃO DE CENÁRIO E FIGURINO: Danielle Geammal
CENÁRIO E FIGURINO: Evee Ávila
DIREÇÃO MUSICAL: Breno Góes
DIREÇÃO DE MOVIMENTO: Massuel Bernardi
ILUMINAÇÃO: Victor Tavares
PROGRAMAÇÃO VISUAL: Balão de Ensaio
PRODUÇÃO: Okearô Teatro

Serviço:

GINECEU – Ou Cenas de uma Mulher Qualquer
Temporada: 14, 21 e 28 de junho | quartas
Horário: 19:30h
Local: Centro Cultural Municipal Laurinda Santos Lobo
Endereço: Rua Monte Alegre, 306 – Santa Teresa – Rio de Janeiro
Telefones: (21) 2215-0618
Preço: R$ 20,00 (inteira) | R$ 10,00 (meia-entrada e lista amiga)
Classificação etária: 16 anos
Duração: 70 minutos

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.