Após sucesso de crítica em São Paulo, o espetáculo teatral Uma Espécie de Alasca realiza curta temporada na CAIXA Cultural Rio de Janeiro, de 30 de novembro a 17 de dezembro, com apresentações às quintas, sextas e sábados, às 19h, e domingos, às 18h. Inspirada na obra literária Tempo de Despertar, do neurologista Oliver Sacks, o texto de Harold Pinter (Prêmio Nobel de Literatura em 2005) conta com a direção de Gabriel Fontes Paiva, que também assina a iluminação e a adaptação. O projeto tem patrocínio da CAIXA Econômica Federal e do Governo Federal.

Na trama, Yara de Novaes (Love, Love, Love Justa) interpreta Débora, mulher em coma há 29 anos após contrair a doença do sono (encefalite letárgica) e que acorda com a mente de 16 anos de idade. Durante todo o tempo em coma, Débora foi cuidada por sua irmã Paulinha e seu cunhado, o dedicado médico Hornby, vividos por Miriam Rinaldi e Jorge Emil.

O texto apresenta casos de pessoas que têm a vida suspensa por décadas e, de repente, retornam ao mundo em função de testes com um novo tipo de medicamento descoberto na década de 1960. O dramaturgo inglês Harold Pinter compreendeu aqueles pacientes até mais do que seus próprios médicos, segundo eles próprios observaram depois de assistir à primeira montagem da peça em Londres. “O que me capturou nesse texto foi o quanto ele é profundo para tratar questões existenciais, utilizando como ponto de partida um caso real”, explica o diretor Gabriel Fontes Paiva.

A montagem estreou em 2015 e se destaca pela reunião inusitada de grandes artistas, alguns experimentando novas funções, outros pela primeira vez no teatro. O elenco formado por veteranos reconhecidos e premiados tem o desafio de interpretar personagens complexos, como alguém que dormiu por quase 30 anos, um médico que dedicou a vida inteira para descobrir a cura de uma doença e uma mulher que abriu mão da própria vida para cuidar da irmã. “Yara, Miriam e Jorge são artistas genuínos que gostam de se aventurar em territórios ainda não explorados porque sabem que é no risco que podemos avançar mais”, comenta Gabriel.

Já Luiz Duva, um dos principais representantes brasileiros de videoarte, performance e novas mídias é o responsável pela concepção do audiovisual da peça. A trilha sonora é assinada por Luisa Maita (com música presente no filmeBoyhood) e Jam da Silva, ganhador do prêmio de melhor trilha sonora em Gramado. A troca de papéis fica por conta da atriz Débora Falabella, que fará o figurino do espetáculo.

Ficha técnica:

Autor: Harold Pinter
Direção e adaptação: Gabriel Fontes Paiva
Elenco: Yara de Novaes, Miriam Rinaldi e Jorge Emil
Concepção Audiovisual: Luiz Duva
Músicas e Arranjos: Luisa Maita e Jam Da Silva
Iluminação: Andre Prado e Gabriel Fontes Paiva
Figurino: Débora Falabella 
Gestão de projeto: Luana Gorayeb 
Direção de produção: Fernanda Signorini
Realização: Fontes Realizações Artísticas
Patrocínio: Caixa Econômica Federal e Governo Federal

Serviço:

Uma Espécie de Alasca

Duração: 60 minutos
Datas: de 30 de novembro a 17 de dezembro de 2017(quinta a domingo)
Horário: de quinta a sábado, às 19h; domingo, às 18h
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Teatro de Arena
Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro (Metrô e VLT: Estação Carioca)
Telefone: (21) 3980-3815
Bilheteria: de terça-feira a domingo, das 13h às 20h
Ingressos: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes CAIXA pagam meia
Lotação: 176 lugares (+ 3 para cadeirantes)
Classificação indicativa: 12 anos
Acesso para pessoas com deficiência