24.2 C
Rio de Janeiro
outubro 21, 2018
Exposição

Exposição “Reflexos” levanta questões como empatia e quebra de preconceitos

Quem somos nós além dos rótulos? Em um dos países onde mais se mata por motivos de discriminação social, racial e de gênero, a quebra de preconceitos é pauta na exposição “Reflexos”, do fotógrafo Eurivaldo Bezerra. Em cartaz do dia 17 de outubro a 10 de dezembro, na Cidade das Artes, na Barra, a mostra gratuita vai contar com 40 fotografias de 20 personagens, trabalhando questões como libertação de estereótipos e exercício de empatia.

“Cor da pele, estatura, religião, orientação sexual, entre tantos outros, são fatores de exclusão social e violência praticados diariamente, mas que não deveriam sequer existir. Assim, decidi criar uma exposição onde provoco o questionamento sobre esses preconceitos, e nada melhor do que a fotografia para emocionar e inspirar”, explica Eurivaldo.

A exposição vai contar com a interação do público durante suas etapas de desenvolvimento. Na primeira sala, vão estar expostos 20 retratos em preto e branco, onde o personagem aparece com o rosto coberto, usando uma burca, e sua identidade não é revelada. Ao lado, é apresentada uma lista com traços da personalidade e preferências de cada um, os hobbies. Os visitantes, então, vão preencher uma cartela – recebida na entrada – para definir quais as pessoas que mais despertaram interesse com base nesses gostos pessoais, quem eles gostariam de conhecer. “O espectador, ao passar por cada fotografia, vai criar um vínculo de identificação pelos personagens, mas sem saber ao certo quem é esse indivíduo”, pontua o fotógrafo.

Na segunda sala, vão estar expostos os retratos sem a cobertura e coloridos, mostrando as pessoas como realmente são, além das suas características, como cor da pele, orientação sexual, religião, profissão, etc. Entre os fotografados estão integrantes da comunidade LGBT, ex-traficante de drogas, anão, pessoas de diferentes religiões, empresários e até artistas como Eriberto Leão e Toz. “A ideia é provocar uma reflexão sobre preconceito. Ao se identificar com a personalidade de alguém e descobrir que ele pode ser totalmente diferente do que você é, como pode ser essa reação? Como o espectador vai digerir esse sentimento?”, questiona.

Durante os dias do evento, a mostra “Reflexos” vai oferecer palestras com formadores de opinião para a discussão de temas como preconceito, bullying e empatia. Um ciclo de palestras também vai ser ministrado para crianças de escolas públicas e abrigos da região, bem como um encontro destinado ao público LGBT. “O objetivo principal desse projeto é incentivar a criação do conceito antes do pré-conceito, estimular a empatia como agente transformador da sociedade”, finaliza o Eurivaldo.

Serviço:

Data: De 17 de outubro a 10 de dezembro de 2018;
Local: Cidade das Artes / Av. das Américas, 5300 – Barra da Tijuca, Rio de Janeiro;
Horário: 18h a abertura, palestra às 19:30h, e encerramento às 23h. Posteriormente, nos horários da CDA – Terça a domingo das 10 às 18h
Entrada gratuita.

Eurivaldo Bezerra:

Eurivaldo Bezerra
Eurivaldo Bezerra

Voltado para a fotografia de transformação social, Eurivaldo Bezerra é criador da editora EB Studio Brasil, estimulando projetos que unem livro, exposição e debate. Seu primeiro livro, “Filhos”, que fala sobre adoção, obteve a apresentação de um Projeto de Lei Federal em apenas dois dias após seu lançamento. Outros trabalhos incluem “Esperança”, um livro sobre idosos institucionalizados, “Crack e Ayahuasca”, “Autismo” e, atualmente, “Reflexos”, que fica em cartaz na Cidade das Artes, de 17 de outubro a 10 de dezembro. Existem muitas idéias boas e pessoas fazendo belíssimos trabalhos sociais, mas que não conseguem mostrar isto para o mundo. Com isto, dependem totalmente de doações e não conseguem uma auto-sustentabilidade. A fotografia entra como propulsor destas histórias, criando acervo, exposições, eventos, livros e inspirando mais pessoas a enxergar o próximo. “É através da Fineart que viabilizo os trabalhos sociais e o objetivo disso tudo é sensibilizar a população no Brasil e no mundo para causas importantes”, diz Eurivaldo.

A exposição Reflexos surge como disparador da reflexão sobre o tema preconceito.  Como combatê-lo? Como lidar com isso de forma transformadora?  Nossa proposta será de dinamizar com os adolescentes atividades que despertem empatia, pois acreditamos ser o melhor antidoto contra o preconceito. O desenvolvimento de atividades com foco na temática:   # quero te conhecer melhor  tem a intenção de gerar manifestações artísticas que serão apresentadas em uma futura exposição, inspirando um novo humano.

Apoio e Coordenação Social: Instituto Novo Humano

Posts relacionados

Galeria Oriente abre três mostras para festejar o seu segundo aniversário

Redação

1ª Mostra Coreana chega ao Rio de Janeiro apresentando aos cariocas a cultura asiática

Redação

Exposição ‘Nuvem’, de Floriano Romano no Espaço Furnas Cultural

Redação

Deixe um comentário