Festival A.Nota promove a colaboração criativa em encontros de talentos da música brasileira

No dia 29/08 os cantores e compositores CÉSAR LACERDA e ROMULO FRÓES se apresentam com as parcerias que deram origem ao elogiado disco “O MEU NOME É QUALQUER UM”

https://www.facebook.com/events/1503052176397629/

Com curadoria de Thiago Vedova e patrocínio da Oi e apoio do Oi Futuro, festival promove encontros musicais, em sua maioria inéditos, sempre às terças-feiras, até o final de dezembro

No dia 29/08, às 20h30, o Festival A.NOTA 2017 apresenta sua sexta atração: o show do CD “O MEU NOME É QUALQUER UM”, de César Lacerda e Romulo Fróes, seguindo com a proposta de apresentar uma série de 22 encontros musicais, sempre às terças-feiras, no Teatro Ipanema.

No show, César e Rômulo, apresentam as treze canções presentes no álbum e ainda, uma inédita – ao todo, esta profícua parceria já rendeu vinte e cinco canções. Nessas canções, uma espécie de anti-herói contemporâneo percorre o Brasil de agora tentando compreender a complexa miríade de assuntos à sua volta. O problema racial, o terceiro sexo, as redes sociais, o assassinato de crianças negras na favela, o amor, a morte. A ambiciosa cartografia reflete o protagonismo inquieto destes dois importantes artistas da cena contemporânea de música popular brasileira.

O encontro desses dois artistas é motivo de celebração, e confirma a riqueza das suas trajetórias. A importância dos seus trabalhos revela inquietude estética e uma busca incessante pela reformulação da ideia de canção. “O Meu Nome é Qualquer Um”, é espelho que reflete com beleza e afrontamento não apenas o Brasil contemporâneo, mas também a relevância de César Lacerda e Romulo Fróes para a música feita hoje no país.

MAIORES DETALHES e SERVIÇO DO SHOW NA PROGRAMAÇÃO ABAIXO E/OU NO LINK:

https://www.facebook.com/events/1503052176397629/

O A.NOTA 2017, que começou dia 25 de julho com um show inédito de Marcelo Jeneci e Lucas Vasconcellos abrindo esta edição no Teatro Ipanema, seguirá com uma programação que ocupará todas as terças-feiras do teatro, até o mês de dezembro, com as próximas datas já confirmadas, abaixo:  

01/08 – Iara Ira (Júlia Vargas + Juliana Linhares + Duda Brack)
08/08 – Barbara Eugenia e Tata Aeroplano
15/08 – Sambas do Absurdo (Juçara Marçal + Gui Amabis + Rodrigo Campos)
22/08 – Marcos Suzano e Marcelo Vig
29/08 – César Lacerda e Rômulo Fróes
05/09 – Mundo Cordeiro (Felipe Cordeiro + Manoel Cordeiro)
12/09 – Bondesom + BNegão
19/09 – Kassin + Wado

E muito mais está por vir! Outros encontros previstos serão: Bem Gil + Davi Moraes + Matheus VK; Vulgue Tostói + Ventre;  Relógio de Dali + Pietá; Silvério Pontes + Antonio Guerra + Guinga; Luana Carvalho + Pedro Luís; Noites do Norte + Felix Robatto; e Hurtmold + Paulo Santos.

E um detalhe: a temporada de 2017 de A.NOTA acontece num dos palcos mais emblemáticos da cidade, o do Teatro Ipanema, célebre pelos espetáculos e shows memoráveis nos anos 70 e 80 que, na música, marcaram o surgimento e a consolidação de nomes como Marina Lima e Cazuza, só pra citarmos dois exemplos!

