Exposição “Beleza Interior”, de Rodrigo Heringer, na Barra da Tijuca

O artista escolheu um prédio corporativo na Barra da Tijuca, para sua primeira mostra individual. Afinal, o circuito Centro – Zona Sul já está repleto de opções, enquanto a Barra ainda carece de alternativas culturais de qualidade. A proposta é levar a arte ao cotidiano das pessoas, que agora poderão contemplar com a conveniência da hora marcada, no próprio intervalo de almoço. Para mudar de ares sem que ninguém tenha de sair da rotina. Um luxo que veio para ficar em terras cariocas!  

Suas obras suscitam a pintura, mas surpreendem por serem fotografias. Como define sua linguagem artística?

Não tenho definição alguma para minha linguagem artística, simplesmente me deparei com um momento de beleza, vinda de um local improvável. Penso que a missão do fotógrafo é estar atento aos momentos e saber aproveitar o que lhe é oferecido. 

Uma de suas imagens foi exposta em teaser, para grupo segmentado. Quais foram as reações mais frequentes entre os espectadores daquela imagem?

A reação mais frequente foi de total ansiedade em tentar compreender qual é a origem daquela fotografia. Muitos se perguntavam se era uma foto extraída de uma pintura impressionista. O fato do fotojornalismo ser a forma mais clássica e massificada de expressão dessa arte, geralmente faz com que as pessoas tentem entender objetivamente uma fotografia. Mas a proposta dessa série é trazer um convite a contemplação, o livre imaginar e a percepção da beleza contida nas coisas inusitadas.  

Monet é uma referência evidente em toda a série “Beleza Interior”. Mesmo assim, a predominância de uma escala cromática entre nuances de verde, vermelho e amarelo cria uma identidade visual própria. De onde vem esse aspecto original nessa série?

Mais uma vez o macro repete o micro. Monet fez da natureza o objeto de maior destaque em sua obra. A série “Beleza Interior” foi toda extraída de um ambiente de decadência material, mas de pujança natural, em escala micro. Daí a associação com as paisagens naturais de Monet. 

Beleza Interior - Rodrigo Herirnger
Beleza Interior – Rodrigo Herirnger

Todo obra tem um aspecto biográfico do autor. Em que sentido sua biografia interferiu na produção dessa série?

Sou cirurgião plástico, por isso minha formação tem base nas ciências biológicas. Também fui professor de Ciências, durante a Faculdade. Então, todos os aspectos da natureza me fascinam e me atraem profundamente. Até me formar, ou seja, até os primeiros 25 anos da minha vida vive num regime de dificuldade financeira, pois sou fruto de uma família muito humilde, mas que valoriza profundamente o conhecimento e a cultura. Nesse sentido, essa série tem muito a ver com minha biografia, pois em um ambiente de pouquíssimos recursos surgem imagens de profunda beleza intrínseca. 

Nos fale sobre a prática da arte no seu cotidiano?

Como cirurgião plástico sou 100% cientista e técnico e, ao mesmo, 100% arte e imaginação. Não tem como dissociar um percentual disso ou daquilo. São dois hemisférios de um mesmo cérebro. Um 100% focado na evidência científica, na segurança do paciente, nas limitações biológicas e em seu estado psicoemocional. O outro é 100% focado na harmonia, na inventividade e na criação. A comunhão dos dois possibilita alcançar o sucesso médico. Ou seja, a satisfação do paciente. 

Nos fale do cenário que originou a série?

Posso dizer que foi muita sorte encontrá-lo no momento exato! Por se tratar de uma obra da natureza, momentos antes ou momentos depois não produziríamos imagens tão exuberantes, porém não vou adiantar nenhum outro detalhe. Só quem for a exposição saberá de onde as fotos saíram.  

Serviço: A partir do dia 19 de maio, no CEO, com visitação marcada através do drrodrigo.heringer@gmail.com

Perfil Rodrigo Heringer

Rodrigo Heringer Ferreira nasceu em Vitória – E.S. e aos 16 anos teve de passar por uma cirurgia ortopédica, devido a uma fratura. Essa experiência fez com que o menino, que até então só falava em ser agropecuarista e adorava biologia se apaixonasse pelo universo da medicina. “Nesse momento pude sentir o medo que uma cirurgia causa no paciente e o quanto é importante uma assistência médica competente e humanizada”, reflete Dr. Rodrigo.

Vencida a batalha do vestibular, foi aprovado no curso de medicina da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), em 8º lugar geral. Ao cursar matérias cirúrgicas descobriu sua grande vocação dentro da medicina, a Cirurgia Plástica. “Lembro que desde as primeiras cirurgias sempre busquei as incisões menores e mais bem posicionadas, o que propiciava cicatrizes mais bonitas e camufladas”, rememora.

A preocupação de aliar função e beleza permaneceu durante a residência de cirurgia geral, que cursou no Hospital Universitário Cassiano Antônio de Morais – UFES.

Apaixonado por arte aproveitou o período de um curso de aperfeiçoamento em Londres visitou museus de arte e história, por toda a Europa, ao longo de 8 meses. “No mundo das artes dois movimentos em particular me fascinam e inspiram. Os períodos Clássico e Neoclássico, inspirações que levo para o dia-a-dia da Cirurgia Plástica”, correlaciona.

Após a temporada na Europa, tornou-se Oficial do Exército, onde teve a honra de servir na Amazônia, quando, por dois anos, foi o único cirurgião da cidade de Tabatinga tratando sozinho de todos os problemas cirúrgicos de mais de 50 mil habitantes. “Trabalhar com os povos amazônicos me meu deu uma visão mais ampla da diversidade humana e testou ao limite meu conhecimento técnico e habilidade cirúrgica”, observa.

Findo esse período, que o Dr. Rodrigo Heringer sintetiza como “período de aperfeiçoamento cultural e humano”, pôde, finalmente, dar continuidade ao sonho e cursou sua residência em Cirurgia Plástica no Hospital Central do Exército, no Rio de Janeiro, coroando o término da mesma com a conquista do Título de Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), grau adquirido logo no primeiro exame que prestou.

Tais credenciais o elevam a um seleto grupo de cirurgiões plásticos reconhecidos pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. E, todas essas experiências humanas o prepararam para alcançar os melhores resultados, pois além do entendimento apenas físico, busca conhecer a história de vida e condição emocional de cada um de seus pacientes.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.