Espetáculo “Zoológicos” estreia dia 29 de agosto na Sede das Cias, na Lapa

Zoológicos é um espetáculo teatral que se propõe a lançar um olhar sobre a ética das relações humanas e as crises que desestruturam a sociedade. Em cena, seres humanos que deixam aflorar aspectos selvagens, animalescos, de suas personalidades, afetados por suas experiências individuais e coletivas que balizam a nem sempre harmoniosa convivência em grupo, sua conduta social, desejos e frustrações. A peça estreia na Sede das Cias dia 29 de agosto e fica em cartaz de terça a quinta às 20h, até o dia 21 de setembro.

O espetáculo conta a história de dois casais, cuja troca de pares revela que as diferenças alheias não são toleradas. Numa patologia que vincula a falta de limites éticos e morais à habilidade de seduzir, os pares envolvem-se, erótica e profundamente de tal modo que sua convivência pode resultar tanto em imenso prazer como em intenso sofrimento.

Em sua estrutura, o texto rompe regras ao apresentar uma estrutura não linear, alterando o tempo medido cronologicamente. Semelhante ao adestramento de animais, a dramaturgia insinua um processo metafórico sobre a “domesticação”. Essa ocorre quando o treinador impõe uma ação ao animal que, ao executá-la bem, pode obter uma recompensa, constituindo um movimento contínuo de ação, satisfação, repetição e nova ação.

Desse modo o texto busca estimular a interação do público, deixando-o desconfortável, pois o trabalho de recompensa é estruturado na incerteza, para logo adiante dar-lhe o conforto da lógica, sua recompensa. Há quatro fifios condutores da história, cada um domesticando (ou tentando domesticar) a si e aos outros. Antônio, um homem de honrada aparência, que dirige um instituto destinado à sociabilização para jovens assassinos, em segredo, relaciona-se com a ex-interna Kika, que, por sua vez, tenta reconstruir sua vida. Babu, outro ex-interno, alcançou a ressocialização, mas precisa da ajuda de Antônio para salvar a bela e misteriosa Ilana, cuja natureza é aparentemente indomável. Num jogo perverso, cujas ações e palavras são armas para o jogo amoroso, com alto grau de envolvimento erótico afetivo, os dois casais provocam-se mutuamente, criando um ambiente que extrapola qualquer limite moral ou ético. O que vale é o que está em jogo.

SINOPSE:
Assassinos recém-saídos de um instituto de ressocialização se envolvem num jogo psicologicamente perverso.O texto conta a história de quatro pessoas e revela que as diferenças do outro não são toleradas. Numa patologia que vincula seduzir, envolvem-se os pares em afetivo e erótico, que pode resultar tanto em imenso prazer como em intenso sofrimento.

FICHA TÉCNICA
Autor: John Marcatto
Direção: Leandro Mariz
Elenco: Glória Dinniz, John Marcatto, Marilha Galla e Renato Kruege
Diretor de Elenco: Thiago Greco
Produtora Executiva: Gleice Olivieri
Preparador de corpo: Júlio Wenceslau
Iluminadora: Luciana Liege
Cenógrafo: Sátiro Nunes 
Figurinista: Bya Feliciano
Visagista: Talita Bildeman
Designer Gráfico: Renato Krueger
Operador: Mustafá Mendonça

SERVIÇO:

Zoológicos
Local: Sede das Cias. – Rua Manoel Carneiro, 12 – Escadaria do Selarón – Lapa. Tel: (21) 2137-1271
Temporada: de 29 de agosto a 21 de setembro.
Horários: Terças, Quartas e Quintas, às 20h.
Capacidade: 60 lugares
Duração: 60 minutos
Classificação: 16 anos
Gênero: Drama
Ingresso: R$ 40,00 inteira (R$ 20,00 meia).

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.