Ao receber o A.NOTA, o Teatro Ipanema segue resgatando sua tradição de palco para os talentos e novidades da música independente nacional. Sempre sintonizado com os movimentos de resistência cultural e reformado há pouco mais de um ano sob direção da ocupação artística Vem!Ágora, o teatro continua abrindo espaço para a experimentação artística contemporânea com uma programação que mescla espetáculos musicais e teatrais ao longo da semana.

https://www.facebook.com/anota2016/

https://www.facebook.com/teatroipanema/

FESTIVAL A.NOTA 2017 – PROGRAMAÇÃO

29-08-2017 – César Lacerda & Romulo Fróes | O Meu Nome é Qualquer Um

A vida é formada pelos encontros. A cada um deles, o mundo e as pessoas vão aprofundando as suas experiências e modificando as suas percepções, formando assim, novas configurações de reflexão sobre a existência. Com César Lacerda e Romulo Fróes não foi diferente. Os dois artistas se conheceram e em apenas dois meses compuseram vinte canções. Treze delas formam o disco, “O Meu Nome é Qualquer Um”.

No disco, uma espécie de anti-herói contemporâneo percorre o Brasil de agora tentando compreender a complexa miríade de assuntos à sua volta. O problema racial, o terceiro sexo, as redes sociais, o assassinato de crianças negras na favela, o amor, a morte. A ambiciosa cartografia reflete o protagonismo inquieto destes dois importantes artistas da cena contemporânea de música popular brasileira.

Romulo Fróes é cantor e compositor paulistano. Tem em sua discografia sete discos solos lançados e três discos com o Passo Torto, grupo do qual faz parte junto a Kiko Dinucci,Rodrigo Campos e Marcelo Cabral, sendo o mais recente, uma parceria entre o grupo e a cantora Ná Ozzetti. Atuante na cena musical contemporânea, é um de seus principais interlocutores, tendo publicado textos críticos sobre a música brasileira em diversos veículos da imprensa, realizado documentários, trilhas sonoras, curadorias musicais, além de produzir e dirigir discos e shows de outros artistas como Elza SoaresRodrigo Campos e Juliana Pedigão. Além das já citadas Elza Soares, Ná Ozzetti e Juliana Perdigão, suas composições já foram gravadas por diversas cantoras como Juçara MarçalNina BeckerMariana AydarJussara SilveiraJuliana Perdigão, entre outras.

Já o cantor, músico multi-instrumentista e compositor César Lacerda é mineiro de Diamantina, passou a sua adolescência em Belo Horizonte, viveu por oito anos no Rio de Janeiro, e atualmente, vive em São Paulo. Lançou em 2013 o seu primeiro disco, “Porquê da Voz“, que conta com as participações de artistas como Lenine e do quarteto de cordas europeu, Taron. Em 2015, lançou o seu segundo álbum, “Paralelos & Infinitos”, onde executa quase todos os instrumentos. O músico já se apresentou em sete países em prestigiados teatros e casas de show, e têm parcerias musicais com artistas como Paulinho Moska,Matheus NachtergaelePaulo MiklosMarcelo JeneciRomulo FróesEucanaã Ferraz e Roberta Campos. Suas canções já foram gravadas por artistas como Filipe CattoAílaGraveola e o Lixo PolifônicoDuda BrackJulia Bosco, entre outros.

O encontro desses dois artistas é motivo de celebração, e confirma a riqueza das suas trajetórias. A importância dos seus trabalhos revela inquietude estética e uma busca incessante pela reformulação da ideia de canção. “O Meu Nome é Qualquer Um”, é espelho que reflete com beleza e afrontamento não apenas o Brasil contemporâneo, mas também a relevância de César Lacerda e Romulo Fróes para a música feita hoje no país.

Serviço

FESTIVAL A.NOTA 2017

O MEU NOME É QUALQUER UM – CÉSAR LACERDA E RÔMULO FRÓES
29 de Agosto, às 20h30
Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (Meia) 
Teatro Ipanema
Capacidade: 193 lugares
Classificação: livre
Rua Prudente de Morais, 824A – Ipanema
Telefone: (21) 2267-3750
teatroipanema.culturapresente@gmail.com
Facebook/TeatroIpanema

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.