26 C
Rio de Janeiro
novembro 12, 2018
Música

Festival Dassalu reúne artistas afrofuturistas na Sala Badenn Powell

Miguel Jorge - MOJO
Miguel Jorge - MOJO

Evento apresenta artistas da cena indenpendente carioca em Copacabana

A Sala Badenn Powell recebe, nos dias 07 e 08 de novembro, a partir das 19h, a primeira edição do Festival Dassalu. O evento foi criado com o objetivo de promover o encontro entre artistas negros que cantam e compõem na cena independente a carioca. O festival, idealizado pelo Coletivo 22, tem influências do movimento cultural Afrofuturismo e apresenta shows de Luciane Dom, Mojo (Miguel Jorge), Clara Anastacia e Doralyce.

Na abertura, quarta-feira, 07, a programação começa às 19h30 com o show da Luciane Dom, que acaba de lançar o CD Banzo. A palavra tem origem Africana e dá nome ao sentimento de tristeza, angustia e solidão dos africanos escravizados. A noite segue com o show da cantora e compositora Clara Anastacia. Dona de uma estética ímpar constrói com a sua banda uma sonoridade que traz novos ares para a música carioca. Dialogando com o afrofuturismo, sua música conversa com ritmos da cultura popular, passando pelo pop e explorando ruídos, discutindo temas como o feminismo e o empoderamento da população negra.

Já na quinta-feira, 08, Mojo, projeto artístico do músico Miguel Jorge, abre a noite com show às 19h30. O artista traz influências do Mojo, padrão rítmico de acompanhamento criado pelo maestro Moacir Santos. Suas músicas já foram gravadas por artistas como Julia Bosco e Luiza Possi, além de grupos intérpretes como Mohandas, Grupo Maracutaia e o Grupo Bongar, entre tantos.

O show de encerramento do festival conta com a cantora pernambucana Doralyce, que tem um trabalho que faz um passeio pela musicalidade  do nordeste e traz os ritmos do coco, samba, afoxé, maracatu e maculelê que se encontram com o Rio do funk e rap. Suas composições tratam de temas como política, ancestralidade, empoderamento da mulher negra e a força da fé das culturas de matrizes afrobrasileiras. O show conta com sucessos autorais como a composição “Mulheres” feita em parceria com Silvia Duffrayer, paródia feminista da música de mesmo nome de Toninho Geraes, eternizada na voz de Martilho da Vila.  A versão fez tanto sucesso que foi interpretada pela cantor Gaby Amarantos no canal GNT.  A cantora também ganhou grande repercussão com o clipe de Miss beleza universal no ano passado, e lançou Canto da revolução, seu primeiro disco autoral, que conta com oito faixas.

Dassalu, palavra que dá nome ao festival, tem um significado profundo.  É o nome de uma das lideranças da Revolta dos Malês, movimento de resistência no séc XIX. A partir desta inspiração surgiu a idea de realizar o festival afrofuturista que integra música, gastronomia, moda, e artistas brasileiros para resgatar a cultura e histórias apagadas pela escravidão.

Serviço: 

Festival Dassalu
Data: Dias 07 e 08 de novembro de 2018
Local: Sala Badenn Powell – Av. Nossa Sra. de Copacabana, 360 – Copacabana, Rio de Janeiro
Ingressos: R$ 40 – inteira; R$ 20 – meia entrada

Posts relacionados

Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá tocam Legião Urbana no Km de Vantagens Hall

Redação

Banda Scalene se apresenta no Rio de Janeiro com show do elogiado disco magnetite

Redação

Murilo Sá lança seu terceiro disco: “Fossanova”

Redação

Deixe um comentário