Exposição Ex Africa leva mais de 180 mil visitantes ao CCBB do Rio no primeiro mês em cartaz

  • Maior mostra de arte africana contemporânea apresenta trabalhos de 20 artistas de oito países, numa cuidadosa seleção de mais de 80 obras;
  • Entrada é gratuita, com classificação indicativa livre, e o público tem até 26/03 para conferir a exposição na capital fluminense; 
  • Ex Africa estará no CCBB de São Paulo no período de 28/04 a 16/07 

Rio de Janeiro, fevereiro de 2018 – Em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) da capital fluminense desde 20 de janeiro, a exposição Ex Africa já recebeu mais de 180 mil visitantes. A entrada é gratuita e a mostra é indicada para todas as idades. O público tem até 26 de março para conferir Ex Africa no CCBB do Rio – depois do período na cidade, a exposição segue para o CCBB de São Paulo, onde fica em cartaz de 28 de abril a 16 de julho. 

Na maior exposição de arte contemporânea africana já realizada no Brasil, dezoito artistas de oito países africanos e dois brasileiros – Arjan Martins e Dalton Paula – assinam 80 obras que apresentam uma espécie de microcosmo da África. Fotografias, pinturas, esculturas, performances, vídeos e uma gigantesca instalação assinada pelo ganês Ibrahim Mahama se relacionam na exposição por meio de quatro eixos distintos: Ecos da História, Corpos e Retratos, O Drama Urbano e Explosões musicais.     

“A interseção desses eixos mostra que o continente africano vive um contínuo e efervescente processo de renovação criativa e artística”, sublinha o curador da exposição, Alfons Hug. Ele conta ainda que esse raciocínio, que está por trás do conceito e do nome da exposição, partiu da frase Ex Africa semper aliquid novi, (Da África sempre há novidades a reportar), cunhada há mais de 2 mil anos pelo escritor romano Caio Plínio.

“A arte contemporânea africana deu as costas a dois preconceitos longamente estabelecidos: de um lado o estigma do artesanato e da ‘arte de aeroporto’ e de outro as referências etnológicas. Ainda que não possam ser ignorados os efeitos do colonialismo, não deve ser subestimada a importância do intercâmbio artístico verificado na passagem do período colonial ao pós-colonial e, nesse contexto, a reação dos artistas em relação ao período que antecedeu a independência”, afirma o curador.

De acordo com ele, as obras que integram Ex Africa apresentam uma relação com suas raízes na cultura nativa, no cristianismo e no islamismo; assim como fortes conexões com elementos da cultura inglesa, francesa, portuguesa, hispânica e árabe. “Em contraste com a arte ocidental, a arte contemporânea africana tem a vantagem de não precisar atender a nenhum cânone e poder orientar-se unicamente pelo aqui e agora”.

Ex Africa
CCBB Rio de Janeiro (Rua Primeiro de Março, 66 – Centro)
De 20 de janeiro a 26 de março | quarta a segunda-feira, 9h às 21h.
Informações: www.bb.com.br/cultura
Entrada gratuita 

CCBB São Paulo (Rua Álvares Penteado, 112 – Centro)
De 28 de abril a 16 de julho
Informações: www.bb.com.br/cultura
Entrada gratuita 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